sexta-feira, 30 de maio de 2014

Casa Venturini Chardonnay Reserva 2011

Vinícola: Casa Venturini
País: Brasil
Região: Flores da Cunha - RS
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 13,2%
Preço: R$34,00(Bodega Express)

Se tem algo que a Casa Venturini pode ser orgulhar é seu Chardonnay, com uvas provenientes da campanha gaúcha, seus vinhos tem obtido ótimos resultados. 

Mantém uma trajetória interessante de sucesso na Avaliação Nacional de Vinhos. Por cinco anos consecutivos este vinho fica entre os 16 melhores do concurso. Este exemplar também foi premiado no 10º Concurso Bacchus(Madrid-Espanha), com a medalha de prata. E obteve menção honrosa no International Wine Challenge, em Londres.


Vamos ao vinho: na taça é bem límpido, com uma coloração amarelo palha puxando para o dourado. No olfato é bem intenso com aromas de frutas brancas como a pera e o melão, um pouco de abacaxi e mel. Na boca é equilibrado, leve e refrescante. 

Uma ótima opção para o verão e um sugestão de acompanhamento de carnes brancas e peixes. Melhor ainda é seu custo beneficio, seu preço comum está perto dos R$34,00. 




 Visual
 Límpido e um cor amarelo palha brilhoso.
 Olfato
Melão, pera, mel e abacaxi.
 Gustativo
Refrescante, sedoso e elegante. Bem equilibrado.
 Harmonização
Carnes brancas e peixes

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Fausto Tannat 2010

Vinícola: Pizzato Vinhos
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Tinto
Uvas: Tannat
Álcool: 13%
Preço: R$29,00(Bodega Express)

Em nosso especial sobre os vinhos do brasil. Visitamos a Serra Gaúcha e buscamos escrever sobre os vinhos que mais nós impressionou em nossa viagem.

Hoje escrevemos sobre um dos vinhos que se destacou em nossa procura. Muito pelo seu equilíbrio, estrutura e uma relação bem honesta de preço-qualidade, vale o que se paga. Está em promoção na Bodega Express.

Vamos ao vinho: Na taça se desenvolve com uma cor vermelho-rubi intenso, quase negra. No olfato apresenta aromas de amoras maduras, café torrado, terroso, especiarias e couro. Na boca é equilibrado, com boa acidez, álcool integrado e taninos finos. É fresco e persistente; com corpo médio. No retrogosto, as amoras do olfato.

Um Tannat bem agradável, sem "patata" dos taninos(comum a casta). Estes bem presentes, porém domados. Uma boa escolha para acompanhar carnes vermelhas no tradicional churrasco.

Mais um bom vinho da excelente vinícola Pizzato.



Nota:88/100

 Visual
Rubi intenso, bem negro.
 Olfato
Amoras silvestres, café, terroso, especiarias e couro
 Gustativo
Taninos finos, equilibrado, fresco e persistente; corpo médio. No retrogosto, amoras silvestres do olfato.
 Harmonização
Caças em geral, cordeiro, feijoadas, cassoulet, carnes gordas, queijos fortes.

Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 26 de maio de 2014

2° Festival de Vinho e Jazz de Tiradentes - Confirmado com Programação

Como já tínhamos escrito aqui, estávamos esperando noticias sobre a realização do o 2° Festival de Vinho e Jazz a ser realizado em Tiradentes.

Hoje recebemos a confirmação. Segue a mensagem.

"De 30 de maio a 01 de junho acontece em Tiradentes, Minas Gerais, a segunda edição do Festival Vinho e Jazz.

Durante três dias, o Largo dos Forras se transformará em cenário para receber produtores de vinho, apreciadores da bebida e amantes do jazz. Produtores de vinhos de oito países participam do evento. Palestras, degustações, exposição fotográfica e apresentações musicais também acontecem paralelamente ao festival. "


Programação

→ 29 de maio, Quinta-feira
20h | Coquetel de abertura para convidados
Local: Espaço Gourmet Senac

→ 30 de maio, Sexta-feira


13h | Abertura

14h | [degustação] TORRES x TORRES – Velho e novo mundo
Palestrante: Adriano Barbosa, da DeVinum
Vagas: 30
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

14h30 | [palestra] Os segredos dos vinhos e suas harmonizações
Palestrante: Flávio Gomes
Capacidade: 70 vagas
Local: Escola Senac
Inscrições gratuitas, feitas no local, por ordem de chegada

15h30 | [degustação] Porto e Charuto: degustação comentada
com Alexandre Avellar | fundador do site Conexão Tabaco, principal referência sobre charutos no Brasil, e foi Nominado Hombre Habano en Comunicación no XV e XVI Festival del Habano, em Cuba.
Capacidade: 15 vagas
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

17h30 | [palestra] Práticas à mesa
Palestrante: Flávio Gomes
Vagas: 20
Local: Escola Senac
Inscrições gratuitas, feitas no local, por ordem de chegada

21h | [música] Blue Drop Groovin’ Jazz Quartet
Local: Largo das Forras
Gratuito

→ 31 de maio, Sábado

11h30 | [palestra] Um nobre passeio pela Toscana - degustando vinhos tintos
com a sommelier Pollyana Gomes
Vagas: 12 (a ser realizada com o mínimo de 09 inscritos)
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

14h30 | [palestra] Os efeitos do amadurecimento de um vinho em barril de madeira
com a sommelier Dayse Novakosk
Vagas: 20
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

16h | [palestra] A Nobreza de Portugal, Porto, Madeira e Setubal
com o sommelier Arilton Soares / ABS
Vagas: 30
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 60,00

16h | [palestra] Vinho: presente e futuro
com Alexandra Corvo da Ciclo das Vinhas Escola do Vinho (SP)
Vagas: 35
Local: Centro Cultural Yves Alves
Valor: R$ 100,00

16h | [degustação] Uma volta ao mundo
Enoteca Decanter
Pousada Pequena Tiradentes
* Para convidados da Pousada

16h30 | [música] Trio Harlem
Largo das Forras
Gratuito

17h | [degustação] Vinhos Mineiros
com o sommelier Renato Costa
Vagas: 30
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

19h | [música] Pianíssimo Jazz
Largo das Forras

19h | [degustação] Jóias brasileiras
com o sommelier Benedito Filho
Vagas: 20
Local: Atelier Nicia Braga
Valor: R$ 200,00

22h | [música] Taryn Szpielman e Banda
Largo das Forras
Gratuito

→ 01 de junho, Domingo

11h | [degustação] Espumantes com qualidade para o dia a dia
com a sommelier Pollyana Gomes
Vagas: 12 pessoas (a ser realizada com o mínimo de 09 inscritos)
Local: Pacco & Bacco
Valor: R$ 100,00

[exposição] Visões da Alma
Fotógrafo: Cristiano Xavier
Local: Achados do Brasil


SERVIÇO

II Tiradentes Vinho e Jazz
De 30 de maio a 01 de junho de 2014
Cartelas de degustação: R$25, R$35 e R$55 (seis taças por cartela)
As inscrições para todas as palestras e degustações devem ser feitas na Libertas Viagens pelos telefones (31) 2516-0333 | (31) 9955-2505 ou pelo e-mail contato@libertasviagens.com.br

Bom Evento!

Zinfandel ou Primitivo: Características e Harmonização

Para continuar com a nossa série especial sobre as Uvas, hoje trazemos a americana Zinfandel.

Muito embora alguns imaginem que a Zinfandel poderia ser uma uva nativa norte americana, os estudos recentes revelaram que seu DNA é muito próximo da Primitivo, uma uva italiana. Além disso, as pesquisas indicam que ambas são originárias da Croácia e acredita-se que tenha chegado aos Estados Unidos em 1820. Hoje ela é uma das principais uva no território americano.

Durante a década de 1970 vários produtores italianos começaram a rotular seus vinhos Primitivo como Zinfandel, para lucrar com a popularidade de Zinfandel no mercado dos EUA. Agora, o contrário também está acontecendo: com o crescimento da Primitivo na Itália, um número de vinhedos californianos (principalmente de dessedentes italianos) trazem rótulos de seus vinhos Zinfandel como Primitivo.

Principais Regiões

Como destacamos a Zinfandel é uma das uvas que se destacam nos Estados Unidos, mais já tem plantações em outros países como Africa do Sul, México e Austrália. A Primitivo tem bastante relevância na região de Puglia, na Itália. A uva Crljenak Kastelanski, que pode ter sido a origem de ambas possui vasta plantação na Croácia.

Características

Os Zinfandel apresentam na taça geralmente uma cor rubi brilhante com borda violácea e em sua evolução adquire tons atijolados. Tem como aromas comuns as fruta madura (cereja, framboesa e amora e ameixa), especiarias doces (cravo e canela) e, dependendo do estágios em barricas de carvalho, adquire aromas como baunilha, tabaco e chocolate. Na boca são amáveis e sedosos, com taninos finos e acidez balanceada. Em climas quentes a uva produz vinho com acentuado teor de álcool. O White Zinfandel é um vinho bem famoso no E.U.A, um vinho branco quase rosé, que faz sucesso em clima quente pela sua refrescância e seu sabor adocicado.

Harmonização

É uma uva que possui corpo com bom volume, acidez e álcool equilibrados. É uma verdadeira "curinga" e acompanha vários pratos. Possui destaque para hamonização com queijos amarelos, churrasco, pizzas e refeições do dia a dia que incorporem carne. Sempre a indico para acompanhar os pratos de comida típica americana. Outra boa dica é a costela ao barbecue com batata dorê. Fica excelente!

Temperatura de Serviço

A temperatura de serviço de um vinho Zinfandel que realça todos os seus aromas e sabores está entre 16° e 18°.

Outras Uvas

Para informações de outras uvas basta acessar nosso posts: Carménère, Tempranillo, Nebbiolo, Torrontés e Sauvignon Blanc.

Saúde!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Don Laurindo Chardonnay D.O 2013

Vinícola: Don Laurindo
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 12%
Preço: R$39,00(Bodega Express)


Quando visitamos a vinícola Don Laurindo, um dos vinhos que mais chamou nossa atenção foi esse chardonnay, ele passa por quatro meses em barricas de primeiro uso. Ainda não tinha saído para venda. Agora chega ao mercado pela Bodega Express. Degustamos de novo, agora com intuito de postar aqui nossa opinião.

Vamos ao vinho. Na taça apresta uma amarelo palha com bordas de um amarelo esverdeado, quase dourado. No olfato é intenso, aromas de flores brancas como lírio se destacam com uma ponta de mel e tostado. Na boca é bem refrescante e leve. Equilibrado, com amanteigado na medida, sem exagero. Um final de boca com delicioso toque salino. 

Achei um vinho bem interessante para acompanhar pratos a base de peixe e frutos do mar, o achei bem gastronômico. Alem de ir bem no dia dia, ótima opção para os dias quentes também, bem refrescante. Com interessante relação custo beneficio. Vale a pena sem dúvida.


 Visual
Amarelo palha esverdeado, quase ouro.
 Olfato
Flores brancas(lírio), mel e tostado.
 Gustativo
Equilibrado, amanteigado, leve e toque salino
 Harmonização
Peixes e carnes brancas em geral.

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Reunião com Pinot Noir até R$50

Neste mês (Maio/2014) realizamos mais uma encontro de amigos, uma confraria que se reúne mensalmente. Além rever os camaradas e colocar o papo em dia, degustamos bons vinhos e fizemos uma degustação a cegas de quatro vinhos. Nosso tema desse mês foi a uva Pinot Noir até 50 reais. Vou destacar aqui minha impressão sobre os vinhos.

Antonio Dias Pinot Noir 2011 - Entre os confrades teve divergência de opinião sobre esse vinho. Uns não gostaram e outros gostaram(Eu). Minha opinião é que é um Pinot diferente do que estamos acostumados, é um vinho mais robusto, no entanto sem deixar de ser elegante e complexo. Uma cor rubi média, mais forte que o comum da casta. No olfato apresentou frutas secas e em compota, além de chocolate, cedro e espiarias. Na boca é elegante e de boa persistência. 88/100

Nieto Senetiner Reserva Pinot Noir 2013 - Um vinho que lembra os demais desta casta no Novo Mundo. Com um rubi translúcido e aromas de frutas frescas(morango e framboesa) se destacando. Leve e elegante na boca. Bem correto e equilibrado, sem a presença excarcerada do álcool. 87/100

Aylin Pinot Noir 2011 Um vinho do vale de San Antonio, muito próximo à costa Pacífica. Região que produz bons Pinot Noir, juntamente com Valle do Casablanca, no Chile. Na taça uma cor típica da casta, um rubi claro com aromas de frutas vermelhas, com toque de grama cortada. Na boca é refrescante, leve e retrogosto agradável e de média persistência. Ótimo vinho. 89/100

Yealands Way Pinot Noir 2010 - Esse Neozelandês ganhou como o melhor vinho da noite. Um tipico Pinot Noir do Novo Mundo, com uma cor rubi claro brilhoso, com aromas de frutas vermelhas, violeta e especiarias doce (cravo/canela). Na boca é sedoso e elegante. Equilibrado, refrescante e com boa persistência. 90/100

Foi uma reunião desafiadora, pois é difícil achar bons Pinot Noir por menos que 50 reais. Conseguimos ter quadro ótimos vinhos, que contribuíram muito para uma ótima noite.


Por Jonas Magalhães



terça-feira, 20 de maio de 2014

Bodega Express: ótimos preços e bons vinhos

Foi lançada nesta semana mais uma boa loja de vinhos online: Bodega Express

O site possui o perfil de uma loja atualizada, dinâmica, de fácil acesso e que destaca vinhos com uma boa relação custo-beneficio. Outra ponto importante da loja online é a entrega rápida e com segurança.

Thiago Mattos, diretor de financeiro da loja, destaca um dos pilares das empresa:

"Queremos trazer bons vinhos, acessível ao bolso do consumidor brasileiro. A aposta no novo será o nosso diferencial, mas não deixaremos de trabalhar com produtos clássicos e historicamente consolidados no mercado, que geralmente tem um custo elevado."

Rafael Teixeira, responsável pelo site, complementa:

"Segurança. Investimos muito para dar tranquilidade a quem deseja comprar nossos vinhos. Cuidamos dos detalhes desde a hora da compra até o transporte do vinho à casa do consumidor final. Tivemos o cuidado de investir no SSL do site - uma ferramenta que protege os dados do cliente na internet. Também procuramos e achamos caixas para transportar os vinhos com tranquilidade. Esperamos contribuir com qualidade e eficiência para democratizar cada vez mais o mundo do vinho no Brasil."

O site Simplificando o Vinho terá uma parceria com a loja Bodega Express. Vamos degustar e divulgar seus melhores vinhos e os que acharmos que tiverem um bom custo beneficio terão destaque.

Já indicamos ao nosso leitor a visita ao site. Lá é possível ter acesso as ofertas de vinhos nacionais de qualidade, como a promoção do Espumante 130 anos da Casa Valduga, e ainda os excelentes exemplares das vinícolas Pizzato, Don Laurindo e Casa Venturini. Além de importados com excelente custo-benefício, como o Estación Carmnère 2012, já analisado aqui no Simplificando o vinho.

Visitem a loja online e vejam o que acham: www.bodegaexpress.com.br



www.bodegaexpress.com.br

Boas compras a todos!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Uma bela dica: Ebook Vinhos da Itália

Uma ótima notícia para quem gosta de vinhos e sobretudo para quem adora os vinhos italianos: foi publicado o primeiro livro de Alessandra Esteves, editora do site Dama do Vinho.

O livro se chama Vinhos da Itália: o guia definitivo para você entender os vinhos italianos. É um livro fácil, despretensioso e gostoso de ler, tem 92 páginas e capítulos que falam da história, das uvas italianas, regiões e produtores. Ela também escreve como descobriu e começou no mundo do vinho.

O livro foi publicado como ebook e você pode lê-lo no computador, Ipad, Kobo, Kindle e até no Iphone.

O preço é bem atraente, somente US$ 2,99. Será uma importante ferramenta para aumentar seus conhecimentos sobre o mundo do vinho, sobretudo os italianos.

A Amazon, Kobo Store e a Saraiva já estão vendendo. Seguem os links:

Boa leitura a todos!


domingo, 18 de maio de 2014

Estación Carménère 2012

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Valle do Colchagua
Tipo:Tinto
Uvas: Carménère

Álcool: 13%
Preço: R$22,00


O patamar dos preço de vendas de vinhos no Brasil chegou a um ponto que é difícil vocês acharem bons vinhos por menos de 30 reais. Aqui no site sempre procuramos dar dicas de vinhos que bebemos, gostamos e que possui boa relação custo beneficio. 

O Estación é um vinho que bebo desde a safra 2009 e sempre me impressiono com este Carménère - um ótimo vinho por acessíveis 22 reais. Não posso dizer o mesmo do Cabernet Sauvignon da linha, que apesar de valer o preço, não é tão bom quanto seu irmão Carménère que sem dúvida é um dos melhores custo benefícios do mercado de vinhos. Ainda vou experimentar o Shiraz.

Vamos ao vinho: na taça apresenta um visual rubi intenso e brilhante, com lágrimas finas e rápidas. No olfato tem aromas herbáceos (comum da uva), frutas vermelhas como morango e groselha, além de toques de especiarias. Na boca é equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas.

É um vinho bem feito, fácil de beber, barato, com uma relação custo beneficio mais que honesta. Bebi sem acompanhar nenhum prato, mais acredito que acompanhe bem refeições leves e sanduíches.


 

 Visual
Rubi intenso e brilhante, com lagrimas finas e rápidas
 Olfato
Herbáceos, frutas vermelhas como morango e groselha. Toques de especiarias
 Gustativo
Equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas
 Harmonização
Tomei sem acompanhar nada.


Por Jonas Magalhães












quinta-feira, 15 de maio de 2014

Pinot Noir, suas características e dicas de harmonização

Continuando a nossa série sobre uvas, hoje trazemos a delicada Pinot Noir.

A Pinot Noir tem como origem a região de Borgonha, na França. Ganhou fama mundial. É considerada a uva mais complicada de se cultivar e de difícil adaptação. É uma casta muito delicada, muito sensível as mudanças climáticas e pragas. Mas também produz um dos vinhos mais elegantes e delicados do mundo.


Principais Regiões

A Pinot Noir esta presente em vários territórios, tanto no velho mundo como no novo mundo. Mas não tem como negar que seu maior esplendor é alcançado em sua terra natal, a Borgonha(França), aonde produz vinhos complexos, com boa estrutura e capacidade de evoluir, participa também do famoso corte do champagne . Destacamos os Pinot Noir vindos dos EUA(Califórnia e Oregon), da Nova Zelândia e do Chile(Vale do Casablanca). O Brasil apresenta bons vinhos, sem grande destaque, no entanto começa a chamar atenção principalmente nas regiões frias como Santa Catarina e Pinto Bandeira. Destaco minhas experiências com o Aurora de Pinto Bandeira e o Dal Pizzol Pinot Noir 2012.

Características

Como já foi colocado, é uma casta muito delicada, como a casca muito final e de pouca pigmentação, o que gera vinhos mais frágeis, claros e como poucos taninos. Para alcançar seus melhores resultados, o ideal é um clima frio.
Os aromas comuns em seus vinhos podem ser: Frutas vermelhas como cereja, framboesa, morango. Notas de especiarias, tostados e animal quando amadurecido em carvalho. Na boca é elegante e saboroso.

Harmonização

Um uva tão delicada necessita de uma atenção especial para harmonização. Vinhos mais complexos e estruturados necessitarão de prato elaborados, os vinhos do novo mundo são mais dinâmicos e versáteis, acompanham com facilidade pratos leves com carne sem muita gordura. Indicamos algumas harmonizações infalíveis e que do nosso ponto de vista, não oferecem chance ao erro:
  • Pratos clássicos franceses como o escargot à la bourguignonne, coq au vin e Boeuf Bourguignon (Receita)
  • Carnes vermelhas magras.
  • Sopas, como canja de galinha.
  • Queijos brancos (camembert e brie)
  • Chocolate até 70% de Cacau

Temperatura de Serviço

A temperatura de serviço de um vinho Pinot Noir que realça todos os seus aromas e sabores está entre 16° e 18°, dependendo das características. Geralmente o Pinot Noir do novo mundo recomendamos uma temperatura mais baixa do que o tradicionais Pinot Noir da Borgonha.

Para outras uvas indicamos nosso posts sobre a Carménère, Tempranillo, Nebbiolo, Torrontés, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

Saúde!










terça-feira, 13 de maio de 2014

Luigi Bosca Malbec Single Vineyard DOC 2011

Vinícola:Luigi Bosca
País: Argentina
Região: Mendoza - Lujan de Cuyo
Tipo: Tinto
Uvas: Malbec
Álcool: 14,5%


Luigi Bosca é uma das vinícolas mais conhecidas e respeitadas na Argentina. Hoje escrevemos sobre o Luigi Bosca Malbec Single Vineyard DOC 2011, comprado em Buenos Aires. Vinho com origem de um vinhedo com mais de 70 anos de idade, que passou por 14 meses em barricas.

Vamos ao vinho: na taça apresenta um rubi com tons violáceos. No olfato é inicialmente fechado, com o tempo se "abriu" por completo, apresentando aromas complexos de frutas vermelhas em compota, chocolate amargo, tabaco e cedro. Na boca é suculento, como bom volume e sedosidade. Boa acidez, taninos presentes e ótima persistência.

Fiquei com a impressão que estava "verde", ele iria amadurecer e evoluir ainda mais. No entanto é um ótimo vinho, muito agradável e complexo. Valeu ter trago.


 

 Visual
 Rubi com tons violáceos
 Olfato
Inicio fechado, frutas vermelhas em compota, chocolate amargo, tabaco e cedro
 Gustativo
Suculento, como bom volume e sedosidade. Boa acidez com taninos presentes. Boa persistência.
 Harmonização
Carnes vermelhas, churrasco.

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Guacamole: receita fácil, dica harmonização e uma animação que concorreu ao Oscar.

A Guacamole é uma comida tipica do México. Bastante pratico e fácil de fazer, ótima para servir de entrada em qualquer evento familiar.
Hoje trazemos a receita, dicas de harmonização e o vídeo super legal que concorreu ao Oscar, uma animação que faz referência a como se fazer uma Guacamole.

Ingredientes


  • 2 tomates bem picados, sem sementes
  • 1 pimenta dedo-de-moça média picadinho
  • 1 abacate médio
  • Suco de 1 limão médio
  • 1 cebola média picada
  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • Doritos para acompanhar

Modo de Preparo

Pique o tomate em cubos bem pequenos. 
Abra a pimenta ao meio, elimine as sementes com os filamentos brancos e pique-a em pedaços bem pequenos. 
Descasque o abacate, retire o caroço e amasse a polpa e adicione o suco de limão. 
Adicione o tomate, a pimenta,  a cebola, o azeite de oliva e o sal e misture. Sirva em seguida.

Harmonização

A nossa dica é harmonizar com um vinho branco da uva Chardonnay. No entanto, se preferir variar pode harmonizar com um vinho Rosé.


Fresh Guacamole


Criado através do stop motion, o curta foi criado pelo diretor PES (nome adotado por Adam Pesapan). O filme é rápido, de pouco mais de um minuto, e mostra uma mão humana fazendo uma guacamole. Concorreu ao oscar de melhor animação curta-metragem em 2012.




quinta-feira, 8 de maio de 2014

Coppola lança vinhos de baixo teor alcoólico.

Composta por um frisante Chardonnay, um Pinot Grigio e um Pinot Noir, o "Gia por Gia Coppola ". Os vinhos foram criados por Gia com Francisco e a equipe de enologos para refletir seu estilo de vinho preferido.

"O vinho sempre foi em cima da mesa, crescendo e assim que eu aprendi sobre o negócio da família em uma idade jovem", disse Gia Coppola.

"Eu queria estes vinhos para refletir o meu estilo: Eu gosto de luz e facilidade para se beber. São vinhos de baixo teor de álcool", acrescentou.

Francis Ford Coppola, o enólogo Corey Beck e sua equipe trabalharam ao lado de Gia por vários meses para criar os vinhos.

Comentando sobre o processo, Beck disse: "Nós intencionalmente trabalhamos na intenção de ser baixa o teor de álcool, com cada um deles em um mero 11,5%, e, como resultado, também baixa em calorias - uma qualidade que agrada a Gia e oferece aos consumidores divertido, acessíveis vinhos. "

Gia também se envolveu fortemente na construção da embalagem dos três vinhos, projetando os rótulos e selecionando as garrafas de vidro exclusivas - que foram inspiradas em frascos de perfume antigos.

Os vinhos são todos preço de EUA $ 13,99.


Fonte: The drinks business

terça-feira, 6 de maio de 2014

Ladrões de uva, a pior praga em vinhedos do antigo Egito.

© Universidade de Cincinnati
Os vinhedos  no Egito Romano tiveram que empregar guardas para evitar que moradores roubassem as uvas maduras.

Um pedaço de papiro, medindo apenas 12 por 8,5 centímetros (4,7 por 3,3 polegadas), foi decifrado pela Universidade de Cincinnati Kyle Helms, documentando um contrato de trabalho em que um homem chamado Flávio concorda em trabalhar como guarda de vinhas perto de uma aldeia egípcia "até a colheita e o transporte do produto final."

O contrato do guarda afirma: "Eu concordo que eu fiz um contrato com você sob a condição de que eu vou proteger sua propriedade, uma vinha perto da aldeia Panoouei, a partir do dia de hoje até colheita e transporte, de modo que não haja negligência, e em a condição de que eu recebo em troca de pagar por todo o tempo acima mencionado. " Infelizmente, o papiro já não está intacta e não está claro o quanto ele teria ganho.

Referências de Helm e outros documentos em seu artigo intitulado "Guardando Uvas no Egito Romano", observando que o roubo de uva era comum e os guardas foram regularmente empregados para impedir os ladrões.

No entanto, este pequeno pedaço de papel é pensado para ser "o único contrato de trabalho documentado com um guarda de uma vinha atualmente publicado" de acordo com o papel na última edição do Boletim da Sociedade Americana de Papyrologists.

Alguns vinhedos "tinham paredes de tijolo e barro para ajudar a repelir os criminosos", mas "estes eram evidentemente nenhum substituto para os guardas humanos." O trabalho era perigoso às vezes: Leme faz referência a um registro de um assalto onde um guarda dá início à perseguição "apenas para encontrar-se com eles, ser abusado  e seu corpo batido. "


Fonte: Universidade de Cincinnati e wine-searcher

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Família Larentis Pinotage 2012

Vinícola: Família Larentis
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Tinto
Uvas: Pinotage

Álcool:12%


No especial do Simplificando o Vinho sobre Vinhos do Brasil, demos um destaque a Família Larentis e foi uma boa surpresa. É uma vinícola familiar, bem pequena mesmo. No entanto com muita tradição e um encanto que merece ser notado.


Trouxemos de nossa visita a vinícola, o Pinotage 2012, vendido na casa por 26 reais. Vamos ao vinho: na taça apresenta uma cor rubi violáceo com bastante lagrimas. No olfato tem um intenso frutado, também nota-se aromas intermediários de ervas . Na boca é agradável, frutado com final adocicado. Tem um certo amargor, um toque meio rustico, que se amansa com o tempo até sumir. Final de média persistência.

Foi um bom acompanhamento para um caldo verde. O achei um vinho honesto, não tem uma grande complexidade, mais o preço dele é um chamariz, vendido a 26 na vinícola. Boa chance de conhecer um linda bodega brasileira, beber um Pinotage nacional e pagar pouco. Uma dica é decanta-lo. 



 Visual
Rubi com tons violáceos.
 Olfato
Frutas vermelhas intensas e um toque de ervas.
 Gustativo
Taninos macios, leve, frutado e pequeno amargor.
 Harmonização
Acompanhou bem um caldo verde.

Por Jonas Magalhães


sexta-feira, 2 de maio de 2014

Vinho contra pedra nos rins?!

O jornal Extra abordou em seu site uma notícia para alegrar o nosso dia e nós incentivar ainda mais a beber um bom vinho.

(Jornal Extra, 02/05/2014)
Os benefícios do vinho para o coração já são amplamente conhecidos. Agora, cientistas da Universidade do Colorado Denver descobriram que a bebida, se consumida moderadamente, também protege a saúde dos rins: pessoas que bebem menos do que uma taça por dia têm o risco de desenvolver doença renal crônica diminuído em 37% quando comparadas a quem não bebe vinho. O estudo foi apresentado no Congresso da Fundação Nacional dos Rins dos Estados Unidos, em Las Vegas, na semana passada.

Além disso, pacientes que já sofrem de problemas renais tornam-se 29% menos propensos a ter doenças cardíacas se ingerirem uma pequena quantidade da bebida ao dia.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores examinaram 5.852 voluntários, dos quais 1.031 tinham doença renal crônica. No entanto, a ligação exata do vinho com a boa saúde dos rins não ficou totalmente clara.

Para o pesquisador Tapan Mehta, líder do estudo, a associação talvez possa ser explicada pelo fato de o consumo moderado de álcool reduzir os níveis de proteínas na urina, enquanto pessoas com problemas nos rins tendem a apresentar altas taxas desses compostos na urina. O cientista suspeita ainda que o vinho tinto seja mais benéfico para os rins do que o vinho branco. A substância que dá cor ao vinho, a procianidina, é um poderoso antioxidante e está mais ativa e em maior quantidade no tinto.

Apenas a ingestão moderada da bebida tem efeito protetor. O consumo elevado de álcool, por outro lado, afeta negativamente os rins e pode piorar a hipertensão. 







Fonte: Jornal Extra

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Hartenberg Weisser Riesling 2008 #CBE

Vinícola: Hartenberg
País: Africa do Sul
Região: Stellenbosch
Tipo: Branco
Uvas: Riesling
Álcool: 13,2%

O tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE) de Abril/2014 foi a uva Riesling. Escolhi sem arrependimento o Sul Africano Hartenberg Weisser Riesling 2008 para degustar e escrever .

Stellenbosch é a principal região vinícola sul-africana, e a segunda colônia europeia mais antiga na África do Sul. A região tem um clima mediterrânico, com verões quentes e invernos suaves, e fica aos pés das montanhas da Dobra do Cabo. 
A propriedade é da família Mackenzie. 

O atual rótulo Hartenberg existe desde 1985, embora esta propriedade já cultive uva e faça vinhos desde 1692 (antiga né?!). Ela é uma das poucas vinícolas que produzem a Zinfandel na Africa do Sul com ótimos resultados e se destaca pelos prêmios de seu Shiraz. O enólogo responsável pelo Riesling 2008 aqui analisado é o Carl Schultz.

Já o Weisse do rotulo é usado para demarcar a verdadeira uva Riesling alemã e principalmente para diferenciá-la de suas parentes de pior qualidade.

Vamos ao vinho: na taça me apresentou uma cor amarelo palha com bordas douradas. No olfato é bem complexo com aromas florais, limão siciliano e alecrim. Na boca é leve, com algum açúcar residual, toques cítricos (limão) e mineral, com boa persistência do final de boca. A acidez se mostra presente, mais já demostra que esta perdendo a força.

Embora tenha achado que sua curva evolutiva já esteja na etapa descendente, ele se mostrou um excelente vinho. Fiquei com uma ótima impressão e querendo provar as safras mais recentes.

Nota: 90/100

 Visual
Amarelo palha com bordas douradas
 Olfato
Floral, limão siciliano e alecrim
 Gustativo
Leve, açúcar residual, citrico/mineral e boa persistência.
 Harmonização
Cozinha oriental.

Por Jonas Magalhães