sexta-feira, 28 de março de 2014

Trivento Tribu Chardonnay 2012

Vinícola:Bodega Trivento
País: Argentina
Região: Mendoza
Tipo: Branco
Uvas: Chardonnay

Álcool: 13%


Confesso que não ainda não ganhei uma grande confiança no Chardonnay argentino. Mais resolvi experimentar este exemplar.

O Tribu Chardonnay 2012 é fácil de achar nos mercados.  Produzido na famosa vinícola Trivento, que é uma aposta da gigante chilena Viña Concha y Toro em território Argentino.

Vamos ao vinho. Na taça destaca-se com uma cor amarelo palha brilhante com tons esverdeados. No olfato apresenta aroma de abacaxi e toques de melão. Na boca tem boa acidez, refrescante, equilibrado e fácil de se beber.

É um vinho simples, mais agradável. Vale pagar até 30 reais por ele. Mais que isso, podemos achar exemplares melhores.


 

 Visual
Amarelo palha brilhante com tons esverdeados
 Olfato
Abacaxi e melão
 Gustativo
Equilibrado, leve, refrescante e boa acidez
 Harmonização
Peixes

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 27 de março de 2014

Receita de Blooming Bread com vinhos para harmonizar

Sugestão para harmonizar com Blooming Bread

Fonte da receita: Cook Tips
Sugestão de harmonização: Renata Cardoso 

O Blooming Bread nos parece perfeito como aperitivo, um lanche da tarde ou até mesmo para um jantar leve. Você pode receber seus amigos ou surpreender sua família, em qualquer horário do dia, com o pão recheado de queijo e presunto que acompanha perfeitamente um Chianti da Toscana, ou ainda vinhos elaborados com as uvas Barbera ou Zinfandel, pois possuem acidez e corpo para combinar com a azeitona, o aroma do orégano, da cebolinha e com a a presença da cebola.

Para os vegetarianos, sem comprometer a harmonização, a receita pode substituir facilmente o presunto por outro queijo, desde que não seja tão leve, como os queijos provolone e fontina.

Aproveite a dica da receita fácil e tente a harmonização com os vinhos que indicamos. AH! Não se esqueça de nos contar do resultado.

Receita

Um pão italiano inteiro
150 gramas de queijo mozarela ralado
100 de presunto ralado
4 Azeitonas
¼ de uma pequena cebola picada
1 Colher de sopa molho de tomate
Óregano
Cebolinha (sugestão de acréscimo na receita para harmonizar)

Como fazer


Corte o pão italiano no sentido vertical e horizontal, deixando-o parecido com um tabuleiro de xadrez. Não corte até a base. Preencha os espaços do pão primeiro com queijo e em seguida com presunto. Salpique azeitona e cebola picadas, pincele o pão com uma colher de molho de tomate e finalize com um toque de orégano e cebolinha a gosto. Coloque ao forno, enrolado em papel laminado por 20 min à 180ºC.

HARMONIZAÇÃO

Podemos ser ecléticos na harmonização. Aconselho escolher um Chianti da Toscana, ou ainda uvas com origem na Itália como a Barbera ou Zinfandel(Primitivo).

Saúde!

quarta-feira, 26 de março de 2014

Saurus Patagônia Select Pinot Noir 2007

Vinícola: Familia Schroeder
País: Argentina
Região: Patagônia
Tipo: Tinto
Uvas: Pinot Noir


A casa do Pinot Noir argentino. Pode-se  dizer que na Patagônia concentra-se os melhores Pinot's hermanos. Em minha ultima visita ao país vizinho, queria trazer um bom Pinot Noir, adoro a uva e já tinha comprado bastante Malbec. Por indicação, resolvi trazer esse exemplar.

Vamos ao vinho. Na taça me apresentou uma cor elegante, de médio brilho, um rubi bonito. No olfato é bem complexo, com aromas de rosas e frutas vermelhas combinado com especiarias e algo tostado, o uso da madeira não esconde o vinho. Na boca é elegante, sedoso, com bom equilíbrio e ótima persistência.

Se mostra um ótimo vinho, foi melhorando bastante depois de aberto, recomendo decantar. Está no seu auge, pronto para beber. Vale muito a pena.



 Visual
Rubi intenso
 Olfato
Rosas, frutas vermelhas, especiarias e tostado
 Gustativo
Elegante, sedoso, equilibrado e boa persistência.  
 Harmonização
Carne de porco, medalhão e carne macias.
Por Jonas Magalhães


terça-feira, 25 de março de 2014

Um ano do Site/Blog Simplificando o Vinho!


No dia 25 de março de 2013 nascia o blog Simplificando o vinho, com o objetivo de conquistar novos apreciadores e expandir um pouco da cultura do vinho. De forma fácil e simples de entender o blog logo teve bastante espaço. Ele cresceu, ganhou seguidores e hoje é um site bastante visitado.

Nossa avaliação é a de que neste período conseguimos, felizmente, alcançar nosso objetivo e contribuir para que algumas pessoas expandissem seus conhecimentos sobre vinho. Nós também aprendemos muito durante esse tempo a partir da interlocução com nossos leitores e profissionais do setor.

Com grande satisfação dizemos que hoje estamos quase nas 100 mil visualizações das postagens! Temos o total, até o momento, de 236 postagens. Realizamos especiais com os nossos escritos, como o de Vinho&Saúde, Vinho& Cinema, Receitas e agora o especial sobre Vinho no Brasil.

Foram exatos 100 vinhos analisados aqui no Simplificando o Vinho, uns ótimos, outros não tão bons, mas podemos dizer que sempre tentamos repassar fielmente nossas experiencias com os vinhos para tentar transmitir um pouco do que sentimos quando degustamos a bebida.

Esperamos continuar crescendo e aprendendo. Mas esperamos sobretudo contribuir - para quem nos acompanha e para osdemais leitores - com informações sobre o mundo do vinho.

Nosso sinceros agradecimentos!

Um brinde e saúde!

segunda-feira, 24 de março de 2014

O que é um vinho de guarda?

O que é um vinho de guarda?

Esta é uma dúvida muito presente a quem esta iniciando no mundo do vinho.

Simplificando, podemos definir um vinho de guarda como um vinho que como o próprio nome já traduz: que podemos guarda-lo. 
É um vinho que não se perde em pouco tempo. Uma bebida que evolui dentro da garrafa, que se apura e ganha mais complexidade com o tempo. O ideal é ter paciência e esperar seu amadurecimento.

Para compreender melhor, primeiro temos que desmentir um ditado popular muito comum: "vinho quanto mais velho melhor". 


Pois bem, esse ditado nem sempre é verdade e quase sempre está errado. A maioria dos vinhos são feitos para se consumir imediatamente. São vinhos simples, que são produzidos em larga escala e sem grandes complexidades. O ideal na maioria dos vinhos é bebe-los em até 3 anos.

Diferente são os vinhos de guarda. O são mais complexos. Já são instrumentados desde a videira de forma especial. Seleciona-se o melhor micro-terroir da vinícola para as parreiras que darão origem a este vinho. Se faz um controle rígido na escolha das uvas e se tem um processo diferenciado na produção, mais cuidadoso e usando barris de melhor qualidade e geralmente de primeiro uso. São vinho bem mais caros e difíceis de se achar. Geralmente são produções limitadas, sendo o vinho ícone da vinícola.


Escutei uma vez que o vinho é um "ser vivo": Ele nasce, evolui e morre. Essa é uma boa frase. Os vinho de guarda são aqueles que demoram a morrem, que evoluem lentamente e ao final de sua vida te proporciona um prazer único e indescritível. Sentimentos que só um bom vinho pode gerar!