Mostrando postagens com marcador Cabernet Sauvignon. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cabernet Sauvignon. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 9 de março de 2017

Ótima seleção do Vinho Clube de Fevereiro

Esse mês o VinhoClube caprichou, recebi dois ótimos vinhos. Talvez tenha sido a melhor seleção que recebi desde que iniciei essa experiencia com o VinhoSite.

Domaine Viranel Rendez-Vous 2014 foi um acerto e tanto. Há algum tempo tenho apreciado muito a casta Cabernet Franc, este vinho de Languedoc é um Assemblage com Cabernet Franc (50%) e Cabernet Sauvignon (50%), apresentou bem as características da casta. Um vinho elegante, leve e bastante agradável. Destaca-se com aromas de frutas vermelhas e especiarias no olfato e um bom final de boca.

Quinta do Ribeiro Santo Tinto 2014 foi o outro vinho tinto com boa complexidade que veio na seleção do mês. Já é o terceiro vinho da Ribeiro Santo que analiso no Simplificando Vinho e todos agradaram, uma vinícola de ótima qualidade. Quinta do Ribeiro Santo Tinto 2014 agrada pela sedosidade na boca e um final de boca bem persistente. Um vinho com ótima acidez e que acompanhou muito bem uma bruschetta de quatro queijos.


Saúde!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Vulcanus Alpha Tempranillo 2014

Vinícola: Encomienda de Cervera
País: Espanha
Região: Castilla - La Mancha 
Tipo: Tinto
Uvas: Tempranillo e Cabernet Sauvignon
Álcool: 14%
Preço: R$102,00

A vinícola Encomienda de Cervera está localizada no coração do maciço vulcânico Campo de Calatrava, localizada em Alméria na Espanha.

Medalha de Ouro no Mundus Vini, o Vulcanus Alpha Tempranillo 2014 foi envelhecido 3 meses carvalho francês. 

Vamos ao vinho, na taça apresenta coloração rubi escuro com reflexos tímidos. No olfato destaque para aromas de de frutas maduras em combinação com especiarias. Na boca é equilibrado, com taninos domamos e boa acidez. Final de boca com média persistência e agradável.

Uma boa combinação entre a Tempranillo e a Cabernet Sauvignon. Vulcanus Alpha Tempranillo 2014 fez parte da seleção do Clube de Vinhos(VinhoClube) do Vinho Site. Ele pode ser adquirido separadamente no site.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

De Muller Solimar Crianza 2014

Vinícola: De Muller
País: Espanha
Região: Tarragona
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot
Álcool: 13,5%
Preço: R$71,99


Seguimos com a degustação dos vinhos do mês de Dezembro do Clube de Vinhos do VinhoClube. Já experimentamos o ótimo
Rosso Toscano Rivus 2014 e hoje vamos para a região D.O Tarragona, situada na região da Cataluña e que tem grande destaque na produção de CAVA's.

O vinho será o De Muller Solimar Crianza 2014, que tem como castas principais a Cabernet Sauvignon e a Merlot, ele tem passagem no carvalho e alguns meses na garrafa amadurecendo. 


Vamos ao vinho. Na taça apresenta uma coloração viva, rubi com brilho intenso e bordas violetas. No olfato tem boa complexidade, com aromas de frutas maduras, charuto, pimenta do reino e notas de chocolate. Na boca é equilibrado, com boa acidez e taninos bem domados. Final de boca agradável e com boa persistência.

De Muller Solimar Crianza 2014 é um vinho fácil de beber e com boa complexidade. Vale o investimento, um vinho honesto. VinhoClube acertou novamente na escolha dos vinhos do mês.

Saúde!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Vinho em Bag in Box? Gallo Rosso Casa Venturini 3L #CBE

Vinícola: Casa Venturini
País: Brasil
Região: 50% Campanha Gaúcha e 50% Serra Gaúcha
Tipo: Tinto - Bag in Box
Uvas: Cabernet Sauvignon
Álcool: 12,5%
Preço: R$52,00 (Bodega Express)

O tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE) de Julho/2014 foi escolhido pelo confrade
 Evandro Vanti Gonçalves, o tema foi um vinho tinto nacional sem passagem por barricas de carvalho. Como em minha adega não tinha nenhum vinho do tema, resolvi fazer o que há algum tempo queria: experimentar uma bag in box, pouco usual no Brasil, mas com bastante sucesso mundo afora. Já tinha degustado vinhos com este tipo de armazenamento em alguns restaurantes aleatórios. Mas nunca tive a oportunidade de ter um em casa para avaliar. Resolvi quebrar o preconceito.

Escolhi o bag in box da Casa Venturini, Gallo Rosso 3l, uma vinícula que estive visitando no inicio do ano. Neste vinho, metade das uvas são provenientes da Campanha Gaúcha e a outra metade é de Flores da Cunha, na Serra Gaúcha. É um vinho varietal 100% Cabernet Sauvignon, sem nenhuma passagem por barricas.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta uma cor rubi intensa e brilhante, com lágrimas abundantes. No olfato é bem frutado, com aromas de frutas vermelhas maduras como blueberry. Na boca é macio, frutado, equilibrado e fácil de beber.

A bebida não preza pela complexidade e excelência, mas admito que me surpreendeu pela sua
honestidade. É um vinho bem agradável e fácil de beber. Um boa opção para o dia a dia por um ótimo custo beneficio.

EVOLUÇÃO
Sua evolução também me surpreendeu, bebi durante uma semana. As alterações de aromas e sabores do vinho foram quase imperceptíveis.


Prós e Contras

Positivo:
  • O principal beneficio é a manutenção do sabor do vinho por bastante tempo, mesmo após aberto. 
  • Economia: uma bag in box equivale a 04(quatro) vinhos em garrafa. A média de preço da garrafa do Gallo Rosso nesta embalagem saí por R$13,00. O que é bem em conta.
  • Praticidade: leve para transportar e não quebra.

Negativo:
  • Não possui a mesma complexidade e evolução dos vinhos em garrafa.
  • Não tem o charme de abrir uma garrafa.
  • A bebida é mantida na geladeira e a temperatura de serviço não é ideal pois ela é servida gelada. A embalagem esconde as características do vinho no inicio, quando servida.


Saldo:

Não vejo a bag in box como uma ameaça a garrafa. Além de não ter o mesmo charme, ela não apresenta algumas das funcionalidades da garrafa, principalmente participação na evolução do vinho. No entanto vi boas características na "caixinha": Além de ser econômica, a vejo como um "curinga" para ser usada em festas, restaurantes/bares e para quem deseja gastar pouco e beber só uma taça por dia.



VisualRubi intenso e brilhoso
OlfatoFrutas vermelhas como blueberry
GustativoEquilibrado, macio e frutado 
HarmonizaçãoCarnes Vermelhas 

Por Jonas Magalhães


terça-feira, 1 de abril de 2014

Salton Talento 2007

Vinícola: Salton
País: Brasil
Região: Serra Gaúcha
Tipo: Tinto

Uvas: Cabernet Sauvignon(60%), Merlot(30%) e Tannat(10%).
Álcool: 13%
Preço: R$59,00



Salton Talento é um vinho premim da vinícola Salton. Um assemblage com maior porcentagem da Cabernet Sauvignon(60%). Ganhou o prêmio de Melhor Vinho Premium do Brasil pela ABS(Associação Brasileira de Sommeliers). 

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou uma coloração rubi, meio opaca. Com lágrimas densas e lentas. No olfato é bem complexo com aromas de frutas em compota( ameixa), café, chocolate amargo e coco queimado. Na boca é bem amplo, equilibrado, com taninos macios e de média acidez. Destaque ao final de boca prolongado.

É um vinho que me agradou bastante. Vale a pena comprar. É um vinho com um preço bem honesto. Mostrou-se com grande potencial, bebi este exemplar sete anos depois da safra e estava pleno.


 

 Visual
Rubi intenso opaco com lágrimas lentas e densas.
 Olfato
Frutas vermelhas em compota, café, chocolate amargo e coco queimado.
 Gustativo
Equilibrado, com taninos macios e média acidez e boa persistência.
 Harmonização
Carnes vermelhas, carnes de caça, queijos fortes e massas condimentadas

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 1996

Vinícola: Carmelo Patti
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Sauvignon

Álcool: 13,4%


Sabe aquele vinho especial, que você guarda para um ocasião também especial? Este é o Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 1996 que comprei em Buenos Aires, indicado por quase todos amigos hermanos que gostam de um bom vinho.

Comprei duas garrafas, um da safra 1996 - que iremos tratar neste post - e outro 2004(safra histórica), hoje devidamente descansando em minha adega. 


Comemorando meu aniversario de casamento, abri o "velhinho" Carmelo Patti CS 1996. São quase 18 aninhos... chegando a sua "maioridade penal".

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou lágrimas lentas e densas( já mostrando-se encorpado). Uma cor intensa, rubi com bordas laranjas lembrando ferrugem(marcas de sua evolução). No olfato é um "mundo" de aromas, se destaca chocolate amargo, café, tabaco, especiarias e frutas secas. Achei ainda aroma de capim seco. Na boca é equilibrado e elegante, com taninos "domados" e acidez na medida. Com toques de frutas secas e um defumado gostoso. Final de boca prolongado.

Correspondeu à todas expectativas, chegando aos seus 18 anos em plena forma. Acompanhou muito bem um Boeuf Bourguignon.

Nota: 95/100



 Visual
Rubi com bordas laranja ferrugem
 Olfato
Fruta em compota, chocolate amargo, especiarias, couro, cafe e tabaco.
 Gustativo
Equilibrado, taninos "domados", agradabilíssimo, fruta em compota e o defumado, com final longo 
 Harmonização
Harmonizei com Boeuf Bourguignon

Por Jonas Magalhães


terça-feira, 12 de novembro de 2013

Toro de Piedra Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2010

Vinícola:Vina Requingua
País: Chile

Região: Vale Conchagua
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Sauvignon

Álcool: 13%



Resolvi experimentar um vinho que trouxe de minha ultima viagem a Santiago. Bem indicado, abri com boa expectativa. Pois bem, não decepcionou.

Na taça apresenta um rubi com bordas roxas. No olfato abre-se aromas de frutas vermelhas como morango e cereja, hortelã e baunilha. Na boca é equilibrado, redondo e como um ótimo final(bem prolongado).

É vendido no Brasil a um preço bem honesto para sua qualidade. Vale a pena experimentar.



 Visual
Rubi com bordas roxas
 Olfato
Frutas vermelhas, hortã e baunilha
 Gustativo
Equilibrado, redondo, taninos domados e bom final de boca.
 Harmonização
 Carnes vermelhas

Jonas Magalhães

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Viña Betola Tinto 2011

Vinícola: Bodegas Pio del Ramo
País: Espanha
Região: Jumilla
Tipo: Tinto
Uvas: Monastrell (60%), Syrah (25%) e Cabernet Sauvignon (15%)

Álcool: 14,5%
Preço: R$54,00



Um vinho espanhol, orgânico, que veio juntamente com Pio Ecológico 2010, comprado em um clube de vinhos. 
Diferentemente do seu companheiro, este é uma assemblage, que traz um corte de Monastrell; a Syrah e a Cabernet Sauvignon. 

Betola Tinto 2011 apresentou na taça uma cor rubi reflexivo. No olfato apresenta aromas tímidos de frutas vermelhas(maduras), terra moladas, folha seca e alguns aromas desconhecidos, que não consegui identificar. Na boca é áspero, um toque frutado, taninos firmes(ásperos) e com final de boca de média persistência. 

Me pareceu um vinho básico, correto, mais bem simples. Não vale os R$54,00 investidos.

Nota: 83/100

 

 Visual
Rubi intenso
 Olfato
Frutas maduras, terra molhadas e folhas secas
 Gustativo
Firme na boca, abstringete e média persitencia 
 Harmonização
Carne de porco
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Febre Montmayour Gran Vin 2008

Vinícola: Domaine Vistalba
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Tinto
Uva
: 85% Malbec, 10% Cabernet Sauvignon e 5% Merlot
Álcool: 14,5%



Anteriormente já abordamos, aqui no blog, o vinho básico da linha Febre Montmayour, da Bodega Vistalba - Fabre Montmayou Reserva Malbec 2009 -ótimo por sinal. Agora, tivemos a oportunidade de, na Argentina, experimentar o Febre Montmayour Gran Vin 2008 que sem dúvida é um grande vinho. 
No taça é bonito, com um rubi intenso, bolhas e bordas roxas, além de lágrimas densas e abundantes. No olfato se destaca o fundo defumado e aromas doces como caramelo, baunilha e chocolate. Na boca é estruturado, com taninos firmes e corpo que confirma o olfato: um defumado marcante. Elegante e equilibrado com o final de boca persistente.
Um bom exemplar de vinhos argentinos com um toque de Bordeaux. Experimentamos a bebida n'um restaurante e por isso não tivemos o tempo ideal para decantar o vinho. Acreditamos que uma boa dica possa ser a de decanta-lo por uma hora.

Nota: 92/100
 

 Visual
 Rubi Intenso com bordas e bolhas roxas
 Olfato
 Caramelo, chocalate, baunilha e defumado
 Gustativo
 Equilibrado, Taninos firmes, elegante eboa persistência
 Harmonização
 Carnes Vermelhas
Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

RAR Cabernet Sauvignon / Merlot 2009

Vinícola: RAR
País: Brasil
Região:Campos de Cima da Serra/RS
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Sauvignon e Merlot


A RAR é uma parceria entre o grupo Miolo com Raul Anselmo Randon. Um vinho comprado a R$40 no inicio do ano, hoje se acha por R$36 ou menos.
O vinho me apresentou uma cor rubi forte. No olfato uma destacada presença do álcool e completando sem grande destaque um leve toque de frutas vermelhas. Na boca se mostra com um corpo médio, acidez forte e com álcool presente.
É um vinho que se mostra agressivo, tanto no álcool como acidez. Indico decantar bastante. Mesmo assim fiquei decepcionado, esperava um vinho melhor.

 Visual
 Rubi Forte
 Olfato
 Álcool e frutas vermelhas
 Gustativo
 Acidez forte e álcool
 Harmonização
 Carne Assada
Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Victoria Park Cabernet - Shiraz 2011

Vinícola: Victoria Park
País: Austrália
Região: Barossa Valley
Tipo: Tinto
Uva: Cabernet Sauvignon (91%) e Shiraz (9%)
Álcool: 13%
Preço: 46,00


A Austrália tem ganhado cada vez mais a atenção do amantes do vinho. Analisamos aqui um vinho que trás uma combinação comum na ilha, Cabernet com Shiraz. Só que este exemplar é o inverso da combinação tradicional, aonde geralmente a Shiraz é a uva predominante, neste vinho a Cabernet Sauvignon se faz presente com 91%. Nem o produtor, nem a importadora revelam qual o tempo exato de estagio em barricas, afirmam que é um breve tempo. 
O vinho se apresenta na taça com uma cor rubi bem forte e bordas violáceas. No olfato o senti um pouco fechado, com o tempo identifiquei aromas leves de frutas vermelhas( cereja) e especiarias. Na boca se mostrou com um corpo de médio a leve densidade, com taninos presentes e um fundo levemente frutado, equilibrado e um final de boca com média persistência.
É um vinho correto, só que sem grandes destaques. Não o achei um bom custo beneficio, na casa dos R$46,00, se pode encontrar vinhos melhores, inclusive australianos.

Nota: 83/100


Visual
 Rubi forte com bordas violeta 
Olfato
 Cereja e especiarias
Gustativo
 Equilibrado, corpo médio e leve frutado
Harmonização
 Costela, kafta e risoto parma
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Primus Reserva 2007

Vinícola: Veramonte
País: Chile
Região: Colchágua
Tipo: Tinto
Uva: Assemblage
Álcool: 14,5%
Preço: 38,00


O Primus é o ícone da Viña Veramonte , Colchágua(Chile). É um vinho de corte(65% Cabernet Sauvignon, 20% Syrah, 8% Merlot e 7% Carmenere). Sem dúvida é um dos melhores custo benefícios que experimentei esse ano. Vendido a 38,00 reais, é um vinho bem complexo e com um potencial de evolução.


Na taça me apresentou uma cor rubi bem forte, com bordas meio alaranjadas, sinais de evolução. No olfato com inicio meio "preso", se abriu na taça com o passar do tempo, apresentando aromas terrosos, especiarias, frutado e chocolate. Na Boca é equilibrado, taninos firmes e acidez na medida, com boa persistência.

Sem dúvida é um vinho que vale a pena ter em sua adega e o preço é convidativo, pois no Brasil, vinhos com essa qualidade certamente passam de 70,00 reais.

Obs: O Primus 2007 foi o 11º vinho mais vendido pela internet em 2011, na maior rede de venda de vinhos on-line do Estado Unidos.

Nota: 89/100


 Visual
 Rubi forte e borda alaranjadas
 Olfato
 Especiarias, chocolate e frutas escuras
 Gustativo
 equilibrado, taninos intensos e bom final
 Harmonização
 Cordeiro

Por Jonas Magalhães

domingo, 7 de julho de 2013

Errazuriz Max Reserva Cabernet Sauvignon 2009

Vinícola: Errazuriz
País: Chile
Região: Vale do Aconcágua
Tipo: Tinto
Uva: Cabernet Sauvignon (88%), Cabernet Franc (12%)
Álcool: 14%


Este foi um dos vinhos que escolhei para trazer da minha ultima viagem ao Chile, Errazuriz é um das melhores vinícolas Chilenas, desde sua linha básica aos ícones, possui excelentes vinhos.
Errazuriz Max Reserva Cabernet Sauvignon 2009, é maturado por 12 meses, sendo 33% de barricas novas (83% barricas de carvalho francês e 17% com barricas de carvalho americano). 
O vinho na taça me apresentou lágrimas abundantes e um líquido de cor rubi com borda violeta. No olfato os aromas de frutas vermelhas se destacaram, como morango e cereja. Na boca é elegante, sedoso e bem equilibrado, com acidez maravilhosa, destaque para um final prolongado e bem agradável. É um vinho bem encorpado, gostoso e  que vale apreciar cada gota. Excelente exemplar chileno. Indico!

Nota:92/100

 Visual
 Rubi com borda violetas e lágrimas abundantes
 Olfato
 Frutas vermelhas
 Gustativo
 Equilibrado, encorpado e boa persistencia
 Harmonização
 Carne vermelhas

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Santa Carolina Reservado Cabernet Sauvignon 2011

Vinícola: Viña Santa Carolina
País: Chile
Região: Vale Central
Tipo: Tinto
Uva: Cabernet Sauvignon
Álcool: 12.5 %

Preço: 16,50

 
Depois de alguns amigos me perguntarem a opinião sobre este vinho e também pela facilidade em que encontramos nos supermercados, resolvi escrever sobre ele.
Muito consumido pelo público que bebe esporadicamente vinhos e que quer gastar pouco, é um vinho muito popular, que também se deve pela sua presença em quase todas prateleiras de supermercados.
A Viña Santa Carolina é um vinha bem tradicional no Chile, sofreu com ultimo terremoto e se reestruturou rápido, comercializa desde a linha de vinho popular a vinhos ícones, como o Herencia 2008.
Aqui analisamos o Santa Carolina Reservado Cabernet Sauvignon 2011, que no mercado encontramos na faixa de 15,00 a 20,00 reais.
Vamos ao vinho: Na taça é rubi, meio opaco. No olfato é frutado, sem grande complexidade e intensidade. Na boca é bem leve, rápido e fica uma sensação de "aguado".
É um vinho super simples, vale a pena pagar uns reais a mais e comprar um vinho melhor ou até mesmo se dedicar a garimpar as prateleiras atrás de um vinho com custo-beneficio melhor.

Nota: 72/100

 Visual
 Rubi
 Olfato
 Frutado, sem intensidade
 Gustativo
 Leve e rápido na boca
 Harmonização
 Refeições leves

terça-feira, 25 de junho de 2013

Urmeneta Cabernet Sauvignon 2012

Vinícola: Viña Urmeneta
País: Chile
Região: Vale Central
Tipo: Tinto
Uva: Cabernet Sauvignon
Álcool: 13.5 %

Preço: 13,00

 
Mais um vinho simples da Viña Urmeneta, já escrevi sobre o Urmeneta Carménère 2012, que gostei.
Hoje escrevo sobre o Urmeneta Cabernet Sauvignon 2012, também vendido a um preço bem abaixo do que se praticado no mercado brasileiro. Entretanto confesso que preferi o Carménère.
No visual é rubi e com lagrimas rápidas. No olfato tem aromas doces, frutas vermelhas. Na boca é seu maior defeito, sem grandes destaques, com pouca densidade, quase sem taninos, passa pela boca rápido e não deixa marca alguma.

Nota: 72/100


 Visual
 Rubi
 Olfato
 Aromas doce, Frutas vermelhas maduras
 Gustativo
 Leve e pouca densidade
 Harmonização
 Comida leve
Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Louis M. Martini Cabernet Sauvignon 2010

Vinícola: Bridlewood
País: Estados Unidos
Região: Sonoma
Tipo: Tinto
Uva(s): Cabernet Sauvignon
Álcool: 13.5 %


Um ótimo vinho! Louis M. Martini Cabernet Sauvignon 2010 me encantou, um vinho gostoso de se beber e muito saboroso. Fácil na boca, com um corpo frutado e bem harmônico.
Produzido em Sonoma - Califórnia, um centro de referência na produção dos bons vinhos americanos. Este exemplar é um variental da casta Cabernet Sauvignon, que passou por nove meses em barricas de carvalho.
Vamos ao vinho! Na taça me apresentou lagrimas medianas, um liquido de cor densa, um rubi bem escuro. No olfato é bem frutado, com aromas de frutas vermelhas escuras, amora e ameixa preta. Na boca é redondo, equilibrado, com acidez na medida e um frutado me lembrando cereja e um pouco de geleia de amora.
Um vinho que vale cada centavo gasto(R$45,00), gostei bastante, harmonizei com costela suína e batatas frita.

Nota: 90/100


 Visual
 Rubi denso, bem escuro.
 Olfativo
 Frutas vermelhas, ameixa preta e amora.
 Gustativo
 Equilibrado, frutado, cereja e geleia de amora.
 Harmonização
 Costela suína e batata fritas.


terça-feira, 4 de junho de 2013

La Bélière Rouge 2010

Vinícola: Baron Philippe de Rothschild
País: França
Região: Bordeaux
Tipo: Tinto
Uva(s):
Merlot (60%) Cabernet Sauvignon (25%) e Cabernet Franc (15%)
Álcool: 13.5 %



A região de Bordeaux é mundialmente conhecida pela sua tradição em produzir bons vinhos, entretanto não podemos achar que todos vinhos produzidos por lá sejam de primeira linha, excepcionais.
La Bélière Rouge 2010 é um vinho simples da mundialmente famosa vinícola Baron Philippe de Rothschild, talvez por ser tão simples não chega a ter uma boa relação custo-beneficio. Vendido inicialmente na faixa de 45 reais, já não se mostrava uma boa compra, comprei em promoção por 34 reais , achei um preço plausível, mais não compraria de novo.
Vamos a análise do vinho: Na taça apresentou uma cor rubi bem escuro. No olfato me veio aromas de frutas vermelhas, me lembrando geleia de amora. Na boca é levemente frutado, com um corpo leve, sem grande persistência,  passa pela boca com sem grande destaque.
É um vinho de regular a bom, pode acompanhar bem refeições do dia a dia e como disse anteriormente, a relação custo-beneficio não é satisfatória.


Nota: 78

 Visual
 Rubi forte
 Olfato
 Frutas Vermelhas
 Gustativo
 Corpo leve, levemente frutado, sem persistência
 Harmonização
 Refeições do dia a dia


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dal Pizzol Do Lugar Merlot / Cabernet Sauvignon 2010

Produtor: Dal Pizzol
Tipo: Tinto
Castas: Merlot / Cabernet Sauvignon
Safra: 2010
País: Brasil
Região: Bento Gonçalves
Álcool: 13,0%

Um vinho simples, para seu dia a dia, que vai atender bem qualquer prato simples, que não tenha muita complexidade.
Esse é o Do Lugar , a linha mais simples da vinícola Dal Pizzol. Elaborado a partir das castas Merlot e Cabernet  Sauvignon, é um vinho que consegue ter a características de ambas, o corpo e os taninos da Cabernet e a macies da Merlot.
Na taça me apresentou a cor rubi, bem forte. No olfato frutas vermelhas, não consegui especificar uma fruta especifica. Na boca é simples, maciez que lembrava geleia de morango, um pouco de acidez e com final rápido e doce. 
Não é um vinho muito complexo, mais acompanha bem o dia a dia, até 25 reais vale a pena, acima deste valor se encontra vinho bem melhores.

Nota: 80/100


 Visual
 Rubi Forte
 Olfato
 Frutas Vermelhas
 Gustativo
 Simples, macio, rápido e doce no final
 Harmonização
 Massas, queijos, pizza e aves