Mostrando postagens com marcador Cabernet Franc. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cabernet Franc. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 9 de março de 2017

Ótima seleção do Vinho Clube de Fevereiro

Esse mês o VinhoClube caprichou, recebi dois ótimos vinhos. Talvez tenha sido a melhor seleção que recebi desde que iniciei essa experiencia com o VinhoSite.

Domaine Viranel Rendez-Vous 2014 foi um acerto e tanto. Há algum tempo tenho apreciado muito a casta Cabernet Franc, este vinho de Languedoc é um Assemblage com Cabernet Franc (50%) e Cabernet Sauvignon (50%), apresentou bem as características da casta. Um vinho elegante, leve e bastante agradável. Destaca-se com aromas de frutas vermelhas e especiarias no olfato e um bom final de boca.

Quinta do Ribeiro Santo Tinto 2014 foi o outro vinho tinto com boa complexidade que veio na seleção do mês. Já é o terceiro vinho da Ribeiro Santo que analiso no Simplificando Vinho e todos agradaram, uma vinícola de ótima qualidade. Quinta do Ribeiro Santo Tinto 2014 agrada pela sedosidade na boca e um final de boca bem persistente. Um vinho com ótima acidez e que acompanhou muito bem uma bruschetta de quatro queijos.


Saúde!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014 #CBE

Vinícola: Peralillo Wines
País: Chile
Região: Valle do Maule
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc(
60%) e Carmenere(40%)
Álcool: 13,5%
Preço: R$39,90


Em mais uma avaliações de vinho especialmente para Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). Hoje trazemos o Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014, foi o vinho escolhido para o tema da Confraria de Junho/2016 e indicado por Deco Rossi, do site Winet. O tema definido foi: "Vinho de corte, com 50% ou mais de Cabernet Franc".

O Valle do Maule fica a 300km ao sul de Santiago. O vinho em questão trás uma clara referência ao Parque Nacional Altos del Lircay, importante reserva natural próxima aos Andes na região do Maule. A vinícola fica em San Raphael. A região não tem um grande destaque no mapa do vinho no Chile, no entanto está chamando a atenção ultimamente, principalment
e com a casta Carignan, vale conferir.

Vamos ao vinho. Ele apresenta uma coloração rubi com reflexos brilhantes. No olfato trás o eucalipto da carmenere, toques apimentados, algo defumado e caramelo. Na boca é equilibrado, apresenta um bom corpo com acidez na medida e o tanino presente e domado. A fruta marca presença num final de boca agradável e de razoável persistência.

É um vinho que apresenta as características das duas uvas no corte com equilíbrio. Me pareceu bastante honesto e voltaria a compra-lo de novo. Simples, barato e gostoso. 

 Visual
Rubi com reflexos brilhantes
 Olfato
Eucalipto, toques apimentados, defumado e caramelo
 Gustativo
Equilibrado, acidez na medida e o tanino presente e domado. Final de boca frutado, agradável e de razoável persistência.
 Harmonização
Carnes vermelha leves.

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Don Giovanni Cabernet Franc 2008 #CBE

Vinícola: Don Giovanni 
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira(RS)
Tipo: Tinto
Uvas: 100% Cabernet Franc

Álcool: 13,5%


Já escrevi aqui no blog sobre a visita na Don Giovanni, um lugar encantador, ao lado do caminho de pedra, tradicional ponto turístico de Bento Gonçalves. Vale a pena conhecer(Veja).

Hoje escrevo para a Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). O tema de Agosto/2014 foi escolhido pelo Felipe Silva do Blog BebadoVinho. A escolha foi um vinho 100% Cabernet Franc. Uva que analisamos e escrevemos sobre suas características no especial Uvas(Veja Aqui!).

Meu vinho escolhido foi o Don Giovanni Cabernet Franc 2008, degustado e adquirido na última visita a vinícola, escolhi este vinho por que é um dos poucos Cabernet Franc com bom resultado no Brasil. Também já degustamos o Aurora Pequenas Partilhas Cabernet Franc 2011, que vale a pena conhecer.

Em conversa com vários produtores da Serra Gaúcha, muitos demonstram a intenção de voltar a dedicar espaço para a Cabernet Franc em seus respectivos vinhedos. Logo podemos ter mais opções nacionais desta casta para degustar.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta uma coloração rubi escura com borda violácea e leve opacidade, lagrimas abundantes e lentas. No olfato se destacam aromas de amadurecimento no carvalho, frutas vermelhas maduras, algo mentolado e o tabaco. Na boca é equilibrado, macio, tem um corpo de leve a médio, taninos presentes e bem integrados. Um final de boca com boa persistência e além de confirmar os aromas do olfato(notas vegetais).

É um bom Cabernet Franc. Vale a pena conhecer. Também indico visitar a vinícola, o restaurante e se tiverem a oportunidade, se hospedem e aproveitem ao máximo a aconchegante pousada da Don Giovanni.



 Visual
Rubi escura com bordas violácea e leve opacidade, lagrimas abundantes e lentas.
 Olfato
Aromas de amadurecimento no carvalho, frutas vermelhas maduras, algo mentolado e tabaco. 
 Gustativo
Equilibrado, macio, tem um corpo de leve a médio, taninos presentes e bem integrados. Um final de boca com boa persistência e confirmando os aromas do olfato.
 Harmonização
Harmonizou com bife de panela.

Por Jonas Magalhães


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Cabernet Franc: Características e Harmonização

Continuando a nossa série especial sobre as Uvas, hoje trazemos a famosa Cabernet Franc. 

Não confunda a Cabernet Franc com a Cabernet Sauvignon, ambas são da família Cabernet, sendo que a Cabernet Franc surgiu primeiro e juntamente com a Sauvignon Blanc deu origem a famosa Cabernet Sauvignon.

Ela faz parte do conhecido corte bordalês: Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc. Mas sua historia de uva coadjuvante esta começando a mudar, antes muito usada para fazer parte de vinhos assemblage, agora começamos a notar que grandes vinícolas abriram espaço para varietais de grande qualidade a partir da uva Cabernet Franc.

Principais Regiões

Como destacamos a Cabernet Franc tem presença forte em Bordeaux, por participar no corte da região. Na França ainda tem forte destaque no Vale do Loire. Ainda esta presente com bons resultados em varias regiões do Novo Mundo como EUA, o Chile e a Argentina. No Brasil ela já teve maior destaque, hoje temos poucos produtores dando importância a casta, mas como bons resultados como a Don Giovani, Casa Valduga, Valmarino e Aurora.

Características

Produz vinhos geralmente com uma coloração escura, o que ajuda muito na formação de assemblage's. Se comparamos com a Cabernet Sauvignon, ela apresenta maior suavidade nos taninos, menor acidez, um corpo mais leve e provavelmente maior gama aromática. Seus aromas mais conhecidos são frutas maduras(ameixa, groselha e cereja), especiarias, herbáceo e florais. Combinada com as barricas pode destacar aromas de baunilha, chocolate, tabaco, coco e terrosos.

Harmonização

A Cabernet Franc possui uma grande possibilidade de emparelhamento com comida. Indicada para acompanhar prato com média complexidade, por exemplo carne de porco, frango, avestruz, pato, filé mignon, todos acompanhados com temperos como manteiga, ervas finas, hortelã, louro, alho, cebola, pimentas, alecrim e pimentões. Outra dica é comida árabe e pizzas.

Temperatura de Serviço

A temperatura de serviço de um vinho Cabernet Franc que realça todos os seus aromas e sabores está entre 15° e 17°.

Outras Uvas

Para informações de outras uvas basta acessar nosso posts: Carménère, Tannat, Zinfandel, Tempranillo, Nebbiolo, Torrontés e Sauvignon Blanc.

Saúde!

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Pequenas Partilhas Cabernet Franc 2011

Vinícola: Aurora
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc
Álcool: 12,5%

Continuando a falar de vinhos nacionais. Hoje trago o Pequenas Partilhas Cabernet Franc 2011. Em minha viagem à Serra Gaúcha dediquei parte de minha curiosidade buscando bons Cabernet Franc, encontrei poucos. Esse post é dedicado a um dos bons vinhos que achei e gostei, postarei outros posteriormente.


Pequenas Partilhas Cabernet Franc não é engarrafado em todas safras, só nas safras especiais e com uvas selecionadas. São seis meses de estagio em barricas de carvalho francês e americano.

Vamos ao vinho: Na taça apresentou uma coloração vermelha translúcida com bordas atijoladas e lagrimas finas e abundantes. No olfato tem aromas de frutas frescas como cereja e amora, além de um toque de pimenta do reino, baunilha(adquirido no carvalho americano) e menta(característico).Na boca é leve e fresco, com taninos bem macios e acidez na medida. Boa persistência no final de boca.

É um ótimo vinho, a Cabernet Franc volta a moda na adega dos enófilos e o Brasil tem bons exemplares para se conhecer. O Pequenas Partilhas Cabernet Franc 2011 foi medalha de ouro no VIII Concurso Internacional de Vinhos Finos (Concurso Mundial de Bruxelas-Brasil), indico.


 

 Visual
Vermelho translucida com bordas atijoladas e lagrimas finas e abundantes.
 Olfato
Aromas de frutas frescas como cereja e amora, além de um toque de baunilha e menta.
 Gustativo
Leve e fresco, com taninos bem macios e acidez na medida. Boa persistência.
 Harmonização
Harmonizou bem com uma Lasanha bolonhesa

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Château La Grande Clotte 2008

Vinícola: Château La Grande Clotte
País: França
Região: St-Émilion - Bordeaux.
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc (20%), Merlot (80%).

Álcool: 13,5%
Preço: R$ 49,00



Situada em Lussac - Saint-Émilion, esta vinícola antiga possui 7 hectares de vinhedos próprios no Château. E conta com toda a experiência do enólogo Michel Rolland.


O vinho me apresentou uma cor rubi intensa, com reflexos violáceos. No olfato se destaca aromas defumados(tabaco), frutas secas(ameixa) e um toque herbáceo(folhas secas). Na boca tem um corpo médio, boa acidez e com taninos equilibrados.O carvalho se faz sentir e o final de boca é agradável com de média persistência 

Uma das maiores diversões dos enófilos é garimpar vinhos, achar bons vinhos, baratos e perdidos na prateleiras. Château La Grande Clotte 2008 é uma das minha "caças" bem sucedidas. Achei por R$49,00 e valeu cada centavo.


 Visual
 Rubi intenso com reflexos violáceos 
 Olfato
Frutas secas, defumado e herbáceo
 Gustativo
Redondo, taninos amáveis, carvalho presente e média persistência. 
 Harmonização
Molhos de média estrutura e carnes assadas.


Por Jonas Magalhães


terça-feira, 4 de junho de 2013

La Bélière Rouge 2010

Vinícola: Baron Philippe de Rothschild
País: França
Região: Bordeaux
Tipo: Tinto
Uva(s):
Merlot (60%) Cabernet Sauvignon (25%) e Cabernet Franc (15%)
Álcool: 13.5 %



A região de Bordeaux é mundialmente conhecida pela sua tradição em produzir bons vinhos, entretanto não podemos achar que todos vinhos produzidos por lá sejam de primeira linha, excepcionais.
La Bélière Rouge 2010 é um vinho simples da mundialmente famosa vinícola Baron Philippe de Rothschild, talvez por ser tão simples não chega a ter uma boa relação custo-beneficio. Vendido inicialmente na faixa de 45 reais, já não se mostrava uma boa compra, comprei em promoção por 34 reais , achei um preço plausível, mais não compraria de novo.
Vamos a análise do vinho: Na taça apresentou uma cor rubi bem escuro. No olfato me veio aromas de frutas vermelhas, me lembrando geleia de amora. Na boca é levemente frutado, com um corpo leve, sem grande persistência,  passa pela boca com sem grande destaque.
É um vinho de regular a bom, pode acompanhar bem refeições do dia a dia e como disse anteriormente, a relação custo-beneficio não é satisfatória.


Nota: 78

 Visual
 Rubi forte
 Olfato
 Frutas Vermelhas
 Gustativo
 Corpo leve, levemente frutado, sem persistência
 Harmonização
 Refeições do dia a dia