Mostrando postagens com marcador Monastrell. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Monastrell. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Viña Betola Tinto 2011

Vinícola: Bodegas Pio del Ramo
País: Espanha
Região: Jumilla
Tipo: Tinto
Uvas: Monastrell (60%), Syrah (25%) e Cabernet Sauvignon (15%)

Álcool: 14,5%
Preço: R$54,00



Um vinho espanhol, orgânico, que veio juntamente com Pio Ecológico 2010, comprado em um clube de vinhos. 
Diferentemente do seu companheiro, este é uma assemblage, que traz um corte de Monastrell; a Syrah e a Cabernet Sauvignon. 

Betola Tinto 2011 apresentou na taça uma cor rubi reflexivo. No olfato apresenta aromas tímidos de frutas vermelhas(maduras), terra moladas, folha seca e alguns aromas desconhecidos, que não consegui identificar. Na boca é áspero, um toque frutado, taninos firmes(ásperos) e com final de boca de média persistência. 

Me pareceu um vinho básico, correto, mais bem simples. Não vale os R$54,00 investidos.

Nota: 83/100

 

 Visual
Rubi intenso
 Olfato
Frutas maduras, terra molhadas e folhas secas
 Gustativo
Firme na boca, abstringete e média persitencia 
 Harmonização
Carne de porco
Por Jonas Magalhães

sábado, 19 de outubro de 2013

Pio Ecológico 2010

Vinícola: Bodegas Pio del Ramo
País: Espanha
Região: Jumilla
Tipo: Tinto
Uvas: Monastrell

Álcool: 14%
Preço: R$54,00


A uva Monastrell, também conhecida como Mourvèdre, é uma uva "meio" desconhecida do publico brasileiro. Entretanto é plantada na Espanha, França, E.U.A e Austrália. É comum esta casta participar de vinhos de corte com as uvas Grenache e Syrah.


O Pio Ecológico 2010, é um vinho orgânico, onde as uvas são cultivadas sem o uso de agrotóxicos. Isso se deve a particularidade da bodega, que tem próximo das plantações barreiras naturais, que dificultam o contato com pragas.

Vamos ao vinho. Na taça apresenta uma cor rubi bem profunda, com lágrimas lentas e densas. No olfato apresenta notas terrosas, especiarias, frutas vermelhas como amora, bem leve. Na boca tem os taninos que marcam grande presença, fortes. A acidez se faz presente também. Um retrogosto "picante" com boa persistência no final de boca.

Umas dicas básicas são: decantar o vinho, para se abrir os aromas; servir a uma temperatura pouco abaixo do normal para vinhos tintos, para se esconder um pouco do álcool, que tem uma presença bem notada no vinho.

Embora este vinho tenha obtido alguns prêmios como a medalha de ouro no International Wine Challenge Catavinum 2012 (Espanha) e medalha de prata no Mundus Vini 2012. Ele não me encantou, gostei da forte personalidade na boca, mais não me foi ao todo agradável e se mostrou sem grande complexidades. Se encontra vinhos melhores nesta faixa de preço.



 Visual
 Rubi profundo e lágrimas lenta e densas
 Olfato
 Notas terrosas, especiarias e frutas vermelhas
 Gustativo
 Taninos fortes, boa acidez e picante
 Harmonização
 Carne Grelhada
Por Jonas Magalhães