Mostrando postagens com marcador Argentina. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Argentina. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013

Vinícola:Finca El Origen
País: Argentina
Região: Valle do Uco(Mendoza)
Tipo: Branco
Uvas: Viogner
Álcool: 14%
Preço: R$68,40(VinhoSite)

Em mais uma edição do vinhoclube, o clube de vinhos do VinhoSite, recebi esse mês o Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013.


A vinícola Finca El Origen se situa no Valle do Uco, que se localiza ao sul de Mendoza e o vinho degustado é um varietal da casta Viogner, com passagem de 06 em barril de carvalho. Uma casta que surfa na onda de crescimento da Torrontes e ganha cada vez mais espaço na Argentina.

Vamos ao vinho... Na taça apresenta uma coloração amarelo que já se encaminha para um dourado. No olfato apresentou aromas de pêssego, abacaxi, notas florais e um toque de damasco. Na boca tem um ataque bem mineral com bom volume e uma delicada acidez.

Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013 mostra o quanto a Argentina tem evoluido em vinhos brancos, com castas aromáticas e bem versáteis. Hamonizei este vinho com Ostras frescas e conseguiu acompanhar muito bem. Ótimo vinho da Seleção Summer do vinhoclube.


 Visual
Amarelo tendendo ao dourado
 Olfato
Frutas brancas frescas como pêssego e abacaxi, com notas florais e um toque de damasco
 Gustativo
Mineral com bom volume e uma delicada acidez
 Harmonização
Ostras Frescas


Por Jonas Magalhães

Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013

Vinícola:Finca El Origen
País: Argentina
Região: Valle do Uco(Mendoza)
Tipo: Branco
Uvas: Viogner
Álcool: 14%
Preço: R$68,40(VinhoSite)

Em mais uma edição do vinhoclube, o clube de vinhos do VinhoSite, recebi esse mês o Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013.


A vinícola Finca El Origen se situa no Valle do Uco, que se localiza ao sul de Mendoza e o vinho degustado é um varietal da casta Viogner, com passagem de 06 em barril de carvalho. Uma casta que surfa na onda de crescimento da Torrontes e ganha cada vez mais espaço na Argentina.

Vamos ao vinho... Na taça apresenta uma coloração amarelo que já se encaminha para um dourado. No olfato apresentou aromas de pêssego, abacaxi, notas florais e um toque de damasco. Na boca tem um ataque bem mineral com bom volume e uma delicada acidez.

Finca el Origen Reserva Estate Viognier 2013 mostra o quanto a Argentina tem evoluido em vinhos brancos, com castas aromáticas e bem versáteis. Hamonizei este vinho com Ostras frescas e conseguiu acompanhar muito bem. Ótimo vinho da Seleção Summer do vinhoclube.


 Visual
Amarelo tendendo ao dourado
 Olfato
Frutas brancas frescas como pêssego e abacaxi, com notas florais e um toque de damasco
 Gustativo
Mineral com bom volume e uma delicada acidez
 Harmonização
Ostras Frescas


Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Navarro Correas Coleccion Privada Bonarda 2008

Vinícola: Navarro Correas
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas:
Bonarda (100%)
Álcool: 13,5%
Preço: R$32,00


A bodega Navarro Correas localizada no Valle de Uco e em Lujan de Cuyo, tem seus vinhedos em altitudes entre 900 e 1200 metros acima do nível do mar.

Hoje abordamos um de seus vinhos, da linha Coleccion Privada, linha intermediaria da bodega. A uva Bonarda, como já escrevemos no site, é uma uva que teve grande importância na Argentina, perdeu espaço para Malbec e hoje volta a ganhar protagonismo.

Vamos o Navarro Correas Coleccion Privada Bonarda 2010. Na taça apresenta uma cor rubi com tonalidade purpura, característica da casta. No olfato destacam aromas de frutas maduras(ameixa e cereja) e um intenso tostado. Na boca é macio, com taninos leves e acidez na medida. Com média persistência no final de boca.

Um vinho simples, que representa bem as características da casta. Com passagem por carvalho
(12 meses - 40% em barricas de carvalho francês), ainda apresenta bom potencial aos 06 anos de vida.


 Visual
Rubi com tonalidade púrpura
 Olfato
Frutas maduras(ameixa e cereja) e um intenso tostado
 Gustativo
Macio, com taninos leves e acidez na medida. Com média persistência no final de boca.
 Harmonização
Harmonizado com carne grelhada

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Goulart M The Marshall Reserva Malbec Single Vineyard 2010

Vinícola: Bodega Goulart
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas: 100% Malbec
Álcool: 14,2%
Preço: R$80,00


Um Malbec Argentino com sotaque brasileiro. A Bodega Goulard tem como proprietários a família paulistana Goulard. Sua vinícola tem obtido bons resultados, já analisamos aqui no site os bons Goulart T 2012 e o Bodega Goulart C Clásico 2011. Hoje trazemos o Goulart M The Marshall Reserva Malbec Single Vineyard 2010, vinho de bastante destaque da Bodega.

Vamos ao vinho: Apresenta uma coloração rubi forte com reflexos violáceos. No olfato destaca-se aromas intensos de frutas maduras(ameixa) e algo de especiarias doce como cravo. Na boca é sedoso, com volume médio, bem frutado e boa persistência. 

Um vinho bem agradável, muito correto. Destaque ao álcool bem integrado e os taninos bem macios. Pena o preço não ser muito atrativo.


 Visual
Rubi forte com reflexos violáceos
 Olfato
Frutas maduras(ameixa) e algo de especiarias doce como cravo
 Gustativo
Sedoso, com volume médio, bem frutado e boa persistência.
 Harmonização
Dica: Picanha Invertida

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Reunião com Pinot Noir até R$50

Neste mês (Maio/2014) realizamos mais uma encontro de amigos, uma confraria que se reúne mensalmente. Além rever os camaradas e colocar o papo em dia, degustamos bons vinhos e fizemos uma degustação a cegas de quatro vinhos. Nosso tema desse mês foi a uva Pinot Noir até 50 reais. Vou destacar aqui minha impressão sobre os vinhos.

Antonio Dias Pinot Noir 2011 - Entre os confrades teve divergência de opinião sobre esse vinho. Uns não gostaram e outros gostaram(Eu). Minha opinião é que é um Pinot diferente do que estamos acostumados, é um vinho mais robusto, no entanto sem deixar de ser elegante e complexo. Uma cor rubi média, mais forte que o comum da casta. No olfato apresentou frutas secas e em compota, além de chocolate, cedro e espiarias. Na boca é elegante e de boa persistência. 88/100

Nieto Senetiner Reserva Pinot Noir 2013 - Um vinho que lembra os demais desta casta no Novo Mundo. Com um rubi translúcido e aromas de frutas frescas(morango e framboesa) se destacando. Leve e elegante na boca. Bem correto e equilibrado, sem a presença excarcerada do álcool. 87/100

Aylin Pinot Noir 2011 Um vinho do vale de San Antonio, muito próximo à costa Pacífica. Região que produz bons Pinot Noir, juntamente com Valle do Casablanca, no Chile. Na taça uma cor típica da casta, um rubi claro com aromas de frutas vermelhas, com toque de grama cortada. Na boca é refrescante, leve e retrogosto agradável e de média persistência. Ótimo vinho. 89/100

Yealands Way Pinot Noir 2010 - Esse Neozelandês ganhou como o melhor vinho da noite. Um tipico Pinot Noir do Novo Mundo, com uma cor rubi claro brilhoso, com aromas de frutas vermelhas, violeta e especiarias doce (cravo/canela). Na boca é sedoso e elegante. Equilibrado, refrescante e com boa persistência. 90/100

Foi uma reunião desafiadora, pois é difícil achar bons Pinot Noir por menos que 50 reais. Conseguimos ter quadro ótimos vinhos, que contribuíram muito para uma ótima noite.


Por Jonas Magalhães



terça-feira, 13 de maio de 2014

Luigi Bosca Malbec Single Vineyard DOC 2011

Vinícola:Luigi Bosca
País: Argentina
Região: Mendoza - Lujan de Cuyo
Tipo: Tinto
Uvas: Malbec
Álcool: 14,5%


Luigi Bosca é uma das vinícolas mais conhecidas e respeitadas na Argentina. Hoje escrevemos sobre o Luigi Bosca Malbec Single Vineyard DOC 2011, comprado em Buenos Aires. Vinho com origem de um vinhedo com mais de 70 anos de idade, que passou por 14 meses em barricas.

Vamos ao vinho: na taça apresenta um rubi com tons violáceos. No olfato é inicialmente fechado, com o tempo se "abriu" por completo, apresentando aromas complexos de frutas vermelhas em compota, chocolate amargo, tabaco e cedro. Na boca é suculento, como bom volume e sedosidade. Boa acidez, taninos presentes e ótima persistência.

Fiquei com a impressão que estava "verde", ele iria amadurecer e evoluir ainda mais. No entanto é um ótimo vinho, muito agradável e complexo. Valeu ter trago.


 

 Visual
 Rubi com tons violáceos
 Olfato
Inicio fechado, frutas vermelhas em compota, chocolate amargo, tabaco e cedro
 Gustativo
Suculento, como bom volume e sedosidade. Boa acidez com taninos presentes. Boa persistência.
 Harmonização
Carnes vermelhas, churrasco.

Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Maia Torrontés 2012

Vinícola: Andesgrapes
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Branco
Uvas: Torrontes

Álcool:13,6%
Preço: R$38,00


Um vinho da região de Mendoza, embora seja a maior e melhor região para vinhos na Argentina. Quando se fala em Torrontés, prefiro os exemplares da região de Salta.

Vamos ao vinho, na taça destaca-se a cor amarelo palha. No olfato apresenta aromas adocicados de frutas brancas( como fruta de conde), um floral(jasmim) doce também com um pouco de maracujá.

Na boca reafirma os aromas do olfato, com destaque para um retrogosto doce. Menos ácido que os exemplares de salta e mais aromático, o que é mais acentuado nos mendocinos.

Este exemplar tipico de Mendoza, principalmente pela amplitude aromática. É ótimo para acompanhar a culinária oriental. 


 

 Visual
Amarelo palha
 Olfato
Floral(jasmim), Frutas brancas(fruta de conde) e maracujá.
 Gustativo
Retrogosto doce, aromático e média acidez.
 Harmonização
Culinária oriental

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 28 de março de 2014

Trivento Tribu Chardonnay 2012

Vinícola:Bodega Trivento
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 13%


Confesso que não ainda não ganhei uma grande confiança no Chardonnay argentino. Mais resolvi experimentar este exemplar.

O Tribu Chardonnay 2012 é fácil de achar nos mercados.  Produzido na famosa vinícola Trivento, que é uma aposta da gigante chilena Viña Concha y Toro em território Argentino.

Vamos ao vinho. Na taça destaca-se com uma cor amarelo palha brilhante com tons esverdeados. No olfato apresenta aroma de abacaxi e toques de melão. Na boca tem boa acidez, refrescante, equilibrado e fácil de se beber.

É um vinho simples, mais agradável. Vale pagar até 30 reais por ele. Mais que isso, podemos achar exemplares melhores.


 

 Visual
Amarelo palha brilhante com tons esverdeados
 Olfato
Abacaxi e melão
 Gustativo
Equilibrado, leve, refrescante e boa acidez
 Harmonização
Peixes

Por Jonas Magalhães


quarta-feira, 26 de março de 2014

Saurus Patagônia Select Pinot Noir 2007

Vinícola: Familia Schroeder
País: Argentina
Região: Patagônia
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir


A casa do Pinot Noir argentino. Pode-se  dizer que na Patagônia concentra-se os melhores Pinot's hermanos. Em minha ultima visita ao país vizinho, queria trazer um bom Pinot Noir, adoro a uva e já tinha comprado bastante Malbec. Por indicação, resolvi trazer esse exemplar.

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou uma cor elegante, de médio brilho, um rubi bonito. No olfato é bem complexo, com aromas de rosas e frutas vermelhas combinado com especiarias e algo tostado, o uso da madeira não esconde o vinho. Na boca é elegante, sedoso, com bom equilíbrio e ótima persistência.

Se mostra um ótimo vinho, foi melhorando bastante depois de aberto, recomendo decantar. Está no seu auge, pronto para beber. Vale muito a pena.



 Visual
Rubi intenso
 Olfato
Rosas, frutas vermelhas, especiarias e tostado
 Gustativo
Elegante, sedoso, equilibrado e boa persistência.  
 Harmonização
Carne de porco, medalhão e carne macias.
Por Jonas Magalhães


sexta-feira, 7 de março de 2014

Crios Torrontes 2012

Vinícola: Dominio Del Plata
País: Argentina
Região: 
Valle Calchaquies - Salta
Tipo: Branco
Uvas: Torrontés

Álcool: 13,9%
Preço: 38,00


A 1700m de altitude, a enóloga Susana Balbo cultiva suas parreiras de Torrontés no Valle Calchaquies, na província de salta. Reconhecida como melhor terroir para tal uva branca, destaque na Argentina.

Na taça me apresentou uma cor amarelo palha já com tons de ouro. No olfato é doce, com destaque para pêssego e damasco. Também algo floral e mel. Na boca me lembra muito vinhos mais untuosos e doces, como os feitos com a casta Gewurztraminer e a Viognier. Não chega a ser enjoativo. É elegante, suculento, reproduzindo o damasco em calda na boca. Apresenta uma baixa acidez. Recomendo servir em uma temperatura baixa. 

Torrontés é uma uva bem aromática, nesse
Crios Torrontes 2012 não é diferente. Para ser sincero até o achei aromático passando do ideal. Na minha harmonização, acabei deixando um pouco do vinho para acompanhar a sobremesa e foi muito bem com um cheesecake. Tem Torrontés melhor no mercado, mais recomendo experimentar 
Crios Torrontes 2012.


 

 Visual
Amarelo palha já com tons de ouro
 Olfato
Pêssego, damasco, algo floral e mel
 Gustativo
Elegante, suculento, damasco em calda na boca e baixa acidez
 Harmonização
Comida Japonesa

Por Jonas Magalhães



quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Callia Alta Shiraz/Bonarda 2012

Vinícola: Bodegas Callia
País: Argentina
Região: San Juan
Tipo: Tinto
Uvas: Shiraz(60%) Bonarda(40%)

Álcool: 13,5%
Preço: R$27,00


A bodega Callia situada ao norte de Mendoza, em San Juan. Ali encontrou o terroir ideal para seus vinhos, claramente se destacando o Shiraz da casa. Com vinhedos a mais de 600m de altitude.

Esse vinho é um corte de Shiraz com Bonarda, 30% da bebida passa por 3 meses em barricas de carvalho americana e francês. 

Na taça apresenta uma cor rubi com tons violáceos. No olfato é bem frutado com toque de especiarias doces. Na boca repete o olfato com destaque as frutas em calda, com bom volume, equilibrado e os taninos suaves. Bom final de boca, de boa persistência.

É um vinho agradável, fácil de se beber. Bom custo-beneficio.


 

 Visual
 Rubi com tons violetas
 Olfato
Frutas vermelhas e especiarias doces
 Gustativo
Frutado, equilibrado, taninos suaves e bom final de boca
 Harmonização
Harmonizei com Frango ao molho pardo.
Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Alta Vista Premium Torrontés 2011

Vinícola: Alta Vista
País: Argentina
Região: Salta
Tipo: Branco
Uvas: Torrontés

Álcool: 14%


Quem acompanha meu blog, sabe que dou bastante destaque a casta Torrontés e fico feliz com seu crescimento no mercado internacional. Uma das minha preferidas, quando se trata de vinhos brancos.

Escrevo hoje sobre uma estrala dessa casta. Alta Vista Premium Torrontés 2011, é um vinho bem pontuado e premiado pelos especialistas. Feito com uvas originarias da região que tem obtido os melhores resultados com esta casta, os vinhedos de alta altitude de Salta na Argentina.


Vamos ao vinho, na taça  é amarelo palha com tons esverdeados. No olfato é bem aromático e complexo, com aromas de flores brancas(jasmim) e frutas brancas como pera e melão. Complementa com aromas de pêssego e maracujá. Na boca tem um toque leve mineral, salino e cítrico. Algo também que lembre damasco e novamente o maracujá. Refrescante e com bom final de boca, prolongado.

É um vinho que procuro sempre ter na adega. Fácil de se achar para comprar, vale cada centavo. 



 Visual
Amarelo palha com tons esverdeados
 Olfato
Frutas e flores brancas
 Gustativo
Cítrico e leve mineral
 Harmonização
Frutos do mar e culinária japonesa
Por Jonas Magalhães


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 1996

Vinícola: Carmelo Patti
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Sauvignon

Álcool: 13,4%


Sabe aquele vinho especial, que você guarda para um ocasião também especial? Este é o Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 1996 que comprei em Buenos Aires, indicado por quase todos amigos hermanos que gostam de um bom vinho.

Comprei duas garrafas, um da safra 1996 - que iremos tratar neste post - e outro 2004(safra histórica), hoje devidamente descansando em minha adega. 


Comemorando meu aniversario de casamento, abri o "velhinho" Carmelo Patti CS 1996. São quase 18 aninhos... chegando a sua "maioridade penal".

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou lágrimas lentas e densas( já mostrando-se encorpado). Uma cor intensa, rubi com bordas laranjas lembrando ferrugem(marcas de sua evolução). No olfato é um "mundo" de aromas, se destaca chocolate amargo, café, tabaco, especiarias e frutas secas. Achei ainda aroma de capim seco. Na boca é equilibrado e elegante, com taninos "domados" e acidez na medida. Com toques de frutas secas e um defumado gostoso. Final de boca prolongado.

Correspondeu à todas expectativas, chegando aos seus 18 anos em plena forma. Acompanhou muito bem um Boeuf Bourguignon.

Nota: 95/100



 Visual
Rubi com bordas laranja ferrugem
 Olfato
Fruta em compota, chocolate amargo, especiarias, couro, cafe e tabaco.
 Gustativo
Equilibrado, taninos "domados", agradabilíssimo, fruta em compota e o defumado, com final longo 
 Harmonização
Harmonizei com Boeuf Bourguignon

Por Jonas Magalhães


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Lamadrid Malbec Clássico 2011

Vinícola:Lamadrid
País: Argentina
Região: Agrelo - Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas: Malbec

Álcool: 14,1%
Preço: R$50,00


Um Malbec tipico. Lamadrid Malbec Clássico 2011 representa bem o terroir mendozino, um malbec de personalidade.

Na taça apresenta um visual rubi violeta com lágrimas densas e lentas. No olfato se mostra com aromas de frutas maduras, como cereja e amora. Além de um toque de especiarias de doces(Cravo e canela). Na boca é redondo, taninos bem domados, frutado, corpo denso e bom final de boca.

É um vinho bem agradável, de excelente evolução na taça. Vale a pena o que se paga.


Nota: 89/100 

 

 Visual
 Rubi violáceo e lagrimas densas e lentas
 Olfato
Frutas maduras(cereja e amora) e Especiarias doces(Cravo e canela)
 Gustativo
Redondo, tanino suaves, frutado, corpo denso e bom final de boca
 Harmonização
Churrasco, Costela ao barbecue
Por Jonas Magalhães

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Trumpeter Malbec 2012

Vinícola: La Rural
País: Argentina
Região: 
Tupungato - Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas: Malbec

Álcool: 13,7%

Um vinho de boa família, produzido por umas das mais antigas bodegas argentinas(Rutini-La Rural). O Trumpeter é um vinho de entrada da bodega, com uvas proveniente do Vale do Tupungato. Já a partir dele pode-se percebe a boa qualidade dos vinhos Rutini's.

O Trumpeter Malbec 2012 apresenta na taça um rubi brilhoso com bordas violáceas. No olfato revela aromas frutados de cereja e groselha, com um toque de especiarias doce. Na boca se confirma o nariz com toques de fruta, com taninos suaves e com boa acidez. Média persistência e bom final de boca.  


Nota: 86/100
 

 Visual
Rubi brilhoso e bordas violetas
 Olfato
Frutado e especiarias doces(canela)
 Gustativo
Taninos suaves, boa acidez e bom final de boca
 Harmonização
Carnes Vermelhas, Massas.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Las Perdices Torrontes 2012

Vinícola: Viña Las Perdices
País: Argentina
Região: Salta
Tipo: Branco
Uvas: 
Torrontés
Preço: R$ 50,00
Álcool: 14%

Em visita a Buenos Aires, a curiosidade sobre a Torrontés me levou a experimentar este vinho. Escolhido em uma degustação de vinhos argentinos.

Um vinho que na taça me apresenta um amarelo palha, bem translucido e com tons dourados. No olfato é bem floral e com leves aromas de pera e pêssego. Na boca é equilibrado, destaque para o corpo frutado(cítrico) e sua boa acidez. Um toque ligeiro de minerais e um ótimo final de boca.
Me surpreendi com o olfato com um floral intenso e gostoso e na boca um vinho diferente, com boa acidez e frutado. Ótimo vinho.

Nota: 90/100

 

 Visual
Amarelo palha translucido
 Olfato
Floral
 Gustativo
Equilibrado, refrescante, toque mineral e frutado 
 Harmonização
Saladas, frutas e sorvete.
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Febre Montmayour Gran Vin 2008

Vinícola: Domaine Vistalba
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uva
: 85% Malbec, 10% Cabernet Sauvignon e 5% Merlot
Álcool: 14,5%



Anteriormente já abordamos, aqui no blog, o vinho básico da linha Febre Montmayour, da Bodega Vistalba - Fabre Montmayou Reserva Malbec 2009 -ótimo por sinal. Agora, tivemos a oportunidade de, na Argentina, experimentar o Febre Montmayour Gran Vin 2008 que sem dúvida é um grande vinho. 
No taça é bonito, com um rubi intenso, bolhas e bordas roxas, além de lágrimas densas e abundantes. No olfato se destaca o fundo defumado e aromas doces como caramelo, baunilha e chocolate. Na boca é estruturado, com taninos firmes e corpo que confirma o olfato: um defumado marcante. Elegante e equilibrado com o final de boca persistente.
Um bom exemplar de vinhos argentinos com um toque de Bordeaux. Experimentamos a bebida n'um restaurante e por isso não tivemos o tempo ideal para decantar o vinho. Acreditamos que uma boa dica possa ser a de decanta-lo por uma hora.

Nota: 92/100
 

 Visual
 Rubi Intenso com bordas e bolhas roxas
 Olfato
 Caramelo, chocalate, baunilha e defumado
 Gustativo
 Equilibrado, Taninos firmes, elegante eboa persistência
 Harmonização
 Carnes Vermelhas
Por Jonas Magalhães