Mostrando postagens com marcador Carmenere. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Carmenere. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013

Vinícola: Torreón de Paredes
País: Chile
Região: 
Valle del Alto Cachapoal
Tipo: Tinto
Uvas: 95% Carménère e 5% Cabernet Sauvignon

Álcool:13,5%
Preço: R$75,40 (Vinho Site)



Quando pensamos no Chile e em vinho, não podemos deixar de pensar na Carménère, uva símbolo da terra natal de Pablo Neruda. Já escrevemos até mesmo um especial sobre as características desta casta aqui no Simplificando Vinho (Veja).

Hoje, em parceria com o clube de vinhos da Vinho Site, o vinhoclube, vamos analisar o Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta lágrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue. No olfato é agradável, com aromas claros e representativos. Trás a tipicidade da casta no Chile, com destaque para aromas de frutas vermelhas maduras, pimentão, especiarias e chocolate. Na boca é redondo, equilibrado, com uma maciez envolvente, taninos maduros e com final de 
boca contínuo com toques frutados.

O Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013 é um vinho bem fácil de beber, passa pela garganta escorregadio, sem deixar nenhuma sensação desagradável. É um vinho bem tranquilo de servir em qualquer situação. Fácil de achar, esta garrafa veio através do vinhoclube. Comecei no clube com o pé direito.

Estou disponível para trocar opiniões. Se bebeu e tem algo a comentar, não hesite! Aguardo sua participação nos comentários. 

 Visual
Lagrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue
 Olfato
Frutas vermelhas, pimentão, especiarias e chocolate.
 Gustativo
Redondo, com uma maciez envolvente. É equilibrado e com final de boca persistente, com toques frutados.
 Harmonização
Harmonizei com pastel de bacalhau


Por Jonas Magalhães



quarta-feira, 1 de junho de 2016

Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014 #CBE

Vinícola: Peralillo Wines
País: Chile
Região: Valle do Maule
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc(
60%) e Carmenere(40%)
Álcool: 13,5%
Preço: R$39,90


Em mais uma avaliações de vinho especialmente para Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). Hoje trazemos o Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014, foi o vinho escolhido para o tema da Confraria de Junho/2016 e indicado por Deco Rossi, do site Winet. O tema definido foi: "Vinho de corte, com 50% ou mais de Cabernet Franc".

O Valle do Maule fica a 300km ao sul de Santiago. O vinho em questão trás uma clara referência ao Parque Nacional Altos del Lircay, importante reserva natural próxima aos Andes na região do Maule. A vinícola fica em San Raphael. A região não tem um grande destaque no mapa do vinho no Chile, no entanto está chamando a atenção ultimamente, principalment
e com a casta Carignan, vale conferir.

Vamos ao vinho. Ele apresenta uma coloração rubi com reflexos brilhantes. No olfato trás o eucalipto da carmenere, toques apimentados, algo defumado e caramelo. Na boca é equilibrado, apresenta um bom corpo com acidez na medida e o tanino presente e domado. A fruta marca presença num final de boca agradável e de razoável persistência.

É um vinho que apresenta as características das duas uvas no corte com equilíbrio. Me pareceu bastante honesto e voltaria a compra-lo de novo. Simples, barato e gostoso. 

 Visual
Rubi com reflexos brilhantes
 Olfato
Eucalipto, toques apimentados, defumado e caramelo
 Gustativo
Equilibrado, acidez na medida e o tanino presente e domado. Final de boca frutado, agradável e de razoável persistência.
 Harmonização
Carnes vermelha leves.

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012

Vinícola: Casa Silva
País: Chile
Região: Valle Colchagua
Tipo: Tinto
U
vas: Carménère(100%)
Álcool: 13,5%


Já escrevemos sobre a uva Carménère aqui no site, suas características e harmonização. A casta tem muito destaque na produção chilena e grandes resultados no Valle do Colchagua, com ótimos vinhos. A Casa Silva é uma viña que merece a confiança em seus vinhos e tem ótimos resultados com a casta.

Vamos ao Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012. Na taça tem um rubi bem escuro e pequena borda púrpura. No olfato apresenta aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), um fundo herbáceo e leve toque tostado. Na boca é equilibrado, boa acidez, tanino presente e domado. Final de boca com média duração. Pede um acompanhamento.

Um vinho correto e de grande expressividade, retrata bem as características da casta e do terroir. Vale a pena experimentar.



 Visual
Rubi bem escuro e pequena borda púrpura.
 Olfato
Aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), fundo herbáceo e leve toque tostado.
 Gustativo
Equilibrado, boa acidez, taninos presente e domado. Final de média duração.
 Harmonização
Carne de caça

Por Jonas Magalhães

domingo, 18 de maio de 2014

Estación Carménère 2012

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Valle do Colchagua
Tipo:Tinto
Uvas: Carménère

Álcool: 13%
Preço: R$22,00


O patamar dos preço de vendas de vinhos no Brasil chegou a um ponto que é difícil vocês acharem bons vinhos por menos de 30 reais. Aqui no site sempre procuramos dar dicas de vinhos que bebemos, gostamos e que possui boa relação custo beneficio. 

O Estación é um vinho que bebo desde a safra 2009 e sempre me impressiono com este Carménère - um ótimo vinho por acessíveis 22 reais. Não posso dizer o mesmo do Cabernet Sauvignon da linha, que apesar de valer o preço, não é tão bom quanto seu irmão Carménère que sem dúvida é um dos melhores custo benefícios do mercado de vinhos. Ainda vou experimentar o Shiraz.

Vamos ao vinho: na taça apresenta um visual rubi intenso e brilhante, com lágrimas finas e rápidas. No olfato tem aromas herbáceos (comum da uva), frutas vermelhas como morango e groselha, além de toques de especiarias. Na boca é equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas.

É um vinho bem feito, fácil de beber, barato, com uma relação custo beneficio mais que honesta. Bebi sem acompanhar nenhum prato, mais acredito que acompanhe bem refeições leves e sanduíches.


 

 Visual
Rubi intenso e brilhante, com lagrimas finas e rápidas
 Olfato
Herbáceos, frutas vermelhas como morango e groselha. Toques de especiarias
 Gustativo
Equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas
 Harmonização
Tomei sem acompanhar nada.


Por Jonas Magalhães












quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Chono Single Vineyard Carménère 2012

Vinícola: Geo Wines
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: 
Carménère (85%), Syrah (7%) e Petite Syrah (8%)
Álcool: 14%
Preço: R$53,00


Abordamos hoje mais um vinho da Geo Wines, já analisamos aqui no blog o Chono Pinot Noir 2012 e hoje escrevemos sobre o exemplar Carménère.

Vamos ao vinho. Na taça é rubi escuro com tons violáceos, lágrimas densas. No olfato se destacam as frutas vermelhas maduras ou compota, o estágio nas barricas se pronunciam bastante com aromas tostados, chocolate e baunilha. Lembrando que é importante estar na temperatura ideal, pois se o vinho estiver quente o álcool vai se pronunciar de forma desagradável. Na boca apresenta um corpo mediano com taninos bem suaves e frutados. O carvalho não esconde as frutas, tanto no olfato quanto na boca. 

É um bom vinho, bem agradável ao paladar comum, com aromas bem frutados com toque de madeira. Esta no limite de ser uma relação honesta no preço benefício.

Nota: 87/100

 

 Visual
 Rubi escuro com bordas violáceas
 Olfato
Frutas vermelhas em compota e aromas tostados
 Gustativo
Taninos macios e frutado
 Harmonização
Massas leves

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Canepa Finísimo Carménère 2011

Vinícola: Viña Canepa
País: Chile
Região: Vale do Rapel
Tipo: Tinto
Uvas: 
Carménère (90%) e Cabernet Sauvignon (10%)
Álcool: 14,5%
Preço: R$61,00



Da respeitadíssima vinícola chilena Canepa. Da linha Gran Reserva, este exemplar passa por 14 meses carvalho.

Na taça apresenta um visual vermelho rubi sangue, com poucas e rápida lagrimas. No olfato a principio senti um destaque do álcool, com tempo se abriu com aromas de frutas vermelhas maduras(ameixa, cereja) e um toque de especiarias. Na boca é frutado, com taninos macios, um corpo denso e um pouquinho de álcool também.

Nota: 90/100
 

 Visual
Rubi sangue, poucas e lagrimas rápidas.
 Olfato
Frutas vermelhas maduras, especiarias e álcool.
 Gustativo
 Frutado, taninos macios, denso e pouquinho de álcool.
 Harmonização
Queijos maduros e massas com molho vermelho.

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Primus Reserva 2007

Vinícola: Veramonte
País: Chile
Região: Colchágua
Tipo: Tinto
Uva: Assemblage
Álcool: 14,5%
Preço: 38,00


O Primus é o ícone da Viña Veramonte , Colchágua(Chile). É um vinho de corte(65% Cabernet Sauvignon, 20% Syrah, 8% Merlot e 7% Carmenere). Sem dúvida é um dos melhores custo benefícios que experimentei esse ano. Vendido a 38,00 reais, é um vinho bem complexo e com um potencial de evolução.


Na taça me apresentou uma cor rubi bem forte, com bordas meio alaranjadas, sinais de evolução. No olfato com inicio meio "preso", se abriu na taça com o passar do tempo, apresentando aromas terrosos, especiarias, frutado e chocolate. Na Boca é equilibrado, taninos firmes e acidez na medida, com boa persistência.

Sem dúvida é um vinho que vale a pena ter em sua adega e o preço é convidativo, pois no Brasil, vinhos com essa qualidade certamente passam de 70,00 reais.

Obs: O Primus 2007 foi o 11º vinho mais vendido pela internet em 2011, na maior rede de venda de vinhos on-line do Estado Unidos.

Nota: 89/100


 Visual
 Rubi forte e borda alaranjadas
 Olfato
 Especiarias, chocolate e frutas escuras
 Gustativo
 equilibrado, taninos intensos e bom final
 Harmonização
 Cordeiro

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Veramonte Carménère Reserva 2011

Vinícola: Veramonte
País: Chile

Região: Conchagua
Tipo: Tinto
Uva: 95% Carmenere, 5% Cabernet Franc
Álcool: 14,5%
Preço: R$26,00


Um vinho simples, que não contém grandes erros. Equilibrado, no entanto não apresenta grandes complexidades. Veramonte Carménère Reserva 2011 na taça apresenta lagrimas rápidas e um rubi forte bem reflexivo. No nariz é tímido, com aromas lembrando especiarias(noz e pimenta do reino) se destacando, com um fundo leve de frutas vermelhas. Na boca o álcool se faz presente sem incomodar, com o corpo leve a médio, equilibrado, fresco, com boa acidez e  retragosto com pequena persistência.
É um exemplar que pode ser considerado um vinho que vale o que se paga, vendido no Brasil ao mesmo preço que o praticado nos Estados Unidos(R$26,00) é um vinho que não te surpreenderá, não é uma boa relação custo-benefício, mais também não é ruim, é honesto.

Nota: 81/100


 Visual
 Rubi forte bem reflexivo
 Olfato
 Especiarias e fundo frutado
 Gustativo
 fresco, leve e boa acidez
 Harmonização
 Pizza e comida com médio corpo

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Portal del Alto Carmenere 2010

Vinícola: Portal Del Alto
País: Chile
Região: Maule
Tipo: Tinto
Uva: Carmenere
Álcool: 14%

A vinícola Portal del Alto é uma pequena boutique do vinho na capital Chilena. Comandada por Alejandro Hernandez, um dos enólogos mais respeitados do mundo, a viña vem sendo premiada todos anos nos diversos concursos mundo a fora, reconhecendo a qualidade de seus vinhos.
Vamos analisar aqui o vinho de entrada da vinícola, o varietal Carmenere.
Na taça apresenta lagrimas rápidas, um brilho forte e uma cor rubi com bordas de sangue. No nariz me veio forte o álcool, com a evolução na taça me apresentou com destaque especiarias e no fundo aromas ligeiros de frutas vermelhas. Na boca é "quente", uma boa presença do álcool, acidez na medida e final de boca pouco persistente.
Portal del Alto Carmenere 2010 é um vinho razoavelmente barato, entretanto nessa faixa de preço se encontra vinhos melhores, até mesmo vale a pena investir um pouco mais e comprar um vinho da linha reserva da Portal del Alto.



 Visual
 Rubi com bordas de sangue
 Olfativo
 Especiarias
 Gustativo
 Alcool, boa acidez e pouco persitente
 Harmonização
 Carnes leves

sábado, 22 de junho de 2013

El Huique Carménère 2011

Vinícola: Viña El Huique
País: Chile
Região: Colchagua
Tipo: Tinto
Uva: Carménère
Álcool: 14.0 %

Preço: R$ 28,90

El Huique Carménère 2011 é um bom vinho e honesto. Adquirido através de um clube de vinho, se acha na internet por R$28,90. Um vinho honesto, como personalidade e representa bem a fama da Carménère, um bom vinho.
No visual apresenta uma cor vermelha rubi, brilhante com bordas roxas. No olfato tem aromas terrosos, minerais e um leve toque frutas vermelhas, baunilha. Na boca é equilibrado e confirma os aromas no nariz, com taninos leves e uma acidez na medida.
Um vinho que não passou em barrica. Com personalidade, equilibrado e gostoso. Deixou boa impressão.

Nota: 86/100 


 Visual
 Vermelha rubi brilhante com bordas roxas
 Olfato
 Mineral e baunilha
 Gustativo
 Mineral, equilibrado e redondo
 Harmonização
 Massas


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Urmeneta Carménère 2012

Vinícola: Viña Urmeneta
País: Chile
Região: Vale Central
Tipo: Tinto
Uva: Carménère
Álcool: 13.7 %


Um simples, que vale muito o que se paga.Comprei descompromissado, muito mais pelo preço. Me surpreendi, pois me apresentou um vinho simples, entretanto com algumas qualidade, digestivo e saboroso. Mais vale destacar que sua maior qualidade é realmente o preço.
No visual, foi bem escuro, um rubi forte. No olfato é frutado levemente, mais forte nas especiarias. Na boca foi equilibrado e confirmou os aromas no olfato, principalmente pimenta.
Um vinho que comprei a 13 reais e valeu a compra. Pode-se considerar um vinho para o dia a dia, principalmente pelo preço, nessa faixa de preço dificilmente encontramos vinhos com alguma qualidade.

Nota: 79/100


Visual
 Rubi
Olfativo
 Pimenta, cereja leve
Gustativo
 Acido na medida, pimenta, equilibrado.
Harmonização
 Massas


terça-feira, 21 de maio de 2013

Carmen Classic Carmenère 2011

Produtor: Viña CarmemTipo: Tinto
Região: Valle Central
País: Chile
Uvas:
Carmenère (85%) e Cabernet Sauvignon (15%)
Álcool: 13,5%


Um vinho informal, que pode ser bebido no seu dia a dia e ter agradar plenamente, assim descrevo Carmen Classic Carmenère 2011. Bebi em um momento de descontração e me atendeu plenamente.
Na taça me apresentou uma cor rubi com bordas violetas bem escuras, bem límpido e com lagrimas timidas. No olfato me veio bem frutado, frutas vermelhas. Já boca é bem redondo, fresco e com notas bem herbáceas. Fácil de beber e gostoso. Indico.

Nota: 85/100


 Visual
 Rubi com bordas violetas 
 Olfato
 Frutas vermelhas
 Gustativo
 Redondo e fresco
 Harmonização
 Prato leves

Por Jonas Magalhães

sábado, 18 de maio de 2013

Casillero Del Diablo Reserva Carménère 2011

Produtor: Concha y Toro
Tipo: Tinto
Castas: Carménère
Safra: 2011
País: Chile
Região: Valle Central
Álcool: 13,5%


Este vinho é mundialmente conhecido e de uma das maiores vinícolas do mundo: a Concha y Toro. Intitulado Casillero del Diablo possui este nome porque seu produtor, Don Melchor , originalmente, criou uma lenda para evitar a perda da sua melhor bebida, que estava sendo roubada. Segundo a história, nos porões da vinícola onde se localizava a adega, vivia o "espirito do mal". O conto se espalhou pela redondeza e os furtos pararam de acontecer.
O vinho que analiso é elaborado a partir da uva Carménere. Na taça possui lágrimas abundantes, finas e rápidas. Sua cor é rubi brilhante. No olfato senti a presença forte de  especiarias, principalmente a pimenta do reino. Minha esposa destacou o cheiro de eucalipto. Na boca o senti adstringente, seco, porém equilibrado, frutado e macio ao final.
Além de tudo isso, seu preço acessível (de 25 a 35 reais) proporciona um ótimo custo-beneficio! 

Nota:83/100

 Visual
 Rubi brilhoso
 Olfato
 Especiarias, Pimenta e eucalipto
 Gustativo
 Adstringente, equilibrado, frutado e macio
 Harmonização
 Refeições do dia a dia e sanduíches.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Miguel Torres Gran Reserva Carménère 2009

Vinícola: Miguel Torres
País: Chile
Região: Vale Colchagua
Tipo: Tinto
Uva: Carménère
Álcool: 14%


O vinho que abordo hoje, me trouxe uma observação no ato em que abri a caixa de transporte, sua apresentação(rótulo, cores e os fios cor de ouro) era belíssima. Se isso é importante? Vai de cada um. Na minha opinião, assim como qualquer comida, a apresentação e a imagem do prato me instigam a experimentar.
Este exemplar é de uma vinícola de família espanhola que levou toda sua tradição para o Chile. Este vinho trás a uva emblemática, a carménère. Passou por 15 meses em estágio nas barricas de carvalho, o que o faz denominar-se como Gran Reserva. 
Depois de aberto, deixei-o respirar por uma hora, sem decantar. Na taça me apresentou lagrimas tímidas sem grande volume. Sua cor era um rubi com borda em tons de vermelho sangue.
No Olfato senti uma surpresa, não tinha uma presença destacada da madeira, já que passou por um bom tempo na barrica. Só fui sentir a presença da madeira, levemente, durante a evolução na taça. Também me trouxe um aroma de pimenta do reino e algumas especiarias sem grande destaque. Outro amigo me destacou a menta.
Na boca, desde o primeiro contato, foi equilibrado e com taninos suaves, com um volume médio, sem grande acidez.
No geral é um vinho agradável de se beber com algumas características interessantes. Ressalto que não é um mal custo-beneficio, valeu o que paguei, entretanto, ressalto a expectativa que ele me gerou como sua intitulação Gran Reserva. O fato é que ele não chegou a uma complexidade que se esperava de um vinho que passou tanto tempo em barrica, não ganhou o corpo e aromas, tanto em qualidade como em volume desejado. 
Fico na expectativa no outro exemplar, Miguel Torres Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2009, talvez pela diferença entra as uvas,  obtenha tudo que esperei no exemplar Carménère.

Nota: 84/100

 Visual
  Rubi, bordas sangue
 Olfativo
 Pimenta, madeira leve
 Gustativo
 equilibrado e taninos leves
 Harmonização
 Pizza e carnes leves

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Santa Rita 120 Carménère 2011

Vinícola: Santa Rita
País: Chile
Região: Valle Central
Tipo: Tinto
Uva: Caménère
Álcool: 13,9%

Este é um vinho que carrega consigo uma história e um contexto muito peculiar. Um exemplar da tradicional Vinícola Santa Rita, ele trás em seu nome uma  homenagem aos 120 soldados que se refugiaram nos porões do estabelecimento, durante a guerra civil chilena, com  o apoio da anfitriã e em prol da independência do país. 
Além desta bela fundamentação, O 120 Caménère nos mostra características tão especiais quanto seu nome e sugere sugere um vinho de representação ideal para a uva (Caménère), o que o é. Sua cor é vermelho intenso. No aroma, sentimos um frutado fresco, com ameixa e frutas pretas que se destacam. Apesar do pouco tempo na barrica de carvalho francês (06 meses), podemos sentir também a presença madeira.  
Na boca é bem pouco acido, com taninos macios e persistentes, além de sedoso e elegante. Um vinho fácil de beber e redondo. Evolui rapidamente na taça e pode ser bebido sem refeição. Entretanto, pode acompanhar massas, frango, carnes vermelhas magras em pouca quantidade e queijos maduros.
Em minha recente visita à Vinícula comprei um exemplar da garrafa. Tornei a compra-lo no Brasil, e hoje,  o considero uma peça 'coringa' na adega. 


Nota: 82/100    

Visual:                        Vermelho Intenso
Olfativo:                     Floral, Baunilha e Frutas Vermelhas. 
Gustativo:                 Taninos Macios
Harmonização:         Frango e Queijos Maduros