sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Caleo Primitivo Salento IGT 2013

Vinícola: Casa Vinícola Botter
País: Itália
Região: Salento - 
Puglia
Tipo: Tinto
Uvas: Primitivo

Álcool: R$13,00
Preço: R$33,00 (Link)


Hoje vamos analisar o Caleo Primitivo Salento IGT 2013, produzido pela vinícola Botter. Fundada por Carlo Botter por volta de 1928, hoje ela é administrada pela terceira geração da família e é possível encontrar seus vinhos em 35 países diferentes.

Localizada no "toco da Itália"(Puglia), a região de Salento tem um clima predominantemente quente, seco e com pouca chuva. Embora não seja uma região com tanto renome intencional, o vinho na região de Puglia tem grande papel histórico na Itália e mostrou grande evolução nos últimos anos, com destaque para a casta Primitivo que tem grande mercado nos Estados Unidos, onde é conhecida como Zinfandel.

Vamos ao vinho: Apresenta uma coloração rubi intenso e brilhoso. No olfato destaca-se aromas de frutas como ameixa e mirtilo, algo terroso e picante (pimenta do reino). Na boca é aveludado, taninos tranquilos e acidez na medida. Final de boca é frutado e com boa persistência.

Um bom vinho que representa o terroir da charmosa região de Salento. E para quem gosta de Zinfandel americano, esse é um exemplar para ver as características da casta em solo Italiano

 

 Visual
Coloração rubi intenso e brilhoso
 Olfato
Aromas de frutas como ameixa e mirtilo, algo terroso e picante(pimenta do reino)
 Gustativo
Aveludado, taninos tranquilos e acidez na medida. Final de boca é frutado e com boa persistência
 Harmonização
Carnes escuras e massas como molho vermelho

Por Jonas Magalhães


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Vinícola Aurora conquista SEIS Medalhas no Vinus 2014

VINÍCOLA AURORA CONQUISTA SEIS MEDALHAS no Vinus 2014. O Marcus James Brut ganha duplo ouro, quatro Medalhas de ouro para Espumantes e Reserva Aurora e Prata para o Reserva Merlot 2013.

A Vinícola Aurora conquistou seis medalhas no 11° Concurso Internacional de Vinhos e Licores realizado em Mendoza (Argentina). O espumante Marcus James Brut, um dos mais premiados da Vinícola, ficou com medalha Duplo Ouro nessa competição, que reuniu 450 vinhos de 17 países, avaliados por um júri de 44 experts internacionais.

Das 21 medalhas de ouro entregues a vinhos brasileiros nesse concurso, quatro foram para rótulos da Aurora: Espumante Aurora Chardonnay Brut, Espumante Aurora Pinot Noir Branco Brut, Espumante Aurora Moscatel e Aurora Reserva Chardonnay 2014.

Além das Medalhas de Ouro, o Reserva Aurora Merlot Safra 2013 conquistou Medalha de Prata, nesse concurso.

A Aurora é a brasileira mais premiada em concursos internacionais. Seus rótulos Aurora, Marcus James e das demais marcas da Vinícola podem ser encontrados em todo o território nacional, em lojas especializadas e em grandes redes de varejo. Líder em exportações de vinhos brasileiros no primeiro semestre de 2014, a Aurora está presente em mais de 20 países, nos cinco continentes.

Fonte: Cooperativa Vinícola Aurora

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Rússia estuda estatizar a produção de vinho

De acordo com Oleg Nilov, um membro do Parlamento e um dos arquitetos da nova iniciativa, a produção de vinho na Rússia só deveria ter lugar nas instalações de empresas estatais, e empresas onde o controle acionário é de propriedade do Estado.

Nilov acredita que a introdução de um monopólio estatal permitiria a Rússia aumentar a qualidade do vinho produzido no país e aumentar significativamente as receitas do Estado à partir da indústria do vinho nacional.

O partido político social-democrata na Rússia, que apresentou o novo projeto de lei ao parlamento nacional e do governo, disse que a introdução de um monopólio estatal poderia ajudar a Rússia a ser independente da indústria vinícola internacional, em caso de restrições ou uma proibição de toda nas importações de vinho para a Rússia. As medidas atualmente estão sendo estudadas pelo governo nacional como uma resposta às sanções ocidentais.

De acordo com a Duma, a introdução de um monopólio estatal também daria um impulso para Criméia e Krasnodar. Principalmente aos enólogos para aumentar seus volumes de produção e lhes daria espaço nas prateleiras dos pontos de venda nacionais.

No entanto, os principais analistas russos na área de álcool e vinho criticaram a iniciativa.

De acordo com Vadim Drobiz, o diretor do Centro de Pesquisa da Federal e Regional de Álcool Markets (CRFRAM), uma agência de análise de negócios do vinho, a introdução de um monopólio estatal faria a indústria do vinho russo inútil, uma vez que atualmente continua fortemente dependente de IVA e impostos especiais de consumo e criaria condições para a corrupção no mercado.

De acordo com analistas CFRAM, a adoção desses planos também resultaria em um aumento de vinho contrabando sendo trazida para a Rússia e uma diminuição significativa da qualidade dos vinhos nacionais.

O novo projeto de lei está prevista para ser debatido pelo Parlamento russo durante a primeira semana de setembro.

Fonte: Decanter.com

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Dieta que inclui vinho ajuda a prevenir doenças cardiovasculares

Resultados do estudo Predimed (Prevención con Dieta Mediterránea), que envolveu 7 mil pacientes, foi apresentado durante Congresso de Cardiologia em Gramado no sábado, 23 de Agosto.

Quem está ligado em informações sobre hábitos de vida saudáveis certamente já deve ter ouvido falar sobre os benefícios da dieta mediterrânea para a saúde. O que talvez muitos ainda não saibam é que o vinho é um dos ingredientes da dieta rica em vegetais, com predominância de pescados e outras carnes brancas às carnes vermelhas e com o azeite de oliva como a cereja do bolo de uma alimentação equilibrada.
Os detalhes deste tipo saudável de alimentação e os resultados de uma pesquisa realizada na Espanha e que envolveu cerca de 7 mil pacientes com risco de ter ou desenvolver alguma doença cardiovascular serão apresentados na conferência O Impacto do Estudo Predimed (Prevención con Dieta Mediterránea), durante o Congresso da Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul (Socergs 2014), em Gramado (RS), neste sábado (23), às 8h30min. O evento começa nesta quinta-feira (21) e encerra no sábado. A pesquisa será apresentada pelo biólogo e nutricionista espanhol Helmut Schröder, que está percorrendo o mundo para divulgar os benefícios da dieta mediterrânea na prevenção de uma série de doenças.

Helmut explica que o estudo foi realizado entre os anos de 2006 e 2013 e comparou um grupo de pessoas que seguiram à risca a dieta com outro, da mesma faixa-etária (acima de 55 anos), que se alimentaram normalmente. O resultado foi que as pessoas que consumiram predominantemente os itens da dieta, que inclui o vinho, desenvolveram 40% menos de chances de desenvolvimento de doenças cardiovasculares como infarto do miocárdio, aterosclerose entre outras.

Helmut afirma que, apesar da dificuldade de adaptar este tipo de alimentação a outras regiões do planeta (o estudo ocorreu apenas na Espanha), é possível adaptá-lo a outras dietas seguindo algumas recomendações que são concomitantes. “Toda a cultura tem a sua dieta saudável. O que podemos afirmar categoricamente é que o consumo moderado de vinho associado a hábitos saudáveis e uma dieta rica em vegetais e azeite de oliva traz melhora para a saúde como parte integrante de uma alimentação saudável”, diz. O estudioso completa alertando que para potencializar os benefícios da dieta e reduzir ainda mais o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, é recomendada a realização de atividades físicas.

O pesquisador avalia que a participação em congressos médicos tem como objetivo difundir os resultados do estudo e conscientizar os profissionais da saúde para a importância de repassar para os pacientes os efeitos positivos de uma alimentação equilibrada. “Esperamos que este resultado reforce o trabalho de muitos profissionais focado na medicina preventiva e que os incentive a informar seus pacientes sobre algumas mudanças simples na alimentação que podem resultar em importantes ganhos para a saúde”, acredita.

Quem é Helmut Schröder
Doutor em Biologia Humana e licenciado em Ciências da Nutrição, Helmut Schröder é líder do grupo 30 Centro de Investigação Biomédica na Rede Centro de Epidemiologia e Saúde Pública, da Espanha. Suas linhas de investigação centram-se na relação entre estilo de vida e as doenças. Inclui estudos sobre os efeitos da nutrição sobre a obesidade e outros fatores de riscos cardiovasculares. Tem participado de estudos epidemiológicos e de intervenção clínica.


Fonte: Ibravin