segunda-feira, 30 de junho de 2014

Argentinos de Mendoza vendem vinhos para chegar ao Rio

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS
A bordo do ônibus batizado Pancho I, em homenagem ao Papa Francisco, argentinos curtem a Copa do Mundo na Capital

Depois de fazer uma chamada pública no jornal local de Mendoza, um grupo de três amigos argentinos iniciou a seleção para encontrar companheiros para um mês de viagem pelo Brasil durante a Copa do Mundo. Entender de futebol, incrivelmente, não constava entre os pré-requisitos. O principal era gostar de festa, de trago e de (cultura) brasileira.

Publicada a notícia no Diario de Los Andes, três interessados apareceram, mas quem se consagrou na disputa pela vaga a bordo do Pancho I 1971 - o ônibus reformado pelo militar aposentado Juan Carlos Vera, 59 anos, batizado em homenagem ao Papa Francisco - foi Willy Sanchez, de 24. Além de ser "buena onda", é jovem, piadista e dono de uma vinícola em plena terra do vinho. Os outros integrantes da turma de sete foram escolhidos por laços afetivos.

A herança vinícola foi decisiva para a entrada de Willy no grupo. Além da sua simplicidade e jeito reservado - ao menos perto dos novos amigos fanfarrões - ele trouxe 40 caixas de vinho com seis unidades cada, um total de 240 garrafas que eles usam para espantar o frio, animar dias e noites e fazer dinheiro. Se venderem pelo menos metade do Milagro Mendocino, como a bebida é chamada, conseguirão plata para chegar ao Rio de Janeiro antes da final. Isso se não beberem tudo.

Caso o estoque de vinho acabe antes da hora, ainda terão Fernet — a bebida típica argentina —, cerveja e mantimentos para um mês trazidos de casa. Eles não garantirão combustível para locomover o ônibus, mas manterão em alta a alegria dos fãs de Messi e Maradona. Se o sonho dos hermanos se concretizar, um dia após a partida contra a Nigéria eles partem de Porto Alegre rumo à terra do Cristo.

Lá, sim, poderão ir à praia e usar os calções de banho que trazem na mala, com esperanças de mergulhar no Atlântico. Acharam que encontrariam praia em Porto Alegre, mas ficaram decepcionados por não fitar gaúchas de biquíni. Tiveram de se contentar em ver os jogos na orla do Guaíba farreando com shows e novos amigos feitos no entorno da fan fest.

Estacionados desde o dia 13 de junho na parte externa do Acampamento Farroupilha, os hermanos tornaram-se conhecidos pelo parque. Já comeram uns quantos churrascos de graça e juram que estão até negando convites.

— Ficam nos chamando por toda a parte, estamos impressionados com tanta hospitalidade — gaba-se o estudante de Design Santiago Livolsi.

Sem ingressos para os jogos, gastam os dias se divertindo pelas imediações do parque Maurício Sirotsky Sobrinho e ruas da Cidade Baixa. Dormir é algo que fazem entre as 4h e o meio-dia, depois de voltarem das festas. Só Juan Carlos acorda cedo. Espécie de "professor Pardal" das estradas, é ele quem coordena a turma. O militar tinha o sonho de fazer essa viagem quando transformou o ônibus de linha em um motorhome. Diz que ganhou a bênção da família para vir ao Brasil e trouxe o filho Rodolfo junto, como testemunha.

No volante, diverte-se como se ele mesmo tivesse vinte e poucos anos. Buzina, toca corneta, mostra a espada que trouxe do exército, para a segurança da turma. Coloca o pessoal para empurrar a engenhoca quando precisa fazer o motor pegar. Como tem luz, fogão e chuveiro elétrico, o veículo consome muita energia, e, às vezes, é preciso dar uma circulada. De resto, fazem tudo a pé. Já gastaram três tanques de óleo diesel para chegar ao Brasil, e pelo que dizem, a grana está curta.

— O nosso dinheiro custa cinco vezes o de vocês, precisamos poupar, está tudo caro — diz Juan, chorando as pitangas.

Mesmo sem ingresso nem amizade com os exaltados torcedores de Boca Juniors e River Plate, de Buenos Aires, os hermanos de Mendoza querem a todo custo se aproximar do Estádio Beira-Rio no dia do jogo da Argentina. Se for preciso, brincam, vão se misturar aos barrabravas e entrar no estádio à força, com ônibus e tudo. Também sonham em ver Brasil e Argentina se enfrentarem na final do Mundial e, garantem, mais pela simpatia do que pelas palavras, que a rivalidade é algo que só existe dentro de campo.




quinta-feira, 26 de junho de 2014

Estación Chardonnay 2013

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Colchagua
Tipo:Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 13,5%
Preço: R$22,00(Bodega Express)


Sempre destaco aqui no site, o quanto é legal descobrir um bom vinho por excelente custo beneficio. Sempre que posso visito lojas de vinhos, ou supermercados e adoro ficar olhando os rotulos. Agora também podemos fazer isso sem sair de casa, inúmeras lojas online com ainda mais vinhos para descobrirmos.  Umas das vantagens das lojas de vinhos, além do preço, é as informações disponíveis.

Pois bem, a descoberta da vez é um chardonnay, por R$22,00. Isso mesmo, um preço muito baixo para o "comum" no mercado brasileiro.

Estación Chardonnay 2013 é um vinho que na taça apresenta uma cor bem clara, amarelo palha translucido e brilhoso. No olfato se destaca aromas intensos de abacaxi, maça verde e pera com toques cítricos. Na boca é bem refrescante, destacando os toques cítricos e ótima acidez. O amanteigado bem integrado, dando um toque delicado junto a um final de boca ligeiro, porém agradável com um "quero mais"



 Visual
Amarelo palha translúcido e brilhoso
 Olfato
Aromas de abacaxi, frutas cítricas e flores brancas
 Gustativo
Refrescante, toques cítricos e amanteigado integrado
 Harmonização
Frutos do mar, peixe e frango.

Por Jonas Magalhães


sexta-feira, 20 de junho de 2014

Vivino com versão em Português.

O vivino, uns dos aplicativos mais conhecidos entre os enófilos agora tem a versão em Português.

Com o vivino é possível identificar, classificar e anotar aromas e características dos vinhos. Além de achar locais/lojas para se comprar o vinho desejado. Uma ótima ferramenta para o dia a dia do enófilo.

Achei muito interessante a forma de scannear o rótulo do vinho e descobrir o vinho. Outro grande destaque é a integração com as redes sociais. Vale a pena conhecer.


O aplicativo está disponível gratuitamente na App Store(IOS) e no Google Play(Android). Tem também a versão PRO por US$4,99 mensais, que tem a função gerenciador de adega.

Boa diversão.

 

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Pudim de vinho: fácil e delicioso

Adoramos doces e sobremesas. Não é novidade a nossa paixão por vinho. Achamos uma receita ótima para combinar essa duas delicias.
Um sobremesa a base de vinhos. O Pudim de Vinho. Mudamos um pouco a receita original, esperamos que gostem.

Ingredientes
  • 350ml de Vinho do Porto
  • 1 colher (de sopa) de açúcar
  • 1 copo de água morna
  • 24g ou 2 pacotes de gelatina incolor
  • Uma colher de uvas passas
  • Duas colheres de coco ralado.

Modo de preparo

- Esquente o vinho e o açúcar.
- Bata a mistura na batedeira por 5 minutos. 
- Dissolva a gelatina na água morna e coloque junto com o vinho. Bata por 15 minutos. 
- Unte com margarina 3 formas pequenas ou um recipiente maior. Salpique o coco ralado e as uvas passas. 
- Coloque a mistura e leve ao freezer por cerca de 15 minutos.


Receita e foto: Keli Juliani(Receita.com)

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Melhores vinhos Brasileiros - 11º Concurso Nacional de Vinhos Finos do Brasil

11º Concurso Nacional de Vinhos Finos do Brasil premia 45 vinhos, de 4 estados.

O Rio Grande do Sul tem 62% das medalhas, sendo 7 das 9 Grande Ouro conferidas.

Os resultados do 11º Concurso Nacional de Vinhos Finos do Brasil – Concurso Mundial Bruxelas-Brasil foram anunciados na noite deste domingo, durante um jantar realizado para convidados no Costão do Santinho, em Florianópolis. O concurso conferiu medalhas a 45 dos vinhos inscritos. Foram 9 medalhas Grande Ouro, 24 de Ouro e 12 de Prata. Os exemplares do Rio Grande do Sul respondem por 62% dos vinhos premiados: foram 28 vinhos gaúchos contemplados com medalhas, sendo 7 Grande Ouro, 16 de Ouro e 5 de Prata (veja relação completa abaixo e em anexo). Santa Catarina, estado sede do concurso, soma 10 vinhos entre os premiados, sendo um deles com Grande Ouro, 5 com Ouro e 4 com Prata. As demais 7 medalhas conferidas foram para vinhos de Pernambuco (4, sendo uma Grande Ouro e uma Ouro) e Minas Gerais (3 medalhas, sendo 2 Ouro e uma Prata).

Os jurados (especialistas brasileiros e estrangeiros) degustaram às cegas e dentro dos critérios internacionais adotados pelo Concurso Mundial de Bruxelas (o maior concurso do mundo), nos dias 3 e 4 de junho.

Veja a tabela com todos os premiados:

Concurso Nacional de Vinhos - CMB Brasil 2014 – Resultados finais


GRANDE OURO

  • Zanella Merlot 2011 - Vinícola Zanella
  • Casa Valduga Raizes 2010 - Casa Valduga
  • Casa Pedrucci Brut Millésime 2010 - Vinícola Pedrucci
  • Valmarino Cabernet Franc 2011 - Vinícola Valmarino
  • Rio Sol Reserva 2011 - Vinícola Santa Maria
  • Ponto Nero Brut - Domno do Brasil
  • Perini Champenoise - Vinícola Perini
  • Cave Pericó Brut Nature 2010 - Pericó
  • Chardonnay Reserva 2012 - Góes e Venturini

OURO
  • Casa Valduga Gran Leopoldina Chardonnay D.O. 2012 - Casa Valduga
  • Perini Quatro 2009 - Perini
  • Perini Marselan 2010 - Perini
  • Venturini Cabernet Sauvignon Reserva 2012 - Góes e Venturini
  • Campos de Cima Brut - Vinícola Campos de Cima
  • Dunamis Nature 2012 - Dunamis Vinhos
  • Salton Talento 2009 - Vinhos Salton
  • Casa Geraldo Brut 2013 - Casa Geraldo
  • Casa Perini Prosecco Paralelo 8 2011 Dunamis Brut 2012 - Perini
  • Casa Pedrucci Brut Tradicional - Vinícola Pedrucci
  • Bueno Bellavista Estate Pinot Noir 2012 - Miolo Wine Group
  • Kranz Merlot 2010 - Vinícola Kranz
  • Dunamis Cor Merlot/Cabernet Sauvignon 2011 - Dunamis Vinhos
  • Stellato Rosé Brut 2012 - Vinícola Santo Emilio
  • Salton Evidence - Vinhos Salton
  • Villa Prando Brisa do Mar Brut Tradicional - Villa Prando
  • Monte Pascoal Dedicato Chardonnay 2012 - Vinícola (Monte Paschoal)
  • Arte Chardonnay 2012 - Casa Geraldo
  • Ponto Nero Celebration Moscatel - Domno do Brasil
  • Nubio Sauvignon Blanc 2013 - Sanjo
  • Casa Pedrucci Nature - Vinícola Pedrucci
  • Chardonnay D’Alture Lounge 2012 - Vinícola D’Alture

PRATA
  • Rio Sol Moscatel Espumante - Santa Maria
  • Kranz Cabernet Sauvignon 2011 – Vinícola Kranz
  • Guatambu Rastros do Pampa Tannat 2013 - Guatambu
  • Vivere Brut Champenoise - Goes e Venturini
  • Salton Intenso Marselan/Teroldego 2011 - Vinhos Salton
  • Casa Geraldo Merlot 2012 - Casa Geraldo
  • Rio Sol Cabernet Sauvignon 2012 - Santa Maria
  • Suzin Cabernet Sauvignon 2009 - Vinícola Suzin
  • Nubio Cabernet Sauvignon 2007 - Sanjo
  • Maestrale Cabernet Sauvignon 2007 - Sanjo
  • Casa Valduga Arte Tradicional Brut Rosé 2013 - Casa Valduga
  • Missões Moscatel Espumante 2013 - Vinícola Fin

Fonte: Agência ECO de Informação

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Vinho e cerveja: Qual beber?

Não sou um adepto de esquemas, acredito que cada ser humano é singular e seus gostos são muito particular. 
No entanto gostei muito dessa matéria do vinepair.com, eles tentam aproximar um tendência de quem gosta de cerveja e queira experimentar um bom vinho, ou vice e versa. Com sugestões de uvas para o tipo de cerveja que tu aprecia. Tente fazer a experiência e nós escreva relatando suas impressões, que postaremos aqui no blog.

Vamos ver o que eles dizem:
  • Se você gosta de cervejas de trigo, indica-se tentar Chardonnay
  • Se você gosta da IPAs da Costa Oeste Americana pode tentar Carménère
  • Se você gosta de Porters deve tentar Syrah
  • Se você gosta de Kölsch deve tentar Sauvignon Blanc
  • Se você gosta de Stouts imperiais deve tentar Cabernet Sauvignon
  • Se você gosta de Pale Ales deve tentar Merlot
  • Se você gosta belga Dubbels deve tentar Malbec
  • Se você gosta de Pilsners Checa devetentar Riesling
  • Se você gosta de Gose deve tentar Gewürztraminer
  • Se você gosta Lamics deve tentar Pinot Noir


Fonte: vinepair.com

quinta-feira, 5 de junho de 2014

L.A Chardonnay 2013

Vinícola: Luiz Argenta
País: Brasil
Região: Flores da Cunha
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 12,5%

Mais uma grande descoberta. Tenho destacado aqui no Simplificando o Vinho a grade opções de bons vinhos Chardonnay nacionais. Hoje trago mais um excelente vinho, te falo que me impressionou mais do que a linha reserva da mesma vinícola.

L.A Chardonnay 2013 se apresenta na taça com uma cor translucida, amarelo palha esverdeado. No olfato tem a intensidade de aromas tropicais como de abacaxi  e o maracujá, além de uma forte presença de maça verde. Na boca é bem presente, com destaque a acidez excelente e um leve amanteigado. Gostoso, bem equilibrado e excelente refrescância. Um final persistente com toque cítrico

Ótimo vinho, fiz questão de trazer para minha adega. A vinícola é linda, vale a pena visitar.




 Visual
Amarelo palha translúcido, tons verdes.
 Olfato
Abacaxi, maracujá e maça verde.
 Gustativo
Leve amanteigado, ótima acidez e bem refrescante. 
 Harmonização
Entradas, aperitivos, carnes de aves, lagostas e frutos do mar em geral, risotos e até mesmo pratos um pouco mais estruturados.

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 3 de junho de 2014

Sopas e vinhos: para aquecer o inverno.

O inverno está chegando e o frio traz bons motivos para tomarmos um bom vinho. Para aquecer as noites quentes, além do vinho, algo muito comum são as sopas. Tem sopa para tudo que é gosto e muitas são deliciosas. A Mafalda não sabe o que esta perdendo(rs!).

Por isso, trazemos aqui algumas dicas de harmonizações entre sopas do dia a dia e vinhos, para você se aquecer bem e de uma forma gostosa.

A dica mais importante é identificar se a sopa é encorpada ou não e quais os ingredientes e temperos ela contém, pois quanto mais encorpado e temperado for o prato, mas ele pedirá um vinho a altura. Então, não se esqueça dessa observação!

Sopas mais leves necessitam de vinhos mais leves.

  • Sopas: Capelleti e Caldo Verde
  • Vinhos: Chardonnay encorpado, um tinto leve como um Pinot Noir chileno ou um Chianti.

Sopas de corpo mediano necessitam de vinhos tintos leves.


Sopa mais encorpadas necessita de vinhos mais encorpados, quanto mais complexa a sopa, mais ela vai exigir do vinho.

  • Sopas: Caldinho de feijão, canjiquinha mineira ou vaca atolada 
  • Vinhos: essas sopas são antes de tudo gordurosas,por isso, nossa sugestão é um vinho de boa acidez. Indicomos um Shiraz Australiano, ou Jerez fino Espanhol.

Bom, como foi possível observar, temos uma gama de combinações que nos parecem deliciosas. Se você encontrou alguma perfeita, mende para nós a sua opinião.

Saúde!

Fotos: Portfoliocollection e Mafalda

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Pizzato Legno Chardonnay 2013 #CBE

Vinícola: Pizzato
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay
Álcool: 13%
Preço: R$61,00(Bodega Express)

O tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE) de Maio/2014 foi um vinho Branco com passagem por madeira. Para participar, escolhi o melhor Chardonnay nacional que degustei esse ano, o Pizzato Legno Chardonnay 2013.

Já tinha destacado este vinho na minha visita à vinícola no inicio do ano (Vinhos do Brasill: Vinícola Pizzato) quando então, tive a primeira oportunidade de degusta-lo. Trouxe até uma garrafa para minha adega. Voltei a degusta-lo na Expovinis em São Paulo e não tive dúvida em escolhe-lo para o tema desse mês da Confraria.

O Legno Chardonnay 2013 é um vinho que passa por 10 meses em barricas de carvalho e possui demarcação D.O. Vale dos Vinhedos, ou seja, ele feito com uvas exclusivas de uma região demarcada do Vale dos Vinhedos.


Agora, vamos ao vinho!
Na taça é límpido com uma cor amarelo ouro com uma certa 
untuosidade. No olfato é bem agradável e intenso. Apresenta aromas de frutas brancas em destaque como o melão e a pera, acrescido de um toque de mel e aromas originários da barrica como coco e baunilha. Na boca é elegante, delicado, com o amanteigado na medida, sem ser enjoativo. Possui toques suaves de frutas brancas e uma boa acidez. É um vinho equilibrado, com estrutura e boa persistência na boca.

O Pizzato Legno Chardonnay 2013 só confirma a ótima impressão que tenho dos chardonnay nacionais. Já escrevi aqui sobre Casa Venturini Chardonnay Reserva 2011, e o
Don Laurindo Chardonnay D.O 2013. Vale a pena experimentar!

Garrafa nº0261




 Visual
Límpido com uma cor amarelo ouro, lagrimas lentas e uma certa untuosidade.
 Olfato
Agradável e intenso. Apresenta aromas de flores brancas, frutas brancas(melão e pera),mel, coco e baunilha
 Gustativo
Elegante, amanteigado na medida. Frutas brancas e uma boa acidez. Equilibrado, com estrutura e boa persistência na boca. 
 Harmonização
Harmonizei com empadão de camarão


Por Jonas Magalhães