Mostrando postagens com marcador Africa do Sul. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Africa do Sul. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Hartenberg Weisser Riesling 2008 #CBE

Vinícola: Hartenberg
País: Africa do Sul
Região: Stellenbosch
Tipo: Branco
Uvas: Riesling
Álcool: 13,2%

O tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE) de Abril/2014 foi a uva Riesling. Escolhi sem arrependimento o Sul Africano Hartenberg Weisser Riesling 2008 para degustar e escrever .

Stellenbosch é a principal região vinícola sul-africana, e a segunda colônia europeia mais antiga na África do Sul. A região tem um clima mediterrânico, com verões quentes e invernos suaves, e fica aos pés das montanhas da Dobra do Cabo. 
A propriedade é da família Mackenzie. 

O atual rótulo Hartenberg existe desde 1985, embora esta propriedade já cultive uva e faça vinhos desde 1692 (antiga né?!). Ela é uma das poucas vinícolas que produzem a Zinfandel na Africa do Sul com ótimos resultados e se destaca pelos prêmios de seu Shiraz. O enólogo responsável pelo Riesling 2008 aqui analisado é o Carl Schultz.

Já o Weisse do rotulo é usado para demarcar a verdadeira uva Riesling alemã e principalmente para diferenciá-la de suas parentes de pior qualidade.

Vamos ao vinho: na taça me apresentou uma cor amarelo palha com bordas douradas. No olfato é bem complexo com aromas florais, limão siciliano e alecrim. Na boca é leve, com algum açúcar residual, toques cítricos (limão) e mineral, com boa persistência do final de boca. A acidez se mostra presente, mais já demostra que esta perdendo a força.

Embora tenha achado que sua curva evolutiva já esteja na etapa descendente, ele se mostrou um excelente vinho. Fiquei com uma ótima impressão e querendo provar as safras mais recentes.

Nota: 90/100

 Visual
Amarelo palha com bordas douradas
 Olfato
Floral, limão siciliano e alecrim
 Gustativo
Leve, açúcar residual, citrico/mineral e boa persistência.
 Harmonização
Cozinha oriental.

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Obikwa Pinotage 2012

Vinícola: Obikwa
País: Africa do Sul
Região: Somerset West
Tipo: Tinto
Uvas: Pinotage
Preço: R$26


Um vinho que é produzidos em proporções industriais e que esta "invadindo" o Brasil, encontrado por R$ 26,00 em muitos super mercados. Um Pinotage, casta tipica sul africana.
O vinho me apresentou na taça uma cor rubi com bordas roxas. No olfato se mostrou frutado com aromas de ameixa e um leve toque de especiarias. Na boca tem um corpo médio e se confirma o olfato, frutado e fácil de beber.
Um vinho simples, honesto e fácil de se encontrar. Se traduz em uma boa opção para o dia a dia.

Nota: 82/100
 

 Visual
 Rubi o reflexos roxos
 Olfato
 Frutas vermelhas e especiarias
 Gustativo
 frutado e fácil de beber
 Harmonização
 Massas e carnes leves
Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Nederburg Reserve Pinotage 2010

Vinícola: Winemasters
País: Africa do Sul
Região: Western Cape
Tipo: Tinto
Uva: Pinotage
Álcool: 14,1%


A vinícola Winemasters é uma das mais renomadas na África do Sul, com varias premiações e um reconhecimento internacional. Hoje analisaremos um exemplar da casta pinotage, que é uma casta característica da África do Sul, ela tem como origem uma mistura de Pinot Noir com Cinsault.
O vinho apresenta na taça uma cor rubi, com lágrimas rápidas. No Olfato se destaca aromas de ameixa seca, pitanga e cereja. Na boca é fresco, frutado e acidez bem equilibrada.
É um vinho com seus destaques, boa opção para conhecer a casta.

Nota: 84/100


 Visual
 Rubi
 Olfativo
 Frutas Vermelhas
 Gustativo
 Equilibrado e fresco
 Harmonização
 Pizza

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Pulpit Rock Pinotage/Syrah 2011

Vinícola: Pulpit Rock Winery
País: África do Sul
Região: Swartland

Tipo: Tinto
Uva: 50% Pinotage e 50% Shiraz
Álcool: 14,5%

Preço: R$48,00

Um vinho típico. Pulpit Rock Pinotage/Syrah 2011 apresenta as qualidades e a excentricidade da Pinotage, aliada a toda potência e elegância da Syrah. É um exemplar que representa bem o "novo mundo", uma revelação de novos aromas e sabores. 
O vinho na taça expressa um visual rubi de tons claros e poucas lágrimas. No olfato me apresentou aromas tímidos e com pouca intensidade, presença de especiarias(cravo; açúcar mascavo) e um pouco de baunilha ao fundo. Na boca é equilibrado, leve e elegante, apresenta um paladar adocicado com toques de morango e pitanga. Bom retrogosto com alguma persistência.
É um bom vinho, representa bem a tipicidade sul-africana, que cada dia mais chama a atenção dos amantes do vinho. Também achei que possui um custo-beneficio honesto, gastei R$48,00 em vinho agradável e gostoso de beber.

Nota: 87/100


 Visual
 Rubi com tons claros.
 Olfato
 Especiarias(cravo e açúcar mascavo) e baunilha.
 Gustativo
 Equilibrado, macio, frutas vermelhas e um bom final.
 Harmonização
 Refeições condimentadas.

Por Jonas Magalhães