Mostrando postagens com marcador Chile. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Chile. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Melhores vinhos chilenos no Rio de Janeiro

Aconteceu no dia 26 de Setembro, no Copacabana Palace, a masterclass ‘Vinhos Medalhistas do Chile’, promovido pela Wines of Chile e a CH2A Comunicação. O Simplificando o Vinho marcou presença no evento e trás os grandes destaques. 

Na prova, foram apresentados rótulos que já ocuparam o topo do pódio do Annual Wines of Chile Awards. O especialista Marcelo Copello conduziu a degustação que contou com a participação dos produtores comentando seus próprios vinhos.

Gostei muito do evento, mostrou a importância que o Chile dá ao mercado brasileiro e carioca. Destaco também a qualidade dos vinhos apresentados.

O masterclass começou por um Rosé que impressionou a todos na degustação. Marquis Gran Reserva Rosé 2016, feito a partir da casta Malbec (85%) e da Cabernet Franc(15%), apresentou uma coloração linda de salmão claro. No olfato é bem complexo, chamando atenção pela proximidade com Sauvignon Blanc, com toques de arruda e maracujá, além de frutas vermelhas. Na bola é leve, fresco e muito elegante. 

Outros vinhos de qualidade foram apresentados, me chamaram a atenção em especial: 

- Amelia Chardonnay 2016: um amarelo vibrante com tons esverdeados. No olfato apresenta frutas cítricas e muito mineral. Na boca é elegante, com boa acidez e amanteigado na medida.

- Apaltagua Carignan Colección Limited Edition: já chamou atenção por 85% do vinho ser feito pela Carignan, uva que vem ganhando bastante destaque no Chile. Na taça é um vinho complexo, no olfato tem aromas  de couro, tabaco, cerejas e especiarias. Na boca marca presença, com taninos vivos e acidez vibrante, um vinho que vai evoluir muito. No entanto já é muito bom na conjuntura atual.

- Ícone Escalera 2010: Um vinho potente. Com muita presença na boca, denso e complexo. Com final longo e bem agradável.

- Casa Silva Gran Terroir de los Andes Los Lingues Cabernet Sauvignon 2014: Sou suspeito para falar da Casa Silva, sou admirador dos seus vinhos e esse exemplar trás tudo que procuramos em um vinho da casta. É complexo no olfato. Na boca é sedoso e ao mesmo tempo vibrante, com taninos presentes e domados.

- Encierra 2012: Vinho com grande destaque na boca, muito gostoso. Embora ainda tenha uma madeira se destacando, a fruta é bem chamativa e os taninos e acidez bem integrados. Vai evoluir.


- Carmem Winemaker´s Reserve Red Blend 2013: Um grande vinho. Perfumado no olfato, na boca é um caldo de uva ("vontade de mastigar o vinho"), taninos presentes e suaves, acidez na medida e final longo. 


Depois da Masterclass, ainda teve um "Walk around tasting", aonde os produtores puderam divulgar os catalogo de vinhos e conversar com o público. Provei vários bons vinhos, alguns ótimos. Mas vou dar destaque a dois vinhos que me chamaram a atenção.

- Montes Outer Limits Sauvignon Blanc 2015: Vinho bastante aromático, com delicioso frescor na boca.

-'Laku' Hijo del Sol The Final Blend: Vinho ícone da Viña Requingua, tem uma curiosidade que a informação da composição de % das castas do vinho vem na rolha. É uma surpresa até abrir a garrafa. O vinho complexo, no olfato apresenta aromas de frutas em compota, couro e chocolate. Na boca é sedoso e potente com final longo e agradável.

O Wines of Chile apresentou ótimos vinhos em um evento bem organizado que possibilitou aos produtores um espaço interessante para dialogar com a imprensa especializada e trabalhadores do setor.


Gostei da experiência. Parabéns aos organizadores do evento! 

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013

Vinícola: Torreón de Paredes
País: Chile
Região: 
Valle del Alto Cachapoal
Tipo: Tinto
Uvas: 95% Carménère e 5% Cabernet Sauvignon

Álcool:13,5%
Preço: R$75,40 (Vinho Site)



Quando pensamos no Chile e em vinho, não podemos deixar de pensar na Carménère, uva símbolo da terra natal de Pablo Neruda. Já escrevemos até mesmo um especial sobre as características desta casta aqui no Simplificando Vinho (Veja).

Hoje, em parceria com o clube de vinhos da Vinho Site, o vinhoclube, vamos analisar o Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013.

Vamos ao vinho: Na taça apresenta lágrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue. No olfato é agradável, com aromas claros e representativos. Trás a tipicidade da casta no Chile, com destaque para aromas de frutas vermelhas maduras, pimentão, especiarias e chocolate. Na boca é redondo, equilibrado, com uma maciez envolvente, taninos maduros e com final de 
boca contínuo com toques frutados.

O Torreon de Paredes Carménère Reserva 2013 é um vinho bem fácil de beber, passa pela garganta escorregadio, sem deixar nenhuma sensação desagradável. É um vinho bem tranquilo de servir em qualquer situação. Fácil de achar, esta garrafa veio através do vinhoclube. Comecei no clube com o pé direito.

Estou disponível para trocar opiniões. Se bebeu e tem algo a comentar, não hesite! Aguardo sua participação nos comentários. 

 Visual
Lagrimas abundantes (lentas e finas), uma coloração rubi com borda vermelho sangue
 Olfato
Frutas vermelhas, pimentão, especiarias e chocolate.
 Gustativo
Redondo, com uma maciez envolvente. É equilibrado e com final de boca persistente, com toques frutados.
 Harmonização
Harmonizei com pastel de bacalhau


Por Jonas Magalhães



quarta-feira, 1 de junho de 2016

Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014 #CBE

Vinícola: Peralillo Wines
País: Chile
Região: Valle do Maule
Tipo: Tinto
Uvas: Cabernet Franc(
60%) e Carmenere(40%)
Álcool: 13,5%
Preço: R$39,90


Em mais uma avaliações de vinho especialmente para Confraria Brasileira de Enoblogs (#CBE). Hoje trazemos o Enladrillado Reserva Cabernet Franc - Carmenere 2014, foi o vinho escolhido para o tema da Confraria de Junho/2016 e indicado por Deco Rossi, do site Winet. O tema definido foi: "Vinho de corte, com 50% ou mais de Cabernet Franc".

O Valle do Maule fica a 300km ao sul de Santiago. O vinho em questão trás uma clara referência ao Parque Nacional Altos del Lircay, importante reserva natural próxima aos Andes na região do Maule. A vinícola fica em San Raphael. A região não tem um grande destaque no mapa do vinho no Chile, no entanto está chamando a atenção ultimamente, principalment
e com a casta Carignan, vale conferir.

Vamos ao vinho. Ele apresenta uma coloração rubi com reflexos brilhantes. No olfato trás o eucalipto da carmenere, toques apimentados, algo defumado e caramelo. Na boca é equilibrado, apresenta um bom corpo com acidez na medida e o tanino presente e domado. A fruta marca presença num final de boca agradável e de razoável persistência.

É um vinho que apresenta as características das duas uvas no corte com equilíbrio. Me pareceu bastante honesto e voltaria a compra-lo de novo. Simples, barato e gostoso. 

 Visual
Rubi com reflexos brilhantes
 Olfato
Eucalipto, toques apimentados, defumado e caramelo
 Gustativo
Equilibrado, acidez na medida e o tanino presente e domado. Final de boca frutado, agradável e de razoável persistência.
 Harmonização
Carnes vermelha leves.

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 17 de maio de 2016

Nostros Reserva Pinot Noir 2015

Vinícola: Indómita
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 13,5%
Preço: R$29 (Mundial)


Com a crise econômica e o aumento exorbitante no preço dos vinhos no Brasil, a busca por garrafas de bom custo-benefício aumentou muito. Notamos por exemplo, que um vinho* que custava 24,00 reais em 2014, atualmente se encontra na faixa de 50,00 reais. Essa realidade onerou o bolso de quem adora beber vinho no dia a dia e o Simplificando o Vinho entrou nesse clima para tentar ajudar ao enófilo na escolha de vinhos baratos e bons em tempos de crise. 

O Vinho escolhido para esse post se baseia n'uma boa opção para nossa adega e principalmente para nosso bolso. 

Para escolher o Nostros Reserva Pinot Noir 2013, além da análise custo-benefício, fizemos também uma analise rápida da uva, região e vinícola. A Pinot Noir é uma uva que tenho grande admiração e o Valle do Casablanca é uma região que produz ótimos vinhos desta casta. Além disso, a vinícola Indómita é uma escolha acertada porque produz excelentes vinhos desde as linhas básicas aos ícones.

Vamos ao vinho, na taça é translúcido com uma coloração vermelho claro. No olfato apresenta aromas típicos, como frutas vermelhas frescas (amora, framboesa e morango) e um leve toque da madeira. Na boca é leve, com a acidez na medida e com um final de boca que reproduz o olfato, com boa sensação de frutas vermelhas.

É um vinho simples, mas que agrada muito. O achei bem interessante e com ótimo custo-benefício.

* O vinho citado como exemplo é o Miolo Reserva, encontrado na maioria do supermercados.



 Visual
Translúcido com uma coloração vermelho claro
 Olfato
Frutas vermelhas frescas(amora, framboesa e morango) e um leve toque da madeira
 Gustativo
Leve, acidez na medida e com um final de boca que reproduz o olfato, com boa sensação de frutas.
 Harmonização
Canapés 

Por Jonas Magalhães e edição Renata Cardoso

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Tantehue Chardonnay 2014

Vinícola: Ventisquero
País: Chile
Região: Valle Central
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay(100%)

Álcool:13%
Preço: R$29,00(Hortifruti)


No ápice do verão no Rio de Janeiro fui em busca de um vinho refrescante e leve para acompanhar uma comida japonesa. Essa buca me levou ao Tantehue Chardonnay 2014, comprado no Hortifruti por um bom preço.

Já sai de casa decidido a achar um Chardonnay sem passagem no carvalho por um bom preço, para harmonizar com Sushi de atum. Geralmente harmonizo Sushi com um espumante ou um vinho branco da uva Torrontés, dessa vez resolvi variar um pouco, além de aliar a um bom custo-beneficio.

Vamos ao vinho. Na taça apresenta um amarelo límpido e brilhante com pequenos reflexos esverdeados. No olfato tem aromas bem definidos de abacaxi, pêssego, lima e algo de maracujá. Na boca é bem leve e refrescante, sem muito corpo e rápida persistência.

Tantehue Chardonnay 2014 é um vinho simples, com bom preço. Uma opção para o dia a dia.


 Visual
Amarelo límpido e brilhante com pequenos reflexos esverdeados
 Olfato
Abacaxi, pêssego, lima e algo de maracujá
 Gustativo
Leve e refrescante, sem muito corpo.
 Harmonização
Sushi

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

De Martino Single Vineyard Quebrada Seca Chardonnay 2013

Vinícola: De Martino
País: Chile
Região: Valle del Limarí
Tipo: Branco
Uvas: 100% Chardonnay
Álcool: 13,5%
Preço: R$179,00


Após um tempo parado, pretendo ir aos poucos reativando o blog. E nada melhor do que começar por um bom vinho. Na comemoração de meu aniversario fui ao restaurante Imperatriz Leopoldina em Petrópolis. Para acompanhar o pedido de um Risoto de Bacalhau e uma Truta condimentada escolhi um vinho branco, um chardonnay.

A pedida foi o De Martino Single Vineyard Quebrada Seca Chardonnay 2013. Um chardonnay da região do Valle del Limarí, uma região ao norte de Santiago que tem despontado com ótimos resultado com a Chardonnay e a Syrah.

De Martino Single Vineyard Quebrada Seca Chardonnay 2013 apresentou na taça uma coloração amarela palha com tons esverdeados. No olfato é uma delícia, com aromas de lima, maça verde, laranja e toque minerais. Na boca é bem redondo, com um amanteigado na medida e sem perder o toque refrescante. No final de boca ele é bem persistente com toques de laranja e uma untuosidade maravilhosa.

Um vinho muito bom que acompanhou muito bem os pratos, foi um ótimo presente de aniversario. 


 Visual
Amarela palha esverdeado
 Olfato
Lima, maça verde, laranja e toque minerais
 Gustativo
Redondo, amanteigado com toque refrescante.
 Harmonização
Risoto de Bacalhau

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012

Vinícola: Casa Silva
País: Chile
Região: Valle Colchagua
Tipo: Tinto
U
vas: Carménère(100%)
Álcool: 13,5%


Já escrevemos sobre a uva Carménère aqui no site, suas características e harmonização. A casta tem muito destaque na produção chilena e grandes resultados no Valle do Colchagua, com ótimos vinhos. A Casa Silva é uma viña que merece a confiança em seus vinhos e tem ótimos resultados com a casta.

Vamos ao Casa Silva Reserva Cuvée Carménère 2012. Na taça tem um rubi bem escuro e pequena borda púrpura. No olfato apresenta aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), um fundo herbáceo e leve toque tostado. Na boca é equilibrado, boa acidez, tanino presente e domado. Final de boca com média duração. Pede um acompanhamento.

Um vinho correto e de grande expressividade, retrata bem as características da casta e do terroir. Vale a pena experimentar.



 Visual
Rubi bem escuro e pequena borda púrpura.
 Olfato
Aromas de frutas vermelhas(ameixa e cereja), fundo herbáceo e leve toque tostado.
 Gustativo
Equilibrado, boa acidez, taninos presente e domado. Final de média duração.
 Harmonização
Carne de caça

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Portal Del Alto Late Harvest Tardío Syrah 2010

Vinícola: Portal del Alto
País: Chile
Região: Valle do Maule
Tipo: Tinto Doce
Uvas: Shyrah

Álcool: 13%

Hoje vamos destacar aqui no site um vinho feito através de uvas com a colheita tardia. São poucos exemplares produzidos no novo mundo. Poucas vinícolas se aventuram nesse tipo de bebida, o requisitado vinho de sobremesa.

O vinho de colheita tardia tinto não era visto até o lançamento do Late Harvest da Portal del Alto(2003). Foi o primeiro doce vinho tinto do gênero feito no Chile. O Professor Alejandro Hernandez, um dos maiores nomes da enologia chilena inovou, colhendo as uvas em maio e fazendo a fermentação normalmente, escolhendo a casta Syrah. 

O vinho, na taça apresenta uma coloração rubi bem forte junto a uma viscosidade nítida. No olfato se destaca aromas de frutas vermelhas em compota e algo como café e tabaco. Na boca tem um bom volume, taninos suaves e a acidez marcante. O açúcar residual se faz presente sem se enjoativo, uma doçura bem integrada. 


Alguns poderão lembrar do vinho do Porto ao degusta-lo. O Portal Del Alto Late Harvest Tardío Syrah 2010 é muito bem feito, se destaca. Acompanhou um Cheesecake de chocolate branco com cobertura de goiaba e foi perfeito.



 Visual
Coloração rubi bem forte com uma viscosidade nítida
 Olfato
Aromas de frutas em compota e algo como café e tabaco
 Gustativo
Bom volume, com a acidez marcante e doçura bem integrada
 Harmonização
Cheesecake de chocolate branco com cobertura de goiaba

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Estación Shiraz 2012

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Colchagua
Tipo: Tinto
Uvas: Shiraz

Álcool: 14,5%
Preço: R$22,00 (link) 


Um vinho simples, bem feito e agradável. Assim é o Shiraz da vinícola Estampa.

É difícil achar vinhos interessantes nessa faixa de preço. Já escrevi aqui sobre a linha Estación varietal, ela apresenta os melhores custo benefícios no mercado que achei nos últimos meses, principalmente os varietais Carménère e Chardonnay. Já o Cabernet Sauvignon não é do mesmo nível.

A vinícola Estampa fica no valle do Colchagua, é bem pequena e faz vinhos corretos e com bastante personalidade. O Estación Shiraz apresenta na taça uma cor rubi intensa, com bastante brilho e bordas roxas. No olfato tem aromas de frutas vermelhas como a ameixa fresca, além de um toque de especiarias, como a pimenta do reino. Na boca é leve, equilibrado e frutado. Com finalde boca agradável e de média persistência.

Um vinho a R$22,00 que acompanha bem um bom papo e agrada bastante pela honestidade e equilíbrio.

 Visual
Rubi brilhoso com bordas roxas
 Olfato
Aromas de ameixa fresca e especiarias 
 Gustativo
Leve, equilibrado, fruta e média persistência. 
 Harmonização
Lances e refeições do dia a dia


Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Estación Chardonnay 2013

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Colchagua
Tipo:Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 13,5%
Preço: R$22,00(Bodega Express)


Sempre destaco aqui no site, o quanto é legal descobrir um bom vinho por excelente custo beneficio. Sempre que posso visito lojas de vinhos, ou supermercados e adoro ficar olhando os rotulos. Agora também podemos fazer isso sem sair de casa, inúmeras lojas online com ainda mais vinhos para descobrirmos.  Umas das vantagens das lojas de vinhos, além do preço, é as informações disponíveis.

Pois bem, a descoberta da vez é um chardonnay, por R$22,00. Isso mesmo, um preço muito baixo para o "comum" no mercado brasileiro.

Estación Chardonnay 2013 é um vinho que na taça apresenta uma cor bem clara, amarelo palha translucido e brilhoso. No olfato se destaca aromas intensos de abacaxi, maça verde e pera com toques cítricos. Na boca é bem refrescante, destacando os toques cítricos e ótima acidez. O amanteigado bem integrado, dando um toque delicado junto a um final de boca ligeiro, porém agradável com um "quero mais"



 Visual
Amarelo palha translúcido e brilhoso
 Olfato
Aromas de abacaxi, frutas cítricas e flores brancas
 Gustativo
Refrescante, toques cítricos e amanteigado integrado
 Harmonização
Frutos do mar, peixe e frango.

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Reunião com Pinot Noir até R$50

Neste mês (Maio/2014) realizamos mais uma encontro de amigos, uma confraria que se reúne mensalmente. Além rever os camaradas e colocar o papo em dia, degustamos bons vinhos e fizemos uma degustação a cegas de quatro vinhos. Nosso tema desse mês foi a uva Pinot Noir até 50 reais. Vou destacar aqui minha impressão sobre os vinhos.

Antonio Dias Pinot Noir 2011 - Entre os confrades teve divergência de opinião sobre esse vinho. Uns não gostaram e outros gostaram(Eu). Minha opinião é que é um Pinot diferente do que estamos acostumados, é um vinho mais robusto, no entanto sem deixar de ser elegante e complexo. Uma cor rubi média, mais forte que o comum da casta. No olfato apresentou frutas secas e em compota, além de chocolate, cedro e espiarias. Na boca é elegante e de boa persistência. 88/100

Nieto Senetiner Reserva Pinot Noir 2013 - Um vinho que lembra os demais desta casta no Novo Mundo. Com um rubi translúcido e aromas de frutas frescas(morango e framboesa) se destacando. Leve e elegante na boca. Bem correto e equilibrado, sem a presença excarcerada do álcool. 87/100

Aylin Pinot Noir 2011 Um vinho do vale de San Antonio, muito próximo à costa Pacífica. Região que produz bons Pinot Noir, juntamente com Valle do Casablanca, no Chile. Na taça uma cor típica da casta, um rubi claro com aromas de frutas vermelhas, com toque de grama cortada. Na boca é refrescante, leve e retrogosto agradável e de média persistência. Ótimo vinho. 89/100

Yealands Way Pinot Noir 2010 - Esse Neozelandês ganhou como o melhor vinho da noite. Um tipico Pinot Noir do Novo Mundo, com uma cor rubi claro brilhoso, com aromas de frutas vermelhas, violeta e especiarias doce (cravo/canela). Na boca é sedoso e elegante. Equilibrado, refrescante e com boa persistência. 90/100

Foi uma reunião desafiadora, pois é difícil achar bons Pinot Noir por menos que 50 reais. Conseguimos ter quadro ótimos vinhos, que contribuíram muito para uma ótima noite.


Por Jonas Magalhães



domingo, 18 de maio de 2014

Estación Carménère 2012

Vinícola: Estampa
País: Chile
Região: Valle do Colchagua
Tipo:Tinto
Uvas: Carménère

Álcool: 13%
Preço: R$22,00


O patamar dos preço de vendas de vinhos no Brasil chegou a um ponto que é difícil vocês acharem bons vinhos por menos de 30 reais. Aqui no site sempre procuramos dar dicas de vinhos que bebemos, gostamos e que possui boa relação custo beneficio. 

O Estación é um vinho que bebo desde a safra 2009 e sempre me impressiono com este Carménère - um ótimo vinho por acessíveis 22 reais. Não posso dizer o mesmo do Cabernet Sauvignon da linha, que apesar de valer o preço, não é tão bom quanto seu irmão Carménère que sem dúvida é um dos melhores custo benefícios do mercado de vinhos. Ainda vou experimentar o Shiraz.

Vamos ao vinho: na taça apresenta um visual rubi intenso e brilhante, com lágrimas finas e rápidas. No olfato tem aromas herbáceos (comum da uva), frutas vermelhas como morango e groselha, além de toques de especiarias. Na boca é equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas.

É um vinho bem feito, fácil de beber, barato, com uma relação custo beneficio mais que honesta. Bebi sem acompanhar nenhum prato, mais acredito que acompanhe bem refeições leves e sanduíches.


 

 Visual
Rubi intenso e brilhante, com lagrimas finas e rápidas
 Olfato
Herbáceos, frutas vermelhas como morango e groselha. Toques de especiarias
 Gustativo
Equilibrado, taninos suaves, acidez na medida, com final de boca agradável de frutas vermelhas
 Harmonização
Tomei sem acompanhar nada.


Por Jonas Magalhães












quinta-feira, 20 de março de 2014

Calyptra Pinot Noir Premium 2012

Vinícola: Calyptra
País: Chile
Região: 
Valle del Cachapoal
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 14,5%
Preço: R$49,00


Trazemos mais uma analise de um Pinot Noir chileno. Comprado em um clube de vinhos na internet por 49 reais. Um vinho da região do Valle del Cachapoal, que fica ao sul de Santiago. 

Vamos ao vinho, na taça apresentou uma cor vermelho brilhante. No olfato destaca-se aromas de goiaba, frutas vermelhas frescas e pouco de madeira. Na boca é simples, frutado doce, um pouco de álcool e com final de média persistência.

Um vinho simples, sem grandes complexidades, no entanto tranquilo para de se beber. Não o achei um bom custo beneficio.


 

 Visual
Vermelho brilhante
 Olfato
Goiaba, frutas vermelhas frescas e pouco de madeira
 Gustativo
Simples, frutado doce, um pouco de álcool e com final de média persistência
 Harmonização
Harmonizar com um galeto
Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 17 de março de 2014

Santa Rita Malbec Reserva 2011

Vinícola: Santa Rita
País: Chile
Região: Valle Colchagua
Tipo: Tinto
Uvas: 
Malbec (85%) e Merlot (15%)
Álcool: 14%
Preço: R$45,00


Quem pensa que a Malbec é só na Argentina esta enganado. Além de ter ótimos exemplares em seu país de origem(França), esta casta está expandindo no Chile e no nosso próprio país, Brasil. Com bons exemplares.

Já degustei e gostei de um Malbec chileno, da Casa Silva e hoje escrevo sobre o exemplar da respeitada vinícola Santa Rita.

Na taça apresenta um rubi intenso violáceo, meio opaco. No olfato destaca-se frutas vermelhas maduras, como a ameixa e a cereja. Nota-se bastante presença da madeira, que contribui com aromas de caramelo e baunilha. Na boca é frutado, macio e com uma persistência média na boca. O carvalho volta a marcar presença.

É um vinho com "toques" comuns ao Malbec argentinos e que ao meu gosto, neste exemplar exagera um pouco na madeira. Pelo preço de mercado se encontra Malbec's melhores, principalmente argentinos. Mais vale a pena conhecer algo novo. 

Nota: 84/100
 

 Visual
Rubi intenso, opaco com tons violetas.
 Olfato
Frutas maduras como cereja e ameixa. Aromas amadeirados como caramelo e baunilha.
 Gustativo
Frutado, macio e média persistência 
 Harmonização
 Carne vermelhas ou Massa com molhos de carnes
Por Jonas Magalhães



quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Chono Single Vineyard Carménère 2012

Vinícola: Geo Wines
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: 
Carménère (85%), Syrah (7%) e Petite Syrah (8%)
Álcool: 14%
Preço: R$53,00


Abordamos hoje mais um vinho da Geo Wines, já analisamos aqui no blog o Chono Pinot Noir 2012 e hoje escrevemos sobre o exemplar Carménère.

Vamos ao vinho. Na taça é rubi escuro com tons violáceos, lágrimas densas. No olfato se destacam as frutas vermelhas maduras ou compota, o estágio nas barricas se pronunciam bastante com aromas tostados, chocolate e baunilha. Lembrando que é importante estar na temperatura ideal, pois se o vinho estiver quente o álcool vai se pronunciar de forma desagradável. Na boca apresenta um corpo mediano com taninos bem suaves e frutados. O carvalho não esconde as frutas, tanto no olfato quanto na boca. 

É um bom vinho, bem agradável ao paladar comum, com aromas bem frutados com toque de madeira. Esta no limite de ser uma relação honesta no preço benefício.

Nota: 87/100

 

 Visual
 Rubi escuro com bordas violáceas
 Olfato
Frutas vermelhas em compota e aromas tostados
 Gustativo
Taninos macios e frutado
 Harmonização
Massas leves

Por Jonas Magalhães