Mostrando postagens com marcador Pinot Noir. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pinot Noir. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de maio de 2016

Nostros Reserva Pinot Noir 2015

Vinícola: Indómita
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 13,5%
Preço: R$29 (Mundial)


Com a crise econômica e o aumento exorbitante no preço dos vinhos no Brasil, a busca por garrafas de bom custo-benefício aumentou muito. Notamos por exemplo, que um vinho* que custava 24,00 reais em 2014, atualmente se encontra na faixa de 50,00 reais. Essa realidade onerou o bolso de quem adora beber vinho no dia a dia e o Simplificando o Vinho entrou nesse clima para tentar ajudar ao enófilo na escolha de vinhos baratos e bons em tempos de crise. 

O Vinho escolhido para esse post se baseia n'uma boa opção para nossa adega e principalmente para nosso bolso. 

Para escolher o Nostros Reserva Pinot Noir 2013, além da análise custo-benefício, fizemos também uma analise rápida da uva, região e vinícola. A Pinot Noir é uma uva que tenho grande admiração e o Valle do Casablanca é uma região que produz ótimos vinhos desta casta. Além disso, a vinícola Indómita é uma escolha acertada porque produz excelentes vinhos desde as linhas básicas aos ícones.

Vamos ao vinho, na taça é translúcido com uma coloração vermelho claro. No olfato apresenta aromas típicos, como frutas vermelhas frescas (amora, framboesa e morango) e um leve toque da madeira. Na boca é leve, com a acidez na medida e com um final de boca que reproduz o olfato, com boa sensação de frutas vermelhas.

É um vinho simples, mas que agrada muito. O achei bem interessante e com ótimo custo-benefício.

* O vinho citado como exemplo é o Miolo Reserva, encontrado na maioria do supermercados.



 Visual
Translúcido com uma coloração vermelho claro
 Olfato
Frutas vermelhas frescas(amora, framboesa e morango) e um leve toque da madeira
 Gustativo
Leve, acidez na medida e com um final de boca que reproduz o olfato, com boa sensação de frutas.
 Harmonização
Canapés 

Por Jonas Magalhães e edição Renata Cardoso

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Robert Mondavi Woodbridge Pinot Noir 2012

Vinícola: Robert Mondavi Winery
País:Estados Unidos
Região: Napa Valley( Califórnia)
Tipo: Tinto
Uvas: 79% Pinot Noir, 11% Syrah, 2% Tempranillo, 2% Cinsault, 2% Tannat, 2% Alicante Bouschet e 2% outras.
Álcool: 13,3%
Preço: R$39,00



Quem assistiu ao filme Filme Sideways - Entre Umas e Outras, sabe que a Califórnia(E.U.A) é conhecida como uma terra de bons Pinot Noir. Hoje analisamos aqui o Robert Mondavi Woodbridge Pinot Noir 2012, dessa mesma linha da vinícola já escrevemos sobre o seu Zinfandel.

Vamos ao vinho: Apresenta uma coloração rubi translucido bem brilhante. No olfato se destacam aromas frescos de morango e framboesa, além de toque de especiarias como pimenta do reino. Na boca é leve, delicado e bem persistente, com retrogosto frutado.
Um Pinot Noir bem honesto, vale a pena experimentar.


 Visual
Rubi translucido bem brilhante.
 Olfato
Aromas frescos de morango e framboesa, além de toque de especiarias como pimenta do reino.
 Gustativo
Na boca é leve, delicado e bem persistente, com retrogosto frutado.
 Harmonização
Aperitivo, salmão grelhado, grelhados leves, risoto de cogumelos, pizzas em geral.

Por Jonas Magalhães

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Don Pascual Reserve Pinot Noir 2013

Vinícola: Don Pascual
País: Uruguai
Região: Juanicó

Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 13,5%
Preço: R$34,00


Hoje analisamos o Pinot Noir do Establecimiento Juanicó, uma das maiores vinícolas Uruguaias, administrada pela família Deicas. Bem presente no mercado internacional, seus vinhos são de fácil acesso no Brasil. Esse Pinot Noir apresenta um ótimo custo benefício, vendido a R$34,00 no site Bodega Express.  

A uvas são colhidas manualmente de vinhas com baixa produtividade(melhor qualidade), 35% do vinho vai em carvalho e . 

O vinho apresenta na taça uma cor vermelha brilhante e clara(translúcida) com nuances de cobre. No olfato se destaca os aromas de frutas frescas como morango e cereja. Na boca é leve, elegante e bem refrescante. O final de boca tem boa duração e agradável, com retrogosto frutado.

Destaco no vinho sua relação honesta, vale cada centavo. Não apresenta uma grande complexidade, no entanto é bem correto, equilibrado e acima de tudo agradável. Ideal para um bate-papo ou harmonizar com petiscos e/ou comidas leves.


 Visual
Vermelha brilhante clara com nuances de cobre
 Olfato
Frutas frescas como morango e cereja
 Gustativo
Leve, elegante e bem refrescante. Final de boca com média duração e agradável
 Harmonização
Pratos leves

Por Jonas Magalhães

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Espumante Casa Perini Rosé

Vinícola: Casa Perini
País: Brasil
Região:
Farroupilha-RS
Tipo: Espumante Rosé
Uvas: Chardonnay, Gamay e Pinot Noir
Álcool: 11,8%
Preço: R$25,00(Link)


Degustado durante o Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras-RJ. O Espumante Casa Perini Rosé não decepcionou nem um pouco. Foi uma excelente opção para o fim de tarde à beira da praia, com ótima música ao fundo. Indico à todos esse festival, que acontece todos anos na Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro. Sempre com ótimas atrações e os palcos à beira da lagoa de Iriri e sobre as pedras da praia da tartaruga são imperdíveis(Link).

Sobre o Espumante Casa Perini Rosé aproveitem, está em promoção no Bodega Express(R$25). Uma boa opção de espumante para o dia a dia ou festas.

Vamos a análise: apresentou uma cor rosada como perlage fina e persistente. No olfato se destaca os aromas de frutas vermelhas frescas como o morango e a cereja. Na boca é bem refrescante, frutado e com ótima acidez. Bem agradável, acompanha diversas ocasiões e pratos, como sanduíches, petisco ou entradas em geral.  



 Visual
Cor rosada como perlage fina e persistente
 Olfato
Frutas vermelhas frescas como o morango e a cereja
 Gustativo
Refrescante, frutado e ótima acidez
 Harmonização
Sanduíches, petisco ou entradas em geral

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Reunião com Pinot Noir até R$50

Neste mês (Maio/2014) realizamos mais uma encontro de amigos, uma confraria que se reúne mensalmente. Além rever os camaradas e colocar o papo em dia, degustamos bons vinhos e fizemos uma degustação a cegas de quatro vinhos. Nosso tema desse mês foi a uva Pinot Noir até 50 reais. Vou destacar aqui minha impressão sobre os vinhos.

Antonio Dias Pinot Noir 2011 - Entre os confrades teve divergência de opinião sobre esse vinho. Uns não gostaram e outros gostaram(Eu). Minha opinião é que é um Pinot diferente do que estamos acostumados, é um vinho mais robusto, no entanto sem deixar de ser elegante e complexo. Uma cor rubi média, mais forte que o comum da casta. No olfato apresentou frutas secas e em compota, além de chocolate, cedro e espiarias. Na boca é elegante e de boa persistência. 88/100

Nieto Senetiner Reserva Pinot Noir 2013 - Um vinho que lembra os demais desta casta no Novo Mundo. Com um rubi translúcido e aromas de frutas frescas(morango e framboesa) se destacando. Leve e elegante na boca. Bem correto e equilibrado, sem a presença excarcerada do álcool. 87/100

Aylin Pinot Noir 2011 Um vinho do vale de San Antonio, muito próximo à costa Pacífica. Região que produz bons Pinot Noir, juntamente com Valle do Casablanca, no Chile. Na taça uma cor típica da casta, um rubi claro com aromas de frutas vermelhas, com toque de grama cortada. Na boca é refrescante, leve e retrogosto agradável e de média persistência. Ótimo vinho. 89/100

Yealands Way Pinot Noir 2010 - Esse Neozelandês ganhou como o melhor vinho da noite. Um tipico Pinot Noir do Novo Mundo, com uma cor rubi claro brilhoso, com aromas de frutas vermelhas, violeta e especiarias doce (cravo/canela). Na boca é sedoso e elegante. Equilibrado, refrescante e com boa persistência. 90/100

Foi uma reunião desafiadora, pois é difícil achar bons Pinot Noir por menos que 50 reais. Conseguimos ter quadro ótimos vinhos, que contribuíram muito para uma ótima noite.


Por Jonas Magalhães



quinta-feira, 15 de maio de 2014

Pinot Noir, suas características e dicas de harmonização

Continuando a nossa série sobre uvas, hoje trazemos a delicada Pinot Noir.

A Pinot Noir tem como origem a região de Borgonha, na França. Ganhou fama mundial. É considerada a uva mais complicada de se cultivar e de difícil adaptação. É uma casta muito delicada, muito sensível as mudanças climáticas e pragas. Mas também produz um dos vinhos mais elegantes e delicados do mundo.


Principais Regiões

A Pinot Noir esta presente em vários territórios, tanto no velho mundo como no novo mundo. Mas não tem como negar que seu maior esplendor é alcançado em sua terra natal, a Borgonha(França), aonde produz vinhos complexos, com boa estrutura e capacidade de evoluir, participa também do famoso corte do champagne . Destacamos os Pinot Noir vindos dos EUA(Califórnia e Oregon), da Nova Zelândia e do Chile(Vale do Casablanca). O Brasil apresenta bons vinhos, sem grande destaque, no entanto começa a chamar atenção principalmente nas regiões frias como Santa Catarina e Pinto Bandeira. Destaco minhas experiências com o Aurora de Pinto Bandeira e o Dal Pizzol Pinot Noir 2012.

Características

Como já foi colocado, é uma casta muito delicada, como a casca muito final e de pouca pigmentação, o que gera vinhos mais frágeis, claros e como poucos taninos. Para alcançar seus melhores resultados, o ideal é um clima frio.
Os aromas comuns em seus vinhos podem ser: Frutas vermelhas como cereja, framboesa, morango. Notas de especiarias, tostados e animal quando amadurecido em carvalho. Na boca é elegante e saboroso.

Harmonização

Um uva tão delicada necessita de uma atenção especial para harmonização. Vinhos mais complexos e estruturados necessitarão de prato elaborados, os vinhos do novo mundo são mais dinâmicos e versáteis, acompanham com facilidade pratos leves com carne sem muita gordura. Indicamos algumas harmonizações infalíveis e que do nosso ponto de vista, não oferecem chance ao erro:
  • Pratos clássicos franceses como o escargot à la bourguignonne, coq au vin e Boeuf Bourguignon (Receita)
  • Carnes vermelhas magras.
  • Sopas, como canja de galinha.
  • Queijos brancos (camembert e brie)
  • Chocolate até 70% de Cacau

Temperatura de Serviço

A temperatura de serviço de um vinho Pinot Noir que realça todos os seus aromas e sabores está entre 16° e 18°, dependendo das características. Geralmente o Pinot Noir do novo mundo recomendamos uma temperatura mais baixa do que o tradicionais Pinot Noir da Borgonha.

Para outras uvas indicamos nosso posts sobre a Carménère, Tempranillo, Nebbiolo, Torrontés, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

Saúde!










quarta-feira, 26 de março de 2014

Saurus Patagônia Select Pinot Noir 2007

Vinícola: Familia Schroeder
País: Argentina
Região: Patagônia
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir


A casa do Pinot Noir argentino. Pode-se  dizer que na Patagônia concentra-se os melhores Pinot's hermanos. Em minha ultima visita ao país vizinho, queria trazer um bom Pinot Noir, adoro a uva e já tinha comprado bastante Malbec. Por indicação, resolvi trazer esse exemplar.

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou uma cor elegante, de médio brilho, um rubi bonito. No olfato é bem complexo, com aromas de rosas e frutas vermelhas combinado com especiarias e algo tostado, o uso da madeira não esconde o vinho. Na boca é elegante, sedoso, com bom equilíbrio e ótima persistência.

Se mostra um ótimo vinho, foi melhorando bastante depois de aberto, recomendo decantar. Está no seu auge, pronto para beber. Vale muito a pena.



 Visual
Rubi intenso
 Olfato
Rosas, frutas vermelhas, especiarias e tostado
 Gustativo
Elegante, sedoso, equilibrado e boa persistência.  
 Harmonização
Carne de porco, medalhão e carne macias.
Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 20 de março de 2014

Calyptra Pinot Noir Premium 2012

Vinícola: Calyptra
País: Chile
Região: 
Valle del Cachapoal
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 14,5%
Preço: R$49,00


Trazemos mais uma analise de um Pinot Noir chileno. Comprado em um clube de vinhos na internet por 49 reais. Um vinho da região do Valle del Cachapoal, que fica ao sul de Santiago. 

Vamos ao vinho, na taça apresentou uma cor vermelho brilhante. No olfato destaca-se aromas de goiaba, frutas vermelhas frescas e pouco de madeira. Na boca é simples, frutado doce, um pouco de álcool e com final de média persistência.

Um vinho simples, sem grandes complexidades, no entanto tranquilo para de se beber. Não o achei um bom custo beneficio.


 

 Visual
Vermelho brilhante
 Olfato
Goiaba, frutas vermelhas frescas e pouco de madeira
 Gustativo
Simples, frutado doce, um pouco de álcool e com final de média persistência
 Harmonização
Harmonizar com um galeto
Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 10 de março de 2014

Espumante Don Giovanni Brut Rosé

Vinícola:Don Giovanni
País: Brasil
Região: Pinto Brandeira - RS
Tipo: Espumante
Uvas: Pinot Noir(50%), Merlot(40%) e Chardonnay(10%)

Álcool: 12,4%

Espumante Don Giovanni Brut Rosé é um destaque da Don Giovanni. Especialista em espumantes, que se privilegia do ótimo terroir de Pinta Bandeira-RS.

Feito através do método Champenoise, 12 meses. É um vinho de difícil produção, pois necessita ter um "time" preciso de contato da casca da Pinot Noir com o líquido, se demorar muito pode adquiri uma coloração tinta.


Vamos ao espumante, na taça apresenta uma cor rosada bem clara e bonita. Perlage finas, intensas e bem distribuídas. No olfato apresenta uma boa intensidade, a Pinot contribui bastante com aromas de frutas frescas, como morango e amora. Na boca repete o olfato com toques frutados. Bem refrescante e de boa acidez. 

É mais um ótimo exemplar de espumante brasileiro, de boa complexidade e bem versátil para harmonizar. Acompanha bem pratos leves como saladas, sanduíches e carnes "magras".

Veja como é visitar a Don Giovanni


 

 Visual
Rosa claro. Perlage finas, intensas e bem distribuídas
 Olfato
Frutas frescas, como morango e amora
 Gustativo
Complexo, frutado, ótima acidez
 Harmonização
Pratos leves

Por Jonas Magalhães


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Chono Pinot Noir 2012

Vinícola: Geo Wines
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 14,5%
Preço: R$53,00


Um lar de bons Pinot Noir, o vale do Casablanca é o local aonde encontramos os melhor pinot's chilenos. É uma uva que gosto muito, elegante, bem aromática e sempre uma boa companhia para momento românticos.

Chono Pinot Noir 2012 me apresentou na taça uma coloração rubi bem violácea. No olfato apresenta frutas vermelhas frescas como framboesa e morango. Um toque de especiarias doces como canela. Na boca é elegante, leve e equilibrado. Com final de boca de média persistência.

É um vinho agradável. Apresenta um custo beneficio honesto. Vale o que se paga, mais do que R$53, já se acha vinho bem melhores. 


 

 Visual
 Rubi violácio
 Olfato
 Morango, framboesa
 Gustativo
Elegante, fresco, leve e final de médica persistência 
 Harmonização
Carne cozida
Por Jonas Magalhães

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Espumante Casa Valduga Arte Brut 2012

Vinícola: Casa Valduga
País: Brasil
Região: Bento Gonçalves
Tipo: Espumante

Uvas:60% Chardonnay e 40% Pinot Noir
Álcool: 12%


Com as festas de fim de ano chegando e o calor se intensificando. A compra de espumantes passa a ganhar destaque. Muitos sabem que o espumante brasileiro é conhecido mundialmente. Hoje trago um clássico brasileiro, o espumante Casa Valduga Arte Brut 2012. Feito a partido do método tradicional, champenoise. Método no qual a segunda fermentação ocorre na própria garrafa.

Vamos a degustação: Na taça me apresentou uma cor pálida, bem translúcida, com reflexos amarelo palha brilhante e uma perlage persistente. No olfato se destacam frutas brancas, como melão. Na boca é elegante, refrescante, boa acidez e um final de boca de média persistência.

Um bom espumante para eventos sociais e ocasiões despretensiosas. Ótimo custo beneficio.



 

 Visual
Translúcido com reflexos amarelo palha
 Olfato
Frutas brancas, destaque melão.
 Gustativo
Elegante, boa acidez e média persistência
 Harmonização
Peixe e queijos brancos

Por Jonas Magalhães

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Ritual Pinot Noir 2011

Vinícola: Veramonte
País: Chile
Região: Casablanca
Tipo: Tinto
Uvas: 
Pinot Noir
Álcool: 14,5%
Preço: R$ 46,00


Sempre faço a colocação que a Pinot Noir é uma uva especial, elegante e sutil. É uma uva que merece uma atenção especial do produtor e também no enófilo. 

Esse Pinot me apresentou na taça uma cor rubi intenso. No olfato se destacam aromas de frutas vermelha em calda, como cereja e morango. Grande presença do carvalho, que até se sobressai aos demais aromas lhe proporcionando aromas de chocolate amargo e baunilha. Na boca é equilibrado e elegante, se confirma o defumado do carvalho, com um final de boca com boa persistência. 

Um bom custo-beneficio, se confirmando o bom terroir do vale do casablanca para a casta pinot noir. Me deixou curioso a presença abundante da madeira nessa safra. São 12 meses em reserva no carvalho francês (30% barricas novas), que marca muita presença no vinho.

Nota: 90/100
 

 Visual
Rubi Intenso
 Olfato
Frutas Vermelhas em caldas, chocolate amargo e baunilha
 Gustativo
Elegante e equilibrado
 Harmonização
Carne brancas

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Dal Pizzol Pinot Noir 2012

Vinícola: Dal Pizzol
País: Brasil
Região: Serra Gaucha
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir

Álcool: 12,5%
Preço: R$ 49,00


Já escrevemos aqui antes sobre a expectativa positiva com a safra 2012, no Brasil (Veja aqui!). Esse Pinot Noir, da Dal Pizzol me confirma tal analise e sentimento, espero que se confirme nos proximos vinhos que experimentar. 

Vamos ao vinho, na taça me apresentou uma cor rubi brilhante e de pouca intensidade. No olfato é intenso e frutado, com destaque ao morango, framboesa e cereja em compota. Na boca é elegante, leve e confirma os aromas frutados do olfato, com final de boca agradável(doce).

Se mostra um bom exemplar da Pinot Noir no "novo mundo", valendo o que paguei por ele. Acompanhou muito bem uma pizza margarita. 



 Visual

Rubi brilhoso
 Olfato
Frutado, morando, framboesa e cereja em compota(calda)
 Gustativo
 Equilibrado, leve e final doce
 Harmonização
 Pizza

sábado, 15 de junho de 2013

Bridlewood Monterey Pinot Noir 2011

Vinícola: Bridlewood
País: Estados Unidos
Região: Monterey
Tipo: Tinto
Uva: Pinot Noir(95%), Zinfandel(5%)
Álcool: 14.5 %

Como já disse aqui no blog, bons vinhos da casta Pinot Noir à um preço acessível são difíceis de achar, geralmente, eles tem um custo elevados. Os E.U.A tem se especializado em ter bons Pinot's, mais especificamente a região de Oregon, entretanto a Califórnia também tem obtido bons resultados, como observamos no vinho aqui analisado.

Bridlewood Monterey Pinot Noir 2011 nos custou 45,00 reais e posso dizer que foram muito bem investidos.

Um vinho delicioso, delicado e com ótima textura, como deve ser um bom Pinot Noir.

Possui um visual forte, vermelho bem escuro, talvez uma marca da presença da Zinfandel, mesmo que pouca(5%). No olfato teve aromas frutados, como diz o site do vendedor, a jabuticaba é presente, juntamente com morango, caramelo e fundo tímido de madeira. Na boca é redondo, equilibrado e ótima textura, com nuances frutado(morango). Persistente ao final, gostoso e fácil de se beber.

Fiquei com uma impressão de que deve evoluir bem com o tempo. Vale a pena reservar a garrafa para ver o resultado daqui uns anos.



 Visual
 Rubi forte
 Olfato
Jabuticaba, morango, caramelo e levemente amadeirado
 Gustativo
Redondo, elegante, morango, equilibrado
 Harmonização
Pratos leves

Por Jonas Magalhães

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Espumante Miolo Cuvée Tradition Brut 2011

Vinícola: Miolo
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Tipo: Espumante
Uva(s): Pinot Noir / Chardonnay
Álcool: 11.5 % 


"Espumante brasileiro natural elaborado pelo processo clássico (Champenoise) de fermentação na própria garrafa e envelhecido por um ano sobre as próprias leveduras da fermentação, onde através da "Autólise" das mesmas confere a este produto uma complexidade particular. O vinho base é uma Assemblage de uvas Chardonnay e Pinot Noir. Sua produção é limitada, todos os anos é feita uma "tiragem" do número pré-determinado de garrafas. " (Site da Miolo) 

Este foi sem dúvidas um dos melhores espumantes que degustei na relação custo-benefício. É bem honesto, achei no supermercado por R$23,00, geralmente acha-se em lojas especializadas de vinhos na faixa dos 30 reais.

Sobre o espumante, ele me apresentou um amarelo bem leve, lembrando palha de milho seca. Uma camada de espuma leve, sem grande destaque. No Olfato é bem representativo, me veio em destaque o abacaxi, mel eum fundo bem gostoso de frutas brancas como pera e maça. Na boca é agradável, equilibrado e bem refrescante.

Nota: 86


 Visual
 Amarelo Palha
 Olfativo
 Abacaxi e frutas brancas
 Gustativo
 Equilibrado e refrescante
 Harmonização
 Saladas


quarta-feira, 29 de maio de 2013

Miolo Reserva Pinot Noir 2011

Produtor: Miolo Wine Group
País: Brasil
Região: Campanha Gaúcha
Uva: Pinot Noir
Álcool: 13%


Produzir bons vinhos da casta Pinot Noir é muito difícil, necessita de muito cuidado e um terroir muito específico, sempre que posso escolho vinhos de regiões que tem certa tradição ou reconhecimento na produção desta casta. Como Borgonha(França), Casablanca(Chile), Oregon(E.U.A) e Nova Zelândia. Geralmente são vinho caros e não temos tantas opções para comprar, como é com a uva cabernet sauvignon.  Ou seja, temos que "garimpar" bem em lojas e supermercados para achar um vinho bom e barato desta casta.
Eis que não precisei ir muito longe nesta minha  tarefa de garimpagem, para achar um bom Pinot Noir a um preço honesto. Claro, não podemos esperar deste Miolo Reserva Pinot Noir 2011 a mesma complexidade e qualidade que um bom vinho das regiões acima descritas, mais valeu o que paguei(R$27,00).

Vamos a análise do vinho, na taça me apresentou uma bebida de cor clarinha, um rubi bem fraquinho. No Olfato aromas de frutas vermelhas, um fundo adocicado lembrando caramelo. Na boca é agradável, leve e gostoso, bem fácil de beber.
Não apresenta aromas muito nítidos e fortes, mais demonstra qualidades para o preço que se paga.

Nota:82/100



 Visual
 Rubi Clarinho
 Olfativo
 Frutas Vermelhas, Caramelo
 Gustativo
Leve e fácil de beber
 Harmonização
 Pizza e comidas leves


domingo, 5 de maio de 2013

Luis Felipe Edwards Pinot Noir Reserva 2011

Vinícola: Luis Felipe Edwards
País: Chile
Região: Vale Colchagua
Tipo: Tinto
Uva: Pinot Noir
Álcool: 14%

Beber um Pinot Noir nem sempre é sinônimo de elegância e qualidade. Não é fácil produzir bons vinhos com essa uva, que tem como uma das principais características a complexidade para manutenção de suas parreiras e a sua transformação em vinho. A Pinot Noir necessita de um clima frio e seu manuseio tem que ser com extrema delicadeza. Escrevo isso, pois hoje analiso o Luis Felipe Edwards Pinot Noir Reserva 2011, um vinho simples, que não se destaca, adquirido por um preço baixo para um Pinot Noir, R$ 26, ele não me representou uma boa compra, sem personalidade e na boca, sem o corpo elegante que representa uma Pinot Noir.

Vinho do Vale de Conchagua, entretanto se a região produz os melhores vinho Chilenos, não se pode dizer o mesmo dos Pinot's que vem apresentando maior destaque para os produzido no Vale de Casablanca.

Vamos ao vinho: de cor violeta, ele no olfato me apresentou framboesa bem leve e na boca um certo desequilíbrio, corpo leve e sem grande destaque. Não é intragável, mas acha-se vinho melhores nessa faixa de preço, até mesmo o Brasileiro Miolo Reserva Pinot Noir nós apresenta melhores qualidades.

Nota: 72/100
 Visual
 Violeta
 Olfato
 Framboesa
 Gustativo
 Corpo Leve e desequilibrado
 Harmonização
 Sanduiches

Por Jonas Magalhães