Mostrando postagens com marcador Assemblage. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Assemblage. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Primus Reserva 2007

Vinícola: Veramonte
País: Chile
Região: Colchágua
Tipo: Tinto
Uva: Assemblage
Álcool: 14,5%
Preço: 38,00


O Primus é o ícone da Viña Veramonte , Colchágua(Chile). É um vinho de corte(65% Cabernet Sauvignon, 20% Syrah, 8% Merlot e 7% Carmenere). Sem dúvida é um dos melhores custo benefícios que experimentei esse ano. Vendido a 38,00 reais, é um vinho bem complexo e com um potencial de evolução.


Na taça me apresentou uma cor rubi bem forte, com bordas meio alaranjadas, sinais de evolução. No olfato com inicio meio "preso", se abriu na taça com o passar do tempo, apresentando aromas terrosos, especiarias, frutado e chocolate. Na Boca é equilibrado, taninos firmes e acidez na medida, com boa persistência.

Sem dúvida é um vinho que vale a pena ter em sua adega e o preço é convidativo, pois no Brasil, vinhos com essa qualidade certamente passam de 70,00 reais.

Obs: O Primus 2007 foi o 11º vinho mais vendido pela internet em 2011, na maior rede de venda de vinhos on-line do Estado Unidos.

Nota: 89/100


 Visual
 Rubi forte e borda alaranjadas
 Olfato
 Especiarias, chocolate e frutas escuras
 Gustativo
 equilibrado, taninos intensos e bom final
 Harmonização
 Cordeiro

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Crasto Etiqueta Negra Douro DOC 2009

Vinícola: Quinta do Crasto
País: Portugal
Região: Douro
Tipo: Tinto
Uva: Assemblage
Álcool: 14,5%

Preço: R$25,00(375ml) e R$52,00(750ml)

 
Um vinho do Douro, uma terra conhecida por produzir bons vinhos e tradicional em Portugal. Não confundir este exemplar com o Crasto Etiqueta Negra vinhas velhas, que é um vinho bem mais complexo e um valor bem superior.
Crasto Etiqueta Negra Douro DOC 2009 me apresentou na taça uma cor rubi intenso com bordas violáceas. No olfato o álcool se sobressaiu, de forma tímida se nota um aroma frutado, ameixa preta. Na boca é fresco, encorpado e potente. Nota-se um certo desequilíbrio com o álcool se destacando, final de boca com boa persistência e um toque de frutas vermelhas.
É um vinho forte, bom para acompanhar prato encorpados. Sendo honesto não acho um bom custo benefício, com preço praticado fora das promoções.

Nota: 82/100


 Visual
 Rubi forte e borda violáceas
 Olfato
 Álcool e frutas vermelhas(Ameixa)
 Gustativo
 Forte, fresco e final persistente. Álcool de destaca.
 Harmonização
 Massas e Carne Grelhada
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Château Haut Pasquet 2008

Vinícola: Família Dubourg 
País: França
Região: 
Bordeaux
Tipo: Tinto
Uva: 
70% Cabernet Sauvignon, 30% Merlot 
Álcool: 13%




Aproveitamos o friozinho que está fazendo no Rio para degustar um bom vinho. Ainda mais depois do cansaço de dirigir mais de 100 km.
Nossa primeira tentativa não deu muito certo, a garrafa quebrou, lascou o gargalo e não deu para beber, mas como está frio no Rio não podemos perder a oportunidade,  pegamos outra garrafa.
Escolhemos o "Chateau Haut Peasquet 2008" que ganhamos ano passado e ficou em nossa adega até agora.
É um vinho de Bordeaux, que envelheceu por 18 meses em barril de carvalho.
Na taça apresentou uma cor rubi, claro e brilhante. Com lágrima rápidas e não abundantes. No olfato é intenso, pude sentir aromas de frutas bem forte e no final um pouco de canela também. A primeira impressão na boca é que o sabor se prolonga e persiste. Ele tem um fim de boca bem marcante.
Não decantamos e no final da garrafa havia borra, fica a dica, no entanto foi um bom vinho. 
Tivemos um final de noite bem relaxante...

Nota: 86/100

 Visual
 Rubi Intenso
 Olfato
 Frutado e especiarias(canela)
 Gustativo
 encorpado e persistente
 Harmonização
 Carnes e Massas

Por Daniele Ferreira

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Quinta de Cabriz Reserva Tinto 2008

Vinícola: Quinta de Cabriz
País: Portugal
Região: Dão
Tipo: Tinto
Uva(s): Touriga Nacional, Tinta roriz e alfrocheiro
Álcool: 13.5 %


O Quinta de Cabriz é um vinho que sempre recomendo, um vinho com qualidades e se encontra a um preço mediano(R$48,00).
Na taça é um vinho brilhoso, com uma cor bonita, vermelho violáceo. No olfato tem aromas de madeira, reflexo dos seus nove meses em barrica de carvalho, tem um pouco de tostado também, com um fundo de frutas vermelhas, destaque para baunilha. Na boca é sutil, frutado e com uma média persistência. Evoluiu bastante na taça, sugiro decantar antes de beber.

Nota: 88

 Visual
 Vermelho rubi com bordas violáceas 
 Olfativo
 Madeira, Baunilha e Tostado
 Gustativo
 Frutado, equilibrado e bom final
 Harmonização
 Carnes e Massas




terça-feira, 11 de junho de 2013

Porca de Murça Tinto 2011

Produtor: Real Companhia Velha
País: Portugal
Região: Douro
Safra: 2011
Tipo: Tinto
Uva: Touriga Nacional,Touriga Francesa,Tinta Roriz e Tinta Cão.
Álcool: 13,5%


A tarefa de procurar bons vinhos e baratos não é fácil. Tentamos facilitar para os leitores, identificando os vinhos que experimentamos, gostamos e principalmente pagamos um bom preço.
Porca de Murça 2011 é um vinho com um excelente custo-beneficio. Vinho simples, entretanto apresenta qualidades e a um preço acessível(R$18,00). 
Fácil de beber, acompanha pratos do cotidiano ou qualquer bate-papo, proporcionando o prazer de um bom vinho.
É um vinho de cor rubi intenso, com lagrimas rápidas.  No olfato me apresentou morango, cereja e bastante frutas vermelhas. Na boca foi frutado, equilibrado, bem macio e fácil de beber.
Como disse: é um vinho barato que vale a pena experimentar e ter na adega.


Nota: 83/100


 Visual
 Lagrimas timidas e Rubi intenso
 Olfato
 Morango, framboesa e cereja
 Gustativo
 Equilibrado, macio e frutado
 Harmonização
 Massas

terça-feira, 4 de junho de 2013

La Bélière Rouge 2010

Vinícola: Baron Philippe de Rothschild
País: França
Região: Bordeaux
Tipo: Tinto
Uva(s):
Merlot (60%) Cabernet Sauvignon (25%) e Cabernet Franc (15%)
Álcool: 13.5 %



A região de Bordeaux é mundialmente conhecida pela sua tradição em produzir bons vinhos, entretanto não podemos achar que todos vinhos produzidos por lá sejam de primeira linha, excepcionais.
La Bélière Rouge 2010 é um vinho simples da mundialmente famosa vinícola Baron Philippe de Rothschild, talvez por ser tão simples não chega a ter uma boa relação custo-beneficio. Vendido inicialmente na faixa de 45 reais, já não se mostrava uma boa compra, comprei em promoção por 34 reais , achei um preço plausível, mais não compraria de novo.
Vamos a análise do vinho: Na taça apresentou uma cor rubi bem escuro. No olfato me veio aromas de frutas vermelhas, me lembrando geleia de amora. Na boca é levemente frutado, com um corpo leve, sem grande persistência,  passa pela boca com sem grande destaque.
É um vinho de regular a bom, pode acompanhar bem refeições do dia a dia e como disse anteriormente, a relação custo-beneficio não é satisfatória.


Nota: 78

 Visual
 Rubi forte
 Olfato
 Frutas Vermelhas
 Gustativo
 Corpo leve, levemente frutado, sem persistência
 Harmonização
 Refeições do dia a dia


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Proeza Tradicional Dão 2010

Vinícola: Van Zeller 
País: Portugal
Região: Dão, Portugal
Tipo: Tinto
Uva(s): Touriga Nacional, Tinta Roriz e Alfrocheiro
Álcool: 13.0 %

Caro amigo(a), aqui escrevo minhas impressões sobre o Proeza Tradicional Dão 2010 que me saiu pela associação à um clube de vinho da internet por R$ 46,00. Desde já deixo minha opinião sobre o preço: acho que é honesto, vale o que se paga, sem entrar no debate do abuso dos preços de vinho no Brasil. Apesar de valer a pena, podemos achar vinhos melhores nesta faixa de preço.
Fiquei decepcionado com a seleção do mês, esperava mais da oferta de abril, já que escolheram um país com tradição em excelente vinhos(Portugal), como toda a linha da Esporão, Paulo Laureano, etc.
O Vinho tem como base uma uva bem conhecida entre aqueles quem apreciam vinhos portugueses, a Touriga Nacional, uva nobre lusitana que já esta sendo cultivada com sucesso no nordeste Brasileiro. Para quem deseja uma boa dica, o vinho Rio Sol Winemaker's Touriga Nacional é um exemplar de muito boa qualidade do Vale do São Francisco.
Sobre a bebida, apresenta um visual com rubi forte. No olfato apresenta um buquê doce, com destaque ao caramelo, em sua evolução durante a noite foi ficando mais claro um fundo com ameixa seca. 
Na boca é agradável, leve e adstringente com media persistência, uma acidez elevada sem incomodar o paladar, macio na língua que lhe permite manter o equilíbrio. Posso dizer que é um vinho fácil de beber.
Touriga Nacional

Tenho duas garrafas, deixei a outra na adega evoluindo, espero que com o passar do tempo, os taninos fiquem mais claros e a persistência se prolongue.

Não fiz nenhum prato para harmonizar, mais acredito que acompanhe bem carnes vermelhas magras e massas. 


Nota:82/100


 Visual
  Rubi forte
 Olfativo
 Doce, Caramelo e ameixa seca
 Gustativo 
  Leve, macio e taninos agradáveis
 Harmonização
 Carne vermelha leve, massas


               


          
 
      

    

terça-feira, 2 de abril de 2013

Vinho Verde Ponte de Lima Branco 2010


Vinícula: Adega Coop. Ponte Lima
País: Portugal 
Região: Ponte de Lima
Tipo: Branco
Uva(s): Loureiro, Trajuda, Arinto 
Álcool: 10.5 %

Em uma noite chuvosa no Rio de Janeiro, nada melhor para acompanhar um bolinho de bacalhau do que um bom vinho português.
Seguindo indicações de um legítimo lusitano, abrimos a garrafa de vinho verde, Pontes de Lima (2010), sem grandes expectativas. No entanto, a surpresa foi boa. 
Primeiramente, sobre o vinho podemos dizer que é honesto em relação a seu custo e benefício. 
É um vinho de corpo leve que em sua aparência, nos mostra um tom amarelo-esverdeado bem claro e borda dourada translúcida. 
No olfato percebemos notas cítricas marcantes com destaque à maça-verde. Na boca sentimo-lo, ácido equilibrado, levemente amanteigado e bastante refrescante.
Por fim, destacamos também a facilidade para bebê-lo considerando seu baixo teor alcoólico. 

Nota: 81/100



 Visual
 Verde-claro e dourado
 Olfativo
 Cítrico e maça verde 
 Gustativo
 Corpo leve e amanteigado
 Harmonização
 Peixe, Bacalhau e Saladas