sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Preço do VINHO vai aumentar no Rio de Janeiro

O governador Pezão(PMDB) já tinha anunciado em Setembro a entrada do Rio de Janeiro no regime da Substituição Tributária do ICMS. No entanto só agora começa a repercutir o Decreto nº 44.950/2014. Nós, amantes do vinho e consumidores, teremos um final do ano mais custoso. Pois o decreto inclui as operações com bebidas quentes (entre elas vinhos e espumantes). O decreto passa a valer a partir de primeiro de novembro(01/11/2014), amanhã.

Na prática , espera-se um aumento no preço dos produto em torno de 30% a 50% no estado do Rio de Janeiro. Com a chegando das festas de final de ano, essa é uma péssima para o setor e para o consumidor fluminense. 


Veja o decreto:

Decreto Nº 44950 DE 12/09/2014

Publicado no DOE em 15 set 2014

Altera o Livro II do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000 (RICMS/2000) e dá outras providências.

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, tendo em vista o disposto nos Protocolos ICMS 209/2012, de 18 de dezembro de 2012; 150/2013, 151/2013, 152/2013 e 153/2013, de 6 de dezembro de 2013; 29/2014, 30/2014, 31/2014, 32/2014 e 35/2014, de 17 de julho de 2014; no inciso IV da cláusula décima quinta do Convênio ICMS 81/1993 , de 10 de setembro de 1993, e o que consta do Processo nº E-04/058/70/2014,

Decreta:

Art. 1º Ficam acrescentados os seguintes dispositivos no Anexo I do Livro II do Regulamento do ICMS (RICMS/2000) aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000 , de 17 de novembro de 2000:
(...)
II - o item 38:
38. BEBIDAS ALCOÓLICAS, EXCETO CERVEJA E CHOPE

Fundamento normativo: Protocolo ICMS 29/2014

Âmbito de aplicação: Operações internas, interestaduais originadas nas unidades federadas signatárias do Protocolo supracitado e aquisições de mercadorias procedentes das demais unidades federadas por contribuintes localizados no Estado do Rio de Janeiro.

A base de cálculo do imposto para fins de substituição tributária nas operações com bebidas alcoólicas, exceto cerveja e chope, é o preço a consumidor final usualmente praticado no mercado do Estado do Rio de Janeiro (PMPF) divulgado por meio de Resolução do Secretário de Estado de Fazenda, nos termos do § 10 do artigo 24 da Lei 2.657/1996 e dos Protocolos firmados no âmbito do CONFAZ, em que o Estado do Rio de Janeiro seja signatário.

Na hipótese de não haver PMPF ou preço sugerido aplicáveis, o sujeito passivo por substituição deverá adotar as seguintes margens de valor agregado:




I - Protocolo ICMS 209/2012 , de 18 de dezembro de 2012;

II - Protocolos ICMS 150/2013, 151/2013, 152/2013 e 153/2013, de 6 de dezembro de 2013;

III - Protocolos ICMS 29/2014, 30/2014, 31/2014, 32/2014 e 35/2014, de 17 de julho de 2014.

Art. 5º Não mais se aplicam ao Estado do Rio de Janeiro as disposições contidas no Protocolo ICMS 32/1992 , de 30 de julho de 1992.

Art. 6º Os contribuintes deverão observar a disciplina de que trata o artigo 36 do Livro II do RICMS/2000 relativamente às mercadorias ingressas no regime de substituição tributária por força deste Decreto.

Art. 7º O parcelamento do imposto relativo ao estoque levantado conforme rege o artigo 6º deste Decreto poderá ser concedido em até 12 (doze) parcelas mensais, iguais e consecutivas, devendo a primeira quota ser paga até o dia 22 de dezembro de 2014 e as demais até os dias 20 dos meses subsequentes.

§ 1º A solicitação do parcelamento de que trata o caput deve ser dirigida à repartição fiscal de circunscrição do contribuinte até o dia 20 de novembro de 2014.

§ 2º A data de vencimento para o pagamento em quota única é a mesma da primeira quota do parcelamento a que alude o caput deste artigo.

Art. 8º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 01 de novembro de 2014.

Rio de Janeiro, 12 de setembro de 2014

LUIZ FERNANDO DE SOUZA

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Espumante Don Guerino Brut Rosé Malbec Charmat

Vinícola: Don Guerino
País: Brasil
Região: Alto Feliz - Serra Gaúcha
Tipo: Espumante
Uvas: Malbec

Álcool: 11,5%
Preço: R$28,90


Alto Feliz fica ao sul de Farroupilha, aproximadamente 40km de Bento Gonçalves. Nessa pequena cidade se localiza a jovem vinícola Don Guerino. Que produz o Espumante Don Guerino Brut Rosé Malbec Charmat, que analisamos hoje.

Na crescente oferta de bons espumantes nacionais, me chamou atenção um espumante rosé produzido a partir da casta Malbec. Famosa uva tinta que produz ótimo vinho, principalmente na região de Mendoza(Argentina).
Elaborado pelo método Charmat, aonde a segunda fermentação é realizada em tanques. É um Espumante com bom custo beneficio, vendido a R$28,90 pela Bodega Express. 

Vamos ao 
Espumante Don Guerino Brut Rosé Malbec Charmat. Na taça apresenta um coloração avermelhada, ferrugem clara ou salmão. Boa espuma e perlage persistente e fina. No olfato tem leve toque de frutas vermelha e tropicais como morango e melancia. Na boca tem boa cremosidade e acidez na medida, bem refrescante. Sem dúvida nenhuma ótima opção para o verão.

Um espumante simples e honesto. Que agrada o bolso e o paladar.

 Visual
Coloração avermelhada, ferrugem clara ou salmão.
 Olfato
No olfato tem leve toque de frutas vermelha e tropicais como morango e melancia.
 Gustativo
Boa cremosidade e acidez na medida, bem refrescante.
 Harmonização
Pratos leves.
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012

Vinícola: Casa Silva
País: Chile
Região: Valle Colchagua
Tipo: Tinto
U
vas: Carménère(100%)
Álcool: 13,5%


Já escrevemos sobre a uva Carménère aqui no site, suas características e harmonização. A casta tem muito destaque na produção chilena e grandes resultados no Valle do Colchagua, com ótimos vinhos. A Casa Silva é uma viña que merece a confiança em seus vinhos e tem ótimos resultados com a casta.

Vamos ao Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012. Na taça tem um rubi bem escuro e pequena borda púrpura. No olfato apresenta aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), um fundo herbáceo e leve toque tostado. Na boca é equilibrado, boa acidez, tanino presente e domado. Final de boca com média duração. Pede um acompanhamento.

Um vinho correto e de grande expressividade, retrata bem as características da casta e do terroir. Vale a pena experimentar.



 Visual
Rubi bem escuro e pequena borda púrpura.
 Olfato
Aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), fundo herbáceo e leve toque tostado.
 Gustativo
Equilibrado, boa acidez, taninos presente e domado. Final de média duração.
 Harmonização
Carne de caça

Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Documentário SOMM ou Sommeliers

Filme: SOMM
Diretor: Jason Wise
Ano: 2012


O documentário tem como centro a vida de quatro sommeliers. As filmagens monstram o dia a dia de cada um, a vida de íntima e o sacrifício de cada Sommelier na busca pelo diplomas de maior valor no mundo do vinho, o Court Master Sommelier . 

SOMM( Sommeliers no Brasil) foi filmado em vários países durante dois anos e seguiu quatro jovens profissionais.

É um documentário muito interessante para amantes do vinho. Pois montra as dificuldades do estudo sobre o vinho e suas complexidades. Ao mesmo tempo notamos a paixão que o assunto tem para quem gosta de trabalhar no ramo.

O canal Globosat tem passou o documentário varias vezes na sua programação. Quando soubermos de datas e horários de novas exibições, comunicaremos em nosso Twitter e página no Facebook.


Veja o trailer oficial


 


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Bonarda: Características e Harmonização

Para continuar com a nossa série especial sobre as Uvas, hoje trazemos à ainda desconhecida Bonarda.

Quando se fala na Argentina logo vem a lembrança da Malbec. Mas nem sempre foi assim, antes da Malbec dominar a produção Argentina, a Bonarda era a casta mais cultivada no país vizinho. Era utilizada na produção de vinhos de garrafões em grande escala e sem muita qualidade. Por muitos anos foi confundida com a Barbera d`Asti. Ainda hoje é debatido sua origem, as duas teorias mais defendidas estão ligadas ao parentesco com a Dolceto(Itália) e outra teoria ligando ela a Corbeau, uva francesa da região de Jura.

No final do séc.XIV o governo argentino contrata enólogos Franceses e este levam a Malbec para Mendoza, a Bonarda é deixada de lado. Nunca foi esquecida totalmente, no entanto passa a ser usada em vinhos de cortes e ainda na fabricação de vinhos de pior qualidade, já que tem grande produtividade.

Em minha ultima visita a Mendoza, já era nítido o crescimento da Bonarda. Agora figurando em vinhos varietais de qualidade. Destaque a Bodega Nieto Senetiner e seu vinho edição limitada Bonarda.

Principais Regiões

A principal região produtora é a Argentina. Ele é a segunda uva mais plantada, dominando 18% dos vinhedos. A primeira é a Malbec(34%) e a terceira é a Cabernet Sauvignon(17%). Outras regiões com vinhedos da casta Bonarda é a Califórnia , onde é conhecida como Charbono. Além do leste da França, na região de Savoy.

Características

A Bonarda faz um vinhos leves e frescos. Uma contra-posição a forte Malbec. Geralmente apresenta uma cor com intenso violáceo. No olfato destaca-se aromas de frutas vermelhas e pretas; violeta e com o tempo e aliado ao amadurecimento no carvalho se somam aromas mais complexos, como charuto e couro. Na boca tem um bom frescor, boa acidez, fruta presente e taninos suaves.

Harmonização

Indicada em combinação para carnes de sabor mais apurado e picantes. Combina com massas com molho condimentado e cogumelos como shitake e shimeji. Sua ótima acidez ajuda muito na digestão.

Temperatura de Serviço

A temperatura de serviço de um vinho Bonarda que realça todos os seus aromas e sabores está entre 16° e 18°.

Outras Uvas

Para informações de outras uvas basta acessar nosso posts: Zinfandel, Carménère, Tempranillo, Nebbiolo, Torrontés e Sauvignon Blanc.


Saúde!


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Joseph Drouhin Bourgogne Chardonnay 2011

Vinícola: Maison Joseph Drouhin
País: França
Região: Bourgogne
Tipo: Branco
Uvas: 100% Chardonnay
Álcool: 13%


Maison Joseph Drouhin é um tradicional produtor da Bourgogne, de 1880. Além dos vinhedos na França, também possui propriedades no Oregon(E.U.A). Hoje tanto a Maison Joseph Drouhin e quanto a Domaine Drouhin Oregon são de propriedade e operados pelos bisnetos de Joseph Drouhin. Tem vasta historia, desde o pioneirismo em produzir vinhos biodinâmicos a interessante historia de resistência aos Alemães na segunda guerra mundial.


Vamos ao vinho: Na taça apresenta um amarelo palha tons dourados. No olfato tem boa complexidade com aromas cítricos como o abacaxi e a casca de laranja, além de toques de mel e baunilha. Na boca é sedoso, com bom amanteigado e refrescância. Toque mineral e acidez correta, final de boca com frutas brancas e boa duração.


 Visual
Amarelo palha tons dourados
 Olfato
Aromas cítricos como abacaxi e casca de laranja, além de toques de mel e baunilha.
 Gustativo
Sedoso, com bom amanteigado e refrescância. Toque mineral e acidez correta, final de boca com frutas brancas e boa duração.
 Harmonização
Carne brancas e Peixes

Por Jonas Magalhães



sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Don Giovanni Cabernet Franc 2008 #CBE

Vinícola: Don Giovanni 
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira(RS)
Tipo: Tinto
Uvas: 100% Cabernet Franc

Álcool: 13,5%


Já escrevi aqui no blog sobre a visita na Don Giovanni, um lugar encantador, ao lado do caminho de pedra, tradicional ponto turístico de Bento Gonçalves. Vale a pena conhecer(Veja).

Hoje escrevo para a Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). O tema de Agosto/2014 foi escolhido pelo Felipe Silva do Blog BebadoVinho. A escolha foi um vinho 100% Cabernet Franc. Uva que analisamos e escrevemos sobre suas características no especial Uvas(Veja Aqui!).

Meu vinho escolhido foi o Don Giovanni Cabernet Franc 2008, degustado e adquirido na última visita a vinícola, escolhi este vinho por que é um dos poucos Cabernet Franc com bom resultado no Brasil. Também já degustamos o Aurora Pequenas Partilhas Cabernet Franc 2011, que vale a pena conhecer.

Em conversa com vários produtores da Serra Gaúcha, muitos demonstram a intenção de voltar a dedicar espaço para a Cabernet Franc em seus respectivos vinhedos. Logo podemos ter mais opções nacionais desta casta para degustar.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta uma coloração rubi escura com borda violácea e leve opacidade, lagrimas abundantes e lentas. No olfato se destacam aromas de amadurecimento no carvalho, frutas vermelhas maduras, algo mentolado e o tabaco. Na boca é equilibrado, macio, tem um corpo de leve a médio, taninos presentes e bem integrados. Um final de boca com boa persistência e além de confirmar os aromas do olfato(notas vegetais).

É um bom Cabernet Franc. Vale a pena conhecer. Também indico visitar a vinícola, o restaurante e se tiverem a oportunidade, se hospedem e aproveitem ao máximo a aconchegante pousada da Don Giovanni.



 Visual
Rubi escura com bordas violácea e leve opacidade, lagrimas abundantes e lentas.
 Olfato
Aromas de amadurecimento no carvalho, frutas vermelhas maduras, algo mentolado e tabaco. 
 Gustativo
Equilibrado, macio, tem um corpo de leve a médio, taninos presentes e bem integrados. Um final de boca com boa persistência e confirmando os aromas do olfato.
 Harmonização
Harmonizou com bife de panela.

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Domaine Du Moulin de Dusenbach Pinot Gris Réserve AOC 2009

Vinícola: Domaine du Moulin de Dusenbach
País: França

Região: Alsácia
Tipo: Branco
Uvas: Pinot Gris

Álcool: 13%
Preço: R$44,00

A Alsácia é um território ao leste da França, na fronteira com Suiça e Alemanha. Inclusive foi uma zona de intensa disputa com a Alemanha, tendo ficado sob controle alemão de 378 a 1648, de 1871 a 1919 e de 1940 a 1944. Até hoje se nota muito da cultura Alemã na região. Até mesmo nos vinhos e suas garrafas.

É uma região que faz vinho interessantíssimos, destaque principalmente para Gewurztraminer, Riesling, Pinot Blanc, Pinot Gris e alguns bons Pinot Noir. Criado em 1970 por Bernard Schwach, enólogo-se de uma família de vinificação para várias gerações, a vinícola cresceu e agora tem 26 hectares no coração da Alsársia. Em de 2008, tornou-se propriedade da família Schwebel e integra a área AOC(Appellation d'origine contrôlée).

Vamos ao vinho: Na taça apresenta uma coloração amarela ouro viscosa. No olfato se destacam aromas doces como mel e damasco, além de um toque fresco de gramas cortada. Na boca é elegante, com ótimo volume e bem sedoso. O retrogosto é persistente, com toque de frutas brancas e um leve açúcar residual.

O preço de lançamento esta ótimo, pela qualidade e origem do vinho. Raramente se encontra vinhos da Alsácia(com esse perfil) por esse preço no Brasil.




 Visual
Amarelo ouro viscoso
 Olfato
Grama cortada, mel e damasco.
 Gustativo
Elegante, como ótimo volume e bem sedoso. Retrogosto persistente de frutas brancas e leve açúcar residual.
 Harmonização
Pratos misturam doce e salgado.

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Drink com vinho: Holiday Glögg

Para animar os últimos dias de inverno. Trazemos um drink com vinho tinto para esquentar suas noites ou mesmo para animar qualquer festa ou reunião de amigos. Uma observação pertinente é não exagerar nos temperos, siga a risca a quantidade descrita.


Ingredientes:

  • 1 garrafas de vinho tinto seco 
  • 1 larajas espetadas com cravos-da-índia 
  • 1 pedaços de canela em pau 
  • 5 sementes de cardomomo 
  • 1/2 xícara de açúcar 
  • 1/2 xícara de uvas passas brancas 
  • 1 dose de conhaque 
  • 1 dose de cachaça

Modo de fazer:

Em uma panela junte todos os ingredientes, menos o conhaque e a cachaça, leve o fogo e não deixe fever. Cozinha durante uns 20 minutos a uma temperatura baixa. Em seguida retire a laranja e despeja em uma poncheira. Em uma outra panela aqueça o conhaque e a cachaça e acrescente na poncheira.

Sáude!