quarta-feira, 28 de setembro de 2016

La Carraia Sangiovese 2014

Vinícola: La Carraia
País: Itália
Região: Umbria
Tipo: Tinto
Uvas: Sangiovese
Álcool: 13%
Preço: R$72,29

La Carraia foi fundada em 1976 pelas famílias Gialetti e Cotarella. Ela começou fornecendo uvas para grandes produtores e hoje já tem seus próprios vinhos. A vinícola fica na região de Umbria, no centro da Itália - uma das áreas atingidas pelo terremoto que devastou o país em setembro de 2016. A região se destaca por seus vinhos brancos das castas Trebbiano e Malvasia, no entanto, hoje comentamos um vinho da uva Sangiovese.

Vamos ao vinho: Coloração vermelho rubi, brilhante e límpido. No olfato se destacam aromas de ameixa, amora, frutas secas e algo de cravo e canela. Na boca é equilibrado e rico, com taninos suaves e acidez presente. Destaque ao final de boca com ótima persistência.

La Carraia Sangiovese 2014 foi mais um da Seleção Ouro de setembro do vinhoclube. Assim com os outros dois vinhos (Ribeiro Santo Branco 2015 e Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013), me chamou a atenção o perfil do exemplar que preza pela macies e facilidade de beber. A Seleção deste mês agrada diversos públicos e é excelentes para eventos.



 Visual
Vermelho rubi, brilhante e límpido
 Olfato
Aromas de ameixa, amora, frutas secas e algo de cravo e canela.
 Gustativo
Equilibrado e rico, com taninos suaves, acidez viva e boa persistência.
 Harmonização
Acompanhei com uma pizza napolitana.

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Melhores vinhos chilenos no Rio de Janeiro

Aconteceu no dia 26 de Setembro, no Copacabana Palace, a masterclass ‘Vinhos Medalhistas do Chile’, promovido pela Wines of Chile e a CH2A Comunicação. O Simplificando o Vinho marcou presença no evento e trás os grandes destaques. 

Na prova, foram apresentados rótulos que já ocuparam o topo do pódio do Annual Wines of Chile Awards. O especialista Marcelo Copello conduziu a degustação que contou com a participação dos produtores comentando seus próprios vinhos.

Gostei muito do evento, mostrou a importância que o Chile dá ao mercado brasileiro e carioca. Destaco também a qualidade dos vinhos apresentados.

O masterclass começou por um Rosé que impressionou a todos na degustação. Marquis Gran Reserva Rosé 2016, feito a partir da casta Malbec (85%) e da Cabernet Franc(15%), apresentou uma coloração linda de salmão claro. No olfato é bem complexo, chamando atenção pela proximidade com Sauvignon Blanc, com toques de arruda e maracujá, além de frutas vermelhas. Na bola é leve, fresco e muito elegante. 

Outros vinhos de qualidade foram apresentados, me chamaram a atenção em especial: 

- Amelia Chardonnay 2016: um amarelo vibrante com tons esverdeados. No olfato apresenta frutas cítricas e muito mineral. Na boca é elegante, com boa acidez e amanteigado na medida.

- Apaltagua Carignan Colección Limited Edition: já chamou atenção por 85% do vinho ser feito pela Carignan, uva que vem ganhando bastante destaque no Chile. Na taça é um vinho complexo, no olfato tem aromas  de couro, tabaco, cerejas e especiarias. Na boca marca presença, com taninos vivos e acidez vibrante, um vinho que vai evoluir muito. No entanto já é muito bom na conjuntura atual.

- Ícone Escalera 2010: Um vinho potente. Com muita presença na boca, denso e complexo. Com final longo e bem agradável.

- Casa Silva Gran Terroir de los Andes Los Lingues Cabernet Sauvignon 2014: Sou suspeito para falar da Casa Silva, sou admirador dos seus vinhos e esse exemplar trás tudo que procuramos em um vinho da casta. É complexo no olfato. Na boca é sedoso e ao mesmo tempo vibrante, com taninos presentes e domados.

- Encierra 2012: Vinho com grande destaque na boca, muito gostoso. Embora ainda tenha uma madeira se destacando, a fruta é bem chamativa e os taninos e acidez bem integrados. Vai evoluir.


- Carmem Winemaker´s Reserve Red Blend 2013: Um grande vinho. Perfumado no olfato, na boca é um caldo de uva ("vontade de mastigar o vinho"), taninos presentes e suaves, acidez na medida e final longo. 


Depois da Masterclass, ainda teve um "Walk around tasting", aonde os produtores puderam divulgar os catalogo de vinhos e conversar com o público. Provei vários bons vinhos, alguns ótimos. Mas vou dar destaque a dois vinhos que me chamaram a atenção.

- Montes Outer Limits Sauvignon Blanc 2015: Vinho bastante aromático, com delicioso frescor na boca.

-'Laku' Hijo del Sol The Final Blend: Vinho ícone da Viña Requingua, tem uma curiosidade que a informação da composição de % das castas do vinho vem na rolha. É uma surpresa até abrir a garrafa. O vinho complexo, no olfato apresenta aromas de frutas em compota, couro e chocolate. Na boca é sedoso e potente com final longo e agradável.

O Wines of Chile apresentou ótimos vinhos em um evento bem organizado que possibilitou aos produtores um espaço interessante para dialogar com a imprensa especializada e trabalhadores do setor.


Gostei da experiência. Parabéns aos organizadores do evento! 

domingo, 25 de setembro de 2016

Ribeiro Santo Branco 2015

Vinícola: Magnum Vinhos
País: Portugal
Região: Dão
Tipo: Branco
Uvas: Malvasia Fina e Encruzado
Álcool: 13%
Preço: R$84,00

Hoje abordaremos um vinho branco português. Derivado das castas Malvasia Fina e Encruzado, o Ribeiro Santo Branco 2015 não passa por barricas e vem do Dão, a primeira região demarcada de vinhos não licorosos de Portugal.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta uma coloração amarelo palha translúcido, brilhante e límpido. No olfato é tímido, com aromas cítricos, algo de noz moscada e cera. Na boca é elegante, com untuosidade na medida, pequena acidez e sem erros.

Ribeiro Santo Branco 2015 é um vinho simples e fácil de beber, por isso acredito que atenda a diversos públicos. Também é fácil de harmonizar e vai bem com peixe ou massas leves.

Este vinho veio na Seleção Ouro de setembro do vinhoclube - que tem sido uma boa experiencia até aqui.



 Visual
Amarelo palha translúcido, brilhante e límpido.
 Olfato
Aromas cítricos, algo de noz moscada e cera.
 Gustativo
Elegante, com untuosidade na medida, pequena acidez e sem erros
 Harmonização
Massas leves e peixes não gordurosos.

Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013

Vinícola: Torreón de Paredes
País: Chile
Região: 
Valle del Alto Cachapoal
Tipo: Tinto
Uvas: 95% Carménère e 5% Cabernet Sauvignon

Álcool:13,5%
Preço: R$75,40 (Vinho Site)



Quando pensamos no Chile e em vinho, não podemos deixar de pensar na Carménère, uva símbolo da terra natal de Pablo Neruda. Já escrevemos até mesmo um especial sobre as características desta casta aqui no Simplificando Vinho (Veja).

Hoje, em parceria com o clube de vinhos da Vinho Site, o vinhoclube, vamos analisar o Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta lágrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue. No olfato é agradável, com aromas claros e representativos. Trás a tipicidade da casta no Chile, com destaque para aromas de frutas vermelhas maduras, pimentão, especiarias e chocolate. Na boca é redondo, equilibrado, com uma maciez envolvente, taninos maduros e com final de 
boca contínuo com toques frutados.

O Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013 é um vinho bem fácil de beber, passa pela garganta escorregadio, sem deixar nenhuma sensação desagradável. É um vinho bem tranquilo de servir em qualquer situação. Fácil de achar, esta garrafa veio através do vinhoclube. Comecei no clube com o pé direito.

Estou disponível para trocar opiniões. Se bebeu e tem algo a comentar, não hesite! Aguardo sua participação nos comentários. 

 Visual
Lagrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue
 Olfato
Frutas vermelhas, pimentão, especiarias e chocolate.
 Gustativo
Redondo, com uma maciez envolvente. É equilibrado e com final de boca persistente, com toques frutados.
 Harmonização
Harmonizei com pastel de bacalhau


Por Jonas Magalhães



quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Primeira Estrada Syrah 2014

Vinícola: Estrada Real
País: Brasil
Região: Três Corações - MG
Tipo: Tinto
Uvas: Shiraz(100%)
Álcool: 14%
Preço: R$79



Essa avaliação é especialmente para Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). Hoje voltamos a degustar o Primeira Estrada Syrah, ele foi o vinho escolhido para a Confraria de Setembro/2016. O tema foi indicado por Evandro Vanti, do blog Vinhos que Provo. O tema definido foi: "Um Syrah / Shiraz do novo mundo, sem limite de preço. Vale um 100% ou um corte, desde que a maior parcela seja dessa uva".

Quando fiquei sabendo do tema, procurei conciliar a tarefa da confraria com um desejo antigo, ver a evolução deste vinho mineiro. Já tinha experimentado o Primeira Estrada Syrah 2010 em julho de 2013 e agora busquei a safra de 2014 para fazer uma comparação.

Como já tinha dito na análise do Primeira Estrada Syrah 2010, esse é um projeto que apresenta uma especificidade: a colheita é feita na época seca do inverno, nos meses de julho e agosto. O normal no resto do mundo é colher no verão, sendo que o vinho passou por 12 meses em barricas de carvalho e mais um ano envelhecendo na garrafa.

Vamos ao vinho, na taça apresenta uma coloração intensa de rubi com margens roxa escura, tem lágrimas abundantes, finas e lentas. No olfato é mais intenso que a safra antiga, apresenta as mesma frutas vermelhas maduras(cereja, ameixa preta e framboesa), outros aromas são destacados como o caramelo, pimenta e o tostado do carvalho. Na boca é sedoso, redondo e com um retrogosto lembrando café com boa persistência.

É um vinho que vale a pena conhecer, me deixou outra boa impressão sobre ele. Comparando com a safra 2010( que já era um bom vinho), achei que o Primeira Estrada Syrah 2014 tem ainda mais predicados para você buscar conhece-lo. Ele é facilmente encontrado no Rio de Janeiro (supermercado Zona Sul), essa garrafa eu comprei na loja Pacco em Tiradentes-MG, paguei R$79.


Por Jonas Magalhães